Piso Salarial

CNM diz que municípios não podem pagar novo piso dos agentes de saúde

De acordo com a entidade, os municípios não têm recursos para bancar o aumento.

19 de Outubro de 2018 as 00h 02min

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) fez um alerta sobre o risco do enfraquecimento da Estratégia Saúde da Família após o Congresso Nacional retornar com o reajuste do piso salarial dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias, que havia sido vetado pelo presidente Michel Temer. De acordo com a entidade, os municípios não têm recursos para bancar o aumento.

Ontem (17), o Congresso Nacional derrubou o veto ao reajuste, previsto no projeto de conversão oriundo da Medida Provisória (MP) 827/2018, aprovado em julho. No veto, o presidente Michel Temer justificou que o reajuste criava despesas obrigatórias sem estimativa de impacto orçamentário.

O piso atual de R$ 1.014 passará a ser de R$ 1.250 em 2019 (reajuste de 23,27%); de R$ 1.400 em 2020 (+12%); e de R$ 1.550 em 2021 (+10,71%). O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação, de junho 2014, data do último reajuste, até setembro de 2018, é de 25,46%. A partir de 2022, o reajuste será anual.

O presidente da CNM, Glademir Aroldi, reconhece a importância do trabalho dos agentes de saúde e de endemias, mas disse que os municípios não têm recursos para arcar com o reajuste concedido. Segundo ele, o impacto financeiro será de R$ 9 bilhões para União e municípios, em reajuste e encargos.

“A grande maioria dos municípios está com limite de pessoal estourado, vários já atingiram 80% do orçamento com investimento em pessoal. Os gestores vão acabar diminuindo o número de pessoas na equipe [de Saúde da Família] e têm municípios que podem acabar com o programa”, argumentou. “Corre o risco de isso acontecer, sim”.

Federalização

Com a dificuldade de financiamento do programa, Aroldi propõe a federalização total do Saúde da Família, deixando a gestão local apenas como a executora das ações. “A União, ao longo dos anos, se afastou dos serviços prestados à população e, através desses programas, transferiu a responsabilidade para os municípios. Ela subfinancia esses programas e, ao longo dos últimos dez anos, acabou diminuindo o percentual de investimento em pessoal e nós, nos municípios, aumentamos consideravelmente. Isso tem machucado muito a gestão municipal”, afirmou.

O governo federal cobre 95% do pagamento do piso salarial dos agentes comunitários de saúde e de endemias, até um número máximo de agentes definido para cada município. Segundo Aroldi, hoje o país conta com 43 mil equipes de Saúde da Família com 244 mil agentes de saúde. “Também estamos preocupados com a desassistência que a população vai ter se tivermos que diminuir o número de agentes”, disse.

Previsão de impacto

De acordo com o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, se o número de agentes de saúde continuar o mesmo, o impacto fiscal do novo piso salarial será da ordem de R$ 1 bilhão em 2019, R$ 1,6 bilhão em 2020, e R$ 2,2 bilhões em 2021. A pasta não esclareceu, entretanto, como esse valor será encaixado no orçamento do próximo ano.

Em mensagem nas redes sociais, a presidente da Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde (Conacs), Ilda Angélica dos Santos Correia, disse que a derrubada do veto traz dignidade para a categoria, ao garantir o reajuste do piso salarial dos agentes. “Aos prefeitos que vieram aqui dizer 'sim' ao veto e 'não' ao reajuste, quero pedir que venham para o nosso lado para que possamos dar condições dignas de saúde para o nosso povo”, disse.

A Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Saúde e aguarda o retorno da assessoria.

Revisão do programa

A Estratégia Saúde da Família é o modelo prioritário de atendimento na atenção básica de saúde do Sistema Único de Saúde e é composta por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem e agente comunitário de saúde. Entretanto, no ano passado, o Ministério da Saúde editou uma portaria de revisão da Política Nacional de Atenção Básica, possibilitando que o governo federal financie outras equipes de atenção básica, de acordo com características e necessidades locais, desde que tenham, ao menos, médico, enfermeiro e técnico de enfermagem.

Mesmo sem a obrigatoriedade de essas equipes terem agentes comunitários de saúde, para não haver prejuízo à população que mais precisa, as áreas de risco e vulnerabilidade não sofreram com a mudança da política. Nesses locais, o número de agentes comunitários deve ser suficiente para cobrir 100% da população, sendo um agente para cada 750 pessoas, considerando critérios epidemiológicos e socioeconômicos. Os agentes comunitários de endemia também podem compor as equipes com os de saúde, integrando as ações de vigilância em saúde com atenção básica.


Fonte: Agência Brasil

COMENTARIOS

Mais de Brasil

Lei Rouanet

Lei Rouanet deverá ter teto de R$ 1 milhão por projeto, diz Bolsonaro

Presidente diz que pretende "alavancar" artistas menos conhecidos

18 de Abril de 2019 as 22h53

Fraude

Seguro-defeso tem fraude em 65% dos benefícios, diz Bolsonaro

Presidente cita gasto de R$ 2 bi e cofirma recadastramento

18 de Abril de 2019 as 22h51

Terrorismo

Invasão de terra tem que ser tipificada como terrorismo

Presidente defendeu que proprietários possam reagir a invasões

18 de Abril de 2019 as 22h49

Moradia

Governo Federal garante investimentos para continuidade do Minha Casa, Minha Vida

Articulação dos titulares da Casa Civil e do Ministério do Desenvolvimento Regional assegurou o montante de R$ 800 milhões para o Programa. Tema é prioridade da União

18 de Abril de 2019 as 22h46

Educação

Portaria do Enade 2019 define os cursos avaliados neste ano

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes é usado para avaliação dos cursos de ensino superior no Brasil

18 de Abril de 2019 as 22h44

Fraude

PF faz operação contra quadrilha acusada de fraudar seguro-desemprego

A Polícia Federal afirma ter identificado 408 empresas de fachada que eram usadas para fazer o recebimento do benefício por meio de fraudes

15 de Abril de 2019 as 09h33

100 Dias

Assinados 18 atos para modernizar e desburocratizar o país

Iniciativa fez parte do evento de cumprimento das 35 metas estabelecidas para os primeiros cem dias de trabalho do Governo Federal

15 de Abril de 2019 as 09h25

Defesa

Novo caça supersônico da FAB contribui para desenvolvimento tecnológico brasileiro

Gripen F-39 está sendo desenvolvido para atuar na defesa do espaço aéreo brasileiro

11 de Abril de 2019 as 09h44

Temporal

Rio entra em estágio de crise, com risco de alagamento e deslizamento

O estágio de crise é o terceiro nível em uma escala de três e significa chuva forte a muito forte nas próximas horas, podendo causar alagamentos e deslizamentos de pedra e terra das encostas.

08 de Abril de 2019 as 22h59

Loterias

Mega-Sena acumula e prêmio estimado vai a R$ 40 milhões

O sorteio foi realizado na noite desse sábado (6) no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo.

07 de Abril de 2019 as 15h26

Energia Elétrica

Brasil não terá horário de verão

Estudos mostram que política de economia não era mais eficiente.

07 de Abril de 2019 as 15h11

ENEM

Inep publica Edital do Enem 2019 e anuncia melhorias na segurança

Exame também contará com um novo sistema de inscrição

07 de Abril de 2019 as 15h05

Imunização

Brasil adota “imunização e vacinação” como tema do Dia Mundial da Saúde

A escolha pretende alertar o mundo sobre a importância de manter a vacinação para prevenir doenças já eliminadas no mundo

07 de Abril de 2019 as 15h04

Tragédia

Vale não descontará pagamento emergencial da indenização individual

Acordo beneficia atingidos por tragédia de Brumadinho

06 de Abril de 2019 as 00h10

Energia

Brasil não terá horário de verão

Estudos mostram que política de economia não era mais eficiente

06 de Abril de 2019 as 00h08

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

Você concorda com a decisão do TRE que cassou o mandato da senadora Selma Arruda?

Sim

Não

Parcial
veja +

COTAÇÃO