Segurança no Campo

Fazendeiros de MT apoiam decreto pró-armas de Bolsonaro

Produtores afirmam que invasões de propriedades chegaram a um nível inaceitável

13 de Maio de 2019 as 10h 04min

A cada dez dias, um helicóptero com cinco policiais percorre fazendas da região de Sorriso (MT), cidade que é a maior produtora de soja do Brasil. Em algumas propriedades, os tripulantes descem e conversam com grupos de fazendeiros das redondezas sobre segurança no campo.

As principais recomendações: evitem construir paredões verdes, cercas vivas e muros opacos, que facilitam a ação de delinquentes; cuidem do entorno da propriedade como se fosse parte dela, para evitar o aspecto de abandono; invistam o quanto puder em iluminação.

E mais importante: formem teias de contato por WhatsApp e outras redes sociais para avisar ao menor sinal de perigo.

O projeto foi implantado no início do ano, uma parceria do Sindicato Rural de Sorriso (400 km ao norte de Cuiabá) com o Ciopaer (Centro Integrado de Operações Aéreas) do governo do estado, que reúne as polícias militar e civil e o corpo de bombeiros.

O que motivou a iniciativa, diz Tiago Stefanello, presidente do sindicato, foram os altos níveis de violência no campo. "A invasão de propriedades chegou num ponto inaceitável", diz ele.

Por isso, os produtores rurais do norte de Mato Grosso, uma das regiões onde o agronegócio é mais forte no país, aplaudiram efusivamente as medidas anunciadas pelo governo de facilitação de posse e uso de armas de fogo nas propriedades rurais, anunciadas nesta semana.

As principais recomendações: evitem construir paredões verdes, cercas vivas e muros opacos, que facilitam a ação de delinquentes; cuidem do entorno da propriedade como se fosse parte dela, para evitar o aspecto de abandono; invistam o quanto puder em iluminação.

E mais importante: formem teias de contato por WhatsApp e outras redes sociais para avisar ao menor sinal de perigo.

O projeto foi implantado no início do ano, uma parceria do Sindicato Rural de Sorriso (400 km ao norte de Cuiabá) com o Ciopaer (Centro Integrado de Operações Aéreas) do governo do estado, que reúne as polícias militar e civil e o corpo de bombeiros.

O que motivou a iniciativa, diz Tiago Stefanello, presidente do sindicato, foram os altos níveis de violência no campo. "A invasão de propriedades chegou num ponto inaceitável", diz ele.

Por isso, os produtores rurais do norte de Mato Grosso, uma das regiões onde o agronegócio é mais forte no país, aplaudiram efusivamente as medidas anunciadas pelo governo de facilitação de posse e uso de armas de fogo nas propriedades rurais, anunciadas nesta semana.

As principais ocorrências são roubo de fertilizantes e defensivos agrícolas, que são fortemente afetados pela alta do dólar e por isso nunca estiveram tão caros (uma tonelada de adubo, suficiente para dois hectares plantados, subiu de US$ 350 para US$ 390 em um ano).

Também há furto de sementes, cabeças de gado e máquinas. Em alguns casos, os bandidos usam de violência, agredindo e amarrando proprietários rurais e caseiros.

E há também a sempre presente possibilidade de ação de grupos de sem-terra, embora essa ameaça tenha sido reduzida nos últimos dois anos, afirma Stefanello. "Eles entraram na minha propriedade uns anos atrás, mas foram convencidos a se retirar de um jeito muito persuasivo", diz ele, que mobilizou policiais na época para removê-los.

Natural de Ibirubá (RS), Stefanello, 41, migrou para o Mato Grosso em 2000 para trabalhar numa propriedade como engenheiro agrônomo, mais um entre milhares de sulistas que vieram tentar a vida no Cerrado. Hoje, planta soja e milho.

Stefanello é eleitor de Bolsonaro e diz que 99% dos 620 fazendeiros que seu sindicato representa apoiaram o capitão na eleição. "Ele é contra invasão de terras e o aparelhamento do Incra, que nos trouxe muito prejuízo", afirma. Uma de suas ações à frente do sindicato foi distribuir bandeiras do Brasil para os produtores. "Temos que reforçar o patriotismo", diz.

Em Sinop (MT), cidade vizinha que também é um pólo produtor de soja, Ilson Redivo, 62, catarinense de Caçador que migrou há 30 anos para a região, diz que as medidas adotadas por Bolsonaro para facilitar o uso de armas nas fazendas vão fazer a lei valer para todos.

"Se o cara vai lá na fazenda, chumbo grosso nele. Você primeiro atira e depois pergunta o que ele foi fazer lá", afirma Redivo, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais da cidade.

Segundo ele, a Polícia Militar no município mal tem condição de oferecer segurança urbana para a cidade de 140 mil habitantes, considerada a "capital do Nortão de Mato Grosso".

