Coluna

Em depoimento na PF, Moro disse que não acusou Bolsonaro de crime

Ele disse aos investigadores da PF e da Procuradoria-Geral da República (PGR) que não acusou Bolsonaro de um crime

Fonte: Rubens Valente | UOL
05 de Maio de 2020 as 14h 29min

Presidente Jair Bolsonaro e ex-ministro da Justiça Sergio Moro. Imagem: ADRIANO MACHADO | UOL

No depoimento que prestou na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba no sábado (2), o ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) em pelo menos duas ocasiões aliviou a carga das acusações contra o presidente Jair Bolsonaro. Ele disse aos investigadores da PF e da Procuradoria-Geral da República (PGR) que não acusou Bolsonaro de um crime e que esse juízo caberá às "instituições competentes".

Para Moro, o relato que ele fez no último dia 24 sobre as pressões de Bolsonaro, quando pediu demissão do cargo, foi uma narrativa de interferência política — que ele confirmou e repetiu aos investigadores no seu depoimento. Assim, ele evitou acusar o presidente diretamente de algum artigo previsto no Código Penal ou na Lei 1979/50, que estabelece os crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente da República.

Na qualidade de ex-juiz federal que ficou anos à frente da Operação Lava Jato, uma acusação criminal direta teria relevância no curso do processo e também em outras esferas que poderão investigar o caso, como o Congresso Nacional.

A opinião de Moro contraria a análise de vários advogados ouvidos pela imprensa ao longo dos últimos dias, que enxergaram crimes de responsabilidade, falsidade ideológica, advocacia administrativa e até obstrução de Justiça como delitos que o presidente pode ter cometido ao ter exigido acesso a relatórios de inteligência da PF e forçado a queda do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo.

Moro se esquiva sobre superintendente da PF no Rio
Em outro ponto que deverá ser explorado pela defesa de Bolsonaro, Moro se esquivou de oferecer uma explicação sobre as pressões evidenciadas publicamente em agosto de 2019 pelo próprio presidente para a substituição do então superintendente da PF do Rio de Janeiro, o delegado Ricardo Saadi. No depoimento, Moro se limitou a dizer que não sabia os motivos e que a pergunta deveria ser dirigida ao próprio Bolsonaro.

Com essa posição, Moro deixou a cargo dos dois delegados intimamente relacionados ao episódio, Saadi e Valeixo, então diretor-geral da PF, uma outra explicação que não seja a versão oficial de Bolsonaro. Ricardo Saadi não falou publicamente sobre as razões de sua saída, que foi concretizada dois meses depois.

A decisão de Moro de amenizar a carga sobre supostos crimes cometidos por Bolsonaro também pode ser uma estratégia do ex-juiz de aliviar uma acusação futura contra ele próprio. Por essa lógica, poderá dizer que se não enxergou um crime sendo praticado, não teria razão para ter relatado o episódio na época.


COMENTARIOS

Mais de Brasil

Enem

Inscrições para o Enem seguem abertas até quarta-feira

O valor da taxa é de R$ 85 e deverá ser pago até 28 de maio

25 de Maio de 2020 as 09h51

Coronavírus

Casos de covid-19 no mundo ultrapassam 5 milhões

América Latina ultrapassou EUA e Europa na última semana

21 de Maio de 2020 as 09h19

Auxílio Emergencial

Caixa paga hoje primeira e segunda parcelas de auxílio emergencial

Estão inscritas para receber o benefício 50 milhões de pessoas

19 de Maio de 2020 as 09h43

Coronavírus

Termina hoje primeira etapa de levantamento nacional sobre covid-19

Foram testadas 15 mil pessoas em todas as regiões do país

19 de Maio de 2020 as 09h39

Direitos Humanos

Governo lança campanha e pede atenção aos casos de violência doméstica

Registros de violência contra a mulher em abril aumentaram 35%

15 de Maio de 2020 as 16h37

Saúde

Teich diz que deixa pronto plano de trabalho para auxiliar estados

Nelson Teich faz pronunciamento sobre saída do governo

15 de Maio de 2020 as 16h30

Política

Nelson Teich pede demissão do Ministério da Saúde

Teich assumiu o cargo há cerca de um mês, em 17 de abril

15 de Maio de 2020 as 16h28

Combate ao Covid-19

STF destina R$ 153 milhões da Lava Jato para combater pandemia

Estados deverão comprovar a utilização dos recursos

15 de Maio de 2020 as 16h23

Coronavírus

Mundo tem 3,8 mi casos de covid-19; Brasil é 6º em mortes

Balanço é da OMS com dados até a manhã deste sábado

09 de Maio de 2020 as 11h15

Desmatamento

Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas no combate ao desmatamento

Militares atuarão de 11 de maio a 10 de junho na Amazônia Legal

07 de Maio de 2020 as 09h40

Pronunciamento Oficial

Bolsonaro: Moro tem compromisso com seu ego e não com o Brasil

Presidente comentou pedido de demissão do ministro, anunciado nesta sexta após exoneração do chefe da PF, Maurício Valeixo, braço-direito do ex-juiz

24 de Abril de 2020 as 16h56

Demissão de Moro

Sergio Moro pede demissão após troca de comando da Polícia Federal

Saída é reflexo da exoneração de Maurício Valeixo, homem de confiança do ex-juiz da Lava Jato, do comando da PF por Bolsonaro no Diário Oficial hoje

24 de Abril de 2020 as 10h57

Apenas Boatos

Assessoria do ministro Moro nega boato sobre demissão

Os rumores sobre uma eventual saída de Moro do governo foram desmentidos pela assessoria de imprensa da pasta

23 de Abril de 2020 as 15h08

Novo Ministro

Teich diz que isolamento deve ser baseado em informação sólida

Médico oncologista, escolhido por Bolsonaro para substituir Mandetta no Ministério da Saúde, defendeu maior equilíbrio com a área econômica

16 de Abril de 2020 as 18h04

Inovação

IBGE: 33,6% das empresas brasileiras são inovadoras

Taxa de inovação, de 2015 a 2017, ficou abaixo do triênio anterior

16 de Abril de 2020 as 09h32

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO