Redação

Programa Mais Médicos poderá ser revista pelo governo

26 de Julho de 2013 as 06h 18min

 Os dois anos adicionais ao curso de medicina, previstos no Programa Mais Médicos, podem constituir uma residência no Sistema Único de Saúde (SUS). A proposta ainda está em debate, mas, caso seja levada adiante, os dois anos obrigatórios de trabalho em urgência e emergência previstos no programa configurariam a pós-graduação, enquanto a graduação continuaria com seis anos de duração. 

  Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Educação, trata-se de uma possibilidade ainda em discussão técnica. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, mostrou-se simpático à proposta e argumentou que 50% dos estudantes de medicina fazem uma residência após a graduação e a residência no SUS seria uma solução. 

  Considerar os dois anos como pós-graduação também resolveria as dúvidas do Conselho Nacional de Educação. Após reunião, ontem, o presidente da Câmara de Educação Superior do CNE, Gilberto Gonçalves Garcia, falou da inconsistência de uma pós-graduação antes do diploma de graduação. A Medida Provisória que institui o Programa Mais Médicos, ainda está em discussão no Congresso Nacional, e pode sofrer alterações. O prazo máximo para aprovação, ou rejeição, é 120 dias. 

MT Agora

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

COTAÇÃO