"A lei do desarmamento desarmou o cidadão de bem", afirma ele, que mantém um adesivo de Bolsonaro em seu computador de trabalho. "O Estado não tem condição de prover segurança, é preciso dar condições às pessoas de se defenderem".

Dezenas de grupos de WhatsApp coordenados pelo sindicato deixam os produtores em alerta constante para episódios de invasão à propriedade.

Assim como em Sorriso, em Sinop o principal problema é o roubo de fertilizantes e defensivos.

"Roubo de defensivo tinha que ser crime inafiançável como é o tráfico de drogas. Quem sabe o Bolsonaro não muda isso também?, pede.


Fonte: FolhaPress

COMENTARIOS

Mais de Agronegócios

Vazio Sanitário Da Soja

Vazio Sanitário da soja começa amanhã em Mato Grosso

Indea deve iniciar fiscalizações nas áreas produtoras

14 de Junho de 2019 as 21h33

Embargo

Acrimat diz que não dá para calcular impacto da suspensão do embargo da carne bovina produzida em MT

Associação diz que pecuaristas vão mudar estratégias de comercialização até que preços sejam restabelecidos.

14 de Junho de 2019 as 11h53

Milho

Produção de milho em MT deve ser de mais de 30 milhões de toneladas, segundo Conab

Imea também estima produção no mesmo patamar, com algumas toneladas a mais.

12 de Junho de 2019 as 07h02

Vaca Louca

Preço da arroba do boi despenca após caso atípico de vaca louca

O Ministério da Agricultura suspendeu o envio de carnes para a China e essa ação fez com que as indústrias adotassem outras estratégias de compra e também de abate dos animais em Mato Grosso.

09 de Junho de 2019 as 21h23

Florestas Plantadas

Ministério da Agricultura aprova Plano Nacional de Florestas Plantadas para fortalecer o segmento no Brasil

Plantio florestal adota sistemas agrícolas sustentáveis e deve expandir área plantada nos próximos anos.

05 de Junho de 2019 as 22h16

Caso Em Mato Grosso

Governo anuncia suspensão da exportação de carne bovina para a China após caso de ''vaca louca''

De acordo com Ministério da Agricultura, suspensão atende a acordo sanitário entre Brasil e China. Na semana passada, foi detectado caso da doença em um animal no Mato Grosso.

03 de Junho de 2019 as 22h17

Seca

Silagem de milho é alternativa de alimentação para o gado durante a seca

Com a fabricação da própria silagem de milho, não há a necessidade de comprar e transportar o produto de fora. Isso faz com que os custos com a alimentação do gado diminuam.

26 de Maio de 2019 as 12h15

Aftosa

Em MT, búfalos são vacinados contra aftosa; vacinação termina em 31 de maio

Propriedade em Jangada investe na criação da búfalos para produção de leite e derivados.

26 de Maio de 2019 as 12h08

Chuvas

Chuva e pragas provocam aumento de preço do quiabo, chuchu e abacate em MT

Pesquisa mostra que tomate teve baixa no preço.

22 de Maio de 2019 as 10h20

Regularização

Reuniões esclarecem moradores sobre Programa de Regularização Fundiária em Nova Mutum

A expectativa da Prefeitura é que todo processo seja concluído em 12 meses.

15 de Maio de 2019 as 10h22

Agricultura Familiar

Agricultura Familiar de Nova Mutum terá assessoria de Laboratório para Análise de Solo

Essa ação visa prestar serviços de assessoria aos pequenos produtores que comercializam nos mercados

15 de Maio de 2019 as 10h16

Taxação

Produtores de MT protestam contra taxação do milho e cobram aplicação do Fethab em estradas

Cartas de reivindicação serão entregues na ALMT e no Palácio Paiaguás.

15 de Maio de 2019 as 09h56

Agricultura

Produção de milho impulsiona Safra 2018/2019, que deve alcançar 236,7 milhões de toneladas

Resultado se aproxima do recorde histórico alcançado em 2016/2017

13 de Maio de 2019 as 20h26

Agricultura Familiar

Publicada lista de produtos com bônus em maio para Garantia de Preços para a Agricultura Familiar

Onze produtos tiveram preço de mercado abaixo e terão descontos na amortização ou liquidação do Pronaf

13 de Maio de 2019 as 20h23

Etanol

MT é responsável por 74,6% da produção de etanol de milho do país

Estado produziu 590,9 milhões de litros do biocombustível na safra 2018/2019. Atualmente, só se produz etanol de milho em MT, GO e PR.

08 de Maio de 2019 as 10h11

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

Você faz uso do sistema Público de Saúde?

Sim

Não – Eu tenho Plano de saúde

Parcial
veja +

COTAÇÃO