Frete de grãos tem queda de quase 40%

Fim das filas nos portos derruba preços

20/08/2014 - 06:39:51

   

A estratégia adotada para reduzir filas nos portos e os incentivos para renovação da frota de caminhões acabaram refletindo negativamente nos preços do frete. Já há quem fale que o setor de transporte vive uma crise por conta da queda dos preços pagos para o transporte de grãos, que estão em média 30% mais baixos do que os praticados durante o pico da safra deste ano.
 
O diretor-presidente do grupo G10, de Maringá (PR), Claudio Adamuccio afirma que, se por um lado a implantação do sistema de agendamento reduziu as filas de descarga nos portos, a solução acabou criando outro problema. “Até o ano passado, os caminhões eram utilizados como armazéns enquanto aguardavam na fila do porto. Agora estão parados, vazios, esperando uma oportunidade para serem carregados, ampliando a oferta de caminhões”, observa.
 
Para o diretor do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Mato Grosso (SindMat), Cláudio Rigatti, além do excesso de caminhões disponíveis para o transporte da safra, o mercado de frete ainda vive um reflexo da longa espera nos portos no ano passado. “Os atrasos nos embarques de grãos provocados pelas filas na última safra fez com que muitos importadores asiáticos cancelassem vários pedidos do Brasil neste ano”, afirma.
 
Outro fator relacionado ao mercado de grãos que afeta os preços do frete, segundo Rigatti, é a queda da cotação do milho. Segundo o diretor do sindicato mato-grossense, os produtores estão segurando as vendas do grão por estarem descontentes com os preços de exportação estão muito abaixo do preço mínimo estabelecido pelo governo federal. A saca está cotado a R$ 8,00 enquanto o preço de garantia oficial é de R$ 13,00. “Então o produtor está esperando o governo realizar leilões de compra para voltar a vender o milho, e isso reduz a procura por transporte”, observa.
 
As facilidades criadas pelo governo federal para a compra de caminhões estão entre os fatores que provocaram queda nos valores dos fretes. O diretor-executivo da Associação dos Transportadores de Carga de Mato Grosso(ATCMT), Miguel Mendes afirma que as taxas favoráveis do Pró-Caminhoneiro, Finames e a redução do IPI acabaram motivando muita gente a comprar caminhão. “Mesmo gente que nem era do ramo, como profissionais liberais, com médicos e advogados, apostaram na compra de caminhões como investimento. Isso ampliou muito a oferta de transporte de grãos”, explica.
 
Mendes observa que a queda nos valores do frete também foi agravada por uma maior participação do transporte ferroviário no transporte da safra. “Tínhamos uma grande demanda por caminhões, na região de Sorriso, Lucas do Rio verde, até o Terminal do Araguaia, que agora está sendo feito por trem”, afirma.
 
“Há três meses que estamos trabalhando praticamente no vermelho”, afirma do diretor do SindMat. Segundo o dirigente, o frete em distâncias curtas, no Mato Grosso, caiu quase 40%. “O frete, que durante a colheita, estava a R$ 106,00/tonelada para o trecho entre Sorriso e o Terminal Ferroviário de Rondonópolis, agora está a R$ 66,00”, afirma. Já em uma distância maior, como Sorriso (MT) ao Porto de Santos, o frete, que atingiu, segundo o sindicalista, R$ 320,00 no auge da safra, agora está em R$ 230,00.
 
Adamuccio, do G10, também diz que os transportadores estão trabalhando no prejuízo. Ele observa que a queda nos valores do frete afeta a lucratividade do setor. “O transportador tem um custo fixo na ordem de 35%. Se ele parar, perde 35%. Agora, rodando com estes fretes ele perde 8% contra uma lucratividade que ficava entre 10% e 12%”, compara. O empresário observa ainda que, como resultado das quedas nos valores do frete, as vendas de caminhões estão paralisadas. “O transportador que fez grandes aquisições no ano passado estão se tornando inadimplentes”, afirma.
 
Mendes diz que a situação não é diferente no Mato Grosso. Ele diz que por causa da queda da produtividade dos veículos, e consequentemente, da receita das transportadoras, muitas empresas estão em dificuldades. “Estamos negociando com o BNDES para tentar uma prorrogação dos Finames. Algumas empresas já estão com pedido de recuperação judicial e outra com dificuldades para honrar a folha de pagamento de seus motoristas”, afirma o executivo.

