Agronegócios

Registros de estabelecimentos avícolas chegam a 93,5% em MT

Mato Grosso tem 462 granjas avícolas comerciais cadastradas no Indea. Das 432 granjas que protocolaram a solicitação de registro na autarquia, 407 são de corte e 25 de postura.

Sanidade Animal | 11 de Abril de 2018 as 22h 59min
MT Agora - Indea-MT

Com o objetivo de manter a produção avícola com níveis adequados de biosseguridade, que 432 granjas de aves de corte e de postura, cerca de 93,5% dos estabelecimentos avícolas comerciais mato-grossenses, informaram ao Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) que estão regulares, em acordo com a legislação Federal.

O prazo estabelecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para o protocolo de registro de estabelecimentos avícolas comerciais, encerrou no dia 03 de março deste ano. Mato Grosso tem 462 granjas avícolas comerciais cadastradas no Indea. Das 432 granjas que protocolaram a solicitação de registro na autarquia, 407 são de corte e 25 de postura.

Para realizar esse trabalho de protocolo das granjas comerciais, o Indea capacitou 40 médicos veterinários que atuam municípios polos da avicultura, em setembro de 2017, para conduzir da melhor forma possível esse processo de protocolo. De acordo com a presidente do Indea, Daniella Soares, o resultado obtido em Mato Grosso foi em decorrência do trabalho conjunto executado no campo.

“O resultado expressivo no número de granjas que atenderam as normas se deve aos esforços e trabalhos conjunto entre o Indea e os produtores. Os técnicos do Indea trabalharam junto às empresas, com os responsáveis técnicos das granjas, realizando a notificação e esclarecendo todo o processo de requerimento do registro. Esse trabalho foi fundamental para que obtivéssemos este resultado em Mato Grosso”, destacou Daniella.

A responsável pelo Programa Estadual de Sanidade Avícola do Indea, Maristela Brito Vicente Correa, ressaltou as regras para o alojamento de novas aves nas granjas. “Os estabelecimentos avícolas que protocolaram no prazo estabelecido pelo Mapa, poderão alojar aves sem terem recebido o registro até que sejam vistoriados e registrados. Já os estabelecimentos que perderam o prazo de protocolo determinado pelo Mapa, só poderão alojar novas aves após receberem o registro”.

A lista de estabelecimentos avícolas comerciais regulares está disponível em Sanidade Avícola.

Registro

O processo de registro obedece a Instrução Normativa nº 56/2007, IN 59/2009, IN 36/2012, IN 08/2017 e IN 18/2017 do Mapa, que estabelecem os critérios de biosseguridade fundamentais para prevenção de introdução e disseminação de doenças oficialmente erradicadas, exóticas e controladas nos estabelecimentos avícolas.

Os técnicos do Indea realizarão a vistoria dos estabelecimentos e a emissão do Laudo de Inspeção Física e Sanitária. O registro é emitido após a comprovação do cumprimento das normas de biosseguridade, como a instalação de telas e outras medidas destinadas à prevenção de doenças como a influenza aviária, doença de Newcastle, Salmoneloses e Micoplasmoses. Já as granjas que não protocolaram o requerimento de registro, não poderão alojar novas aves, até que regularizem.

Em Mato Grosso, o processo de registro ocorrerá em duas etapas. A primeira encerrou no dia 3 de março, obedecendo ao prazo final estipulado pelo Ministério da Agricultura, para que as empresas entregassem o requerimento de registro junto ao Indea. Após as visitas dos fiscais estaduais do Indea e com a comprovação efetiva de que os requisitos do Mapa foram atendidos, os proprietários receberão o registro provisório.

A segunda etapa compreende a execução de todos os requisitos exigidos nas normas de Mato Grosso. Se comprovado o cumprimento das exigências estaduais, o registro final é emitido. O prazo estadual encerra-se em 28 de fevereiro de 2019, quando o produtor deverá comunicar ao Indea o atendimento as exigências das normas estaduais.

Lembrando também que o Ministério da Agricultura estabeleceu o prazo de 24 de agosto de 2018 para o cumprimento de adequação da tela com medida de uma polegada (2,54 cm) para todos os estabelecimentos avícolas.

Histórico

Em 2005 o setor privado, preocupado em proteger o plantel avícola mato-grossense com relação as questões ambientais e sanitárias, apresentou a demanda de normas mais rigorosas em biosseguridade e biossegurança, ao Comitê Estadual de Sanidade Avícola de Mato Grosso (Coesa-MT), representado na sua maioria pelas empresas avícolas e presidido pelos representantes do Programa de Sanidade Avícola na Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT) e Indea.

 Em 2006, por meio da Portaria 013/06, Mato Grosso cria o Programa Estadual de Sanidade Avícola e em outubro de 2007 foi publicada a primeira Portaria Estadual estabelecendo normas de biosseguridade, biossegurança nas instalações e trânsito, hoje a Portaria Sedraf/Indea nº 003/2014.

COMENTARIOS

Mais de Agronegócios

Algodão

Qualidade das fibras do algodão continua sendo prejudicada

As chuvas moderadas e de forte intensidade, prejudicam a qualidade das fibras, trazendo prejuízos aos produtores.

17 de Agosto de 2018 as 15h31

Tabela De Frete

Tabelamento do preço de frete ainda não é praticado

Entidades se posicionam sobre a falta de diálogo e impactos da Medida Provisória.

15 de Agosto de 2018 as 19h56

Indea

Indea reinaugura unidade em Lucas do Rio Verde

A obra é fruto do termo de cooperação assinado entre o Governo do Estado e o Fundo Emergencial de Saúde Animal do Estado de Mato Grosso (Fesa) e o Fundo Mato-grossense de Apoio à Cultura da Semente (Fase).

10 de Agosto de 2018 as 16h04

Projeção

MT deve se manter na liderança como maior produtor de milho e soja pelos próximos 10 anos

Produção de soja deve passar de quase 32 mil toneladas para pouco mais de 43 mil toneladas. Já a produção de milho no estado deve ter aumento de 45,5%.

07 de Agosto de 2018 as 23h16

Estudo

Exposição ao agrotóxico em MT é seis vezes maior que a média nacional, aponta pesquisa

Dados indicam a presença de resíduos na urina e no sangue de trabalhadores rurais e de professores, urbanos e rurais, dos três municípios pesquisados, e de produtos não autorizados para a cultura em que foram encontrados.

01 de Agosto de 2018 as 22h41

Rebanho Bovino

Sapezal, Campo Novo e Lucas do Rio Verde entre maiores na expansão do rebanho bovino

Atualmente são cerca de 30 milhões de cabeças de gado no Estado.

01 de Agosto de 2018 as 20h52

Veja Mais
Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

TEMPO AGORA

Hoje, Sábado

Lucas do Rio Verde, MT

Tempo limpo

22º

COTAÇÃO