MT Agora - Revista Carga Pesada

Mais Noticias

Lavouras de Milho

Agricultores estão preocupados com lavouras de milho em MT devido à falta de chuva

Febre Aftosa

Primeira etapa da vacinação contra febre aftosa em MT começa na terça-feira (1º)

Novo Mercado Do Produtor

Novo Mercado do Produtor de Lucas do Rio Verde promete ser espaço para comércio e lazer familiar

Preocupante

Petrobras ameaça fechar fábricas de fertilizantes; pecuaristas e consumidores de MT serão prejudicados

11/04/2018 -

Registros de estabelecimentos avícolas chegam a 93,5% em MT

Mato Grosso tem 462 granjas avícolas comerciais cadastradas no Indea. Das 432 granjas que protocolaram a solicitação de registro na autarquia, 407 são de corte e 25 de postura.

11/04/2018 -

Câmara de Política Agrícola aprova R$ 200 milhões em projetos do FCO Rural

Com todos os projetos aprovadas pelo Conselho, a soma em investimento é de pouco mais de R$ 199 milhões e deve gerar 377 empregos diretos e outros 847 indiretos.

09/04/2018 -

Volume do agronegócio cresce 7,6% em 2017, eleva PIB nacional e ajuda no controle da inflação

Novamente, o ramo agrícola é que deu impulso para o PIB-volume, visto que registrou aumento de 9,2% em 2017.

09/04/2018 -

Exportações do agronegócio sobem 4,1% em março; saldo comercial é de R$ 7,79 bi

s dados foram divulgados pelo Ministério da Agricultura nesta segunda-feira (9).

05/04/2018 -

Ministério da Agricultura não se pronuncia diante de denúncias contra BRF em Mato Grosso

Na denúncia, além de fotos que mostram as condições em que a comida era enviada dos frigoríficos para o consumo interno, consta um dossiê sobre a precariedade da estrutura e equipamentos do refeitório de Lucas do Rio Verde

05/04/2018 -

Produção de carne em Mato Grosso é discutida com parlamentares europeus

O Estado é responsável por 25% de todas as fazendas do Brasil habilitadas a exportar carne para a União Europeia

23/03/2018 -

Conheça Werner Haroldo Kothrade, vencedor do mérito “O Semeador”

São mais 43 anos de suor e sacrifício em terras mato-grossenses, mas a caminhada foi de grandes realizações em meios às dificuldades

23/03/2018 -

Último dia do Show Safra tem agricultura familiar, discussão sobre o futuro do agro e lançamento do Plano Safra

Às 17h, no auditório da fundação acontece o debate e o lançamento do Plano Safra 2018/2019, com a presença do Ministério da Agricultura

23/03/2018 -

Acrismat liga alerta na suinocultura durante Show Safra

O que o setor já conseguiu foi a redução da alíquota de ICMS na comercialização estadual e interestadual de suínos vivos de 12% para 6%.

20/03/2018 -

Historiador debate cenário político e influências na cadeia do agro nesta quarta

Início às 19h, no auditório da Fundação Rio Verde, em Lucas do Rio Verde (MT)

20/03/2018 -

Avicultura, manejo e Marco Villa são destaques do segundo dia do Show Safra

Encerra o segundo dia do Show Safra, o historiador Marco Antônio Villa, da rádio CBN/Jovem Pan, com a palestra “As Explicações do Brasil”.

20/03/2018 -

Viabilidade da pecuária no médio norte de MT em destaque no Show Safra 2018

Em algumas fazendas essa realidade começa a mudar os números da pecuária do estado.

20/03/2018 -

ANTT publica plano de outorga para leilão de ferrovia

Parte da Ferrovia Norte-Sul no trecho Rio Verde-Santa Helena de Goiás

19/03/2018 -

Palestras técnicas abrangem controle de doenças, manejo e uso de biotecnologias

O Show Safra BR 163 será realizado de 20 a 23 de março, na Fundação Rio Verde, em Lucas do Rio Verde (MT).

19/03/2018 -

Embrapa leva opções para sistemas produtivos ao Show Safra BR 163

Serão expostas as novas forrageiras lançadas pela parceria entre a Embrapa e a Unipasto

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora