Julgamento

A pedido da defesa, júri de Santo Martinello é transferido para novembro

Acusado de violentar e assassinar Alexia Lodi seria julgado no próximo dia 23, mas defesa, alegando problemas de saúde, pediu adiamento.

08 de Setembro de 2015 as 22h 35min

O juiz da Comarca de Lucas do Rio Verde, Hugo Freitas, informou na tarde desta terça-feira (08) que o júri popular de Santo Martinello foi transferido para 10 de novembro. O júri havia sido marcado inicialmente para acontecer no dia 23 de setembro. O adiamento ocorreu atendendo pedido da defesa, que alegou problemas de saúde.
 
De acordo com o magistrado, a transferência foi decidida para cumprir todos os ritos do processo. “O advogado do réu apresentou atestado médico, ele tem um problema de saúde, e não vai poder comparecer no dia do julgamento. Em razão dessa questão processual não vamos conseguir realizar no dia 23”, informou.
 
Desde que assumiu a Comarca, Hugo Freitas tem procurado dar andamento aos processos e garantir a aplicação da lei. Em relação ao caso Santo Martinello, o magistrado pontuou que há a preocupação em ser levado a júri popular, obedecendo aos trâmites processuais para evitar nulidade dos atos.
 
Hugo Freitas acrescentou que o Fórum vem se preparar para a realização do júri popular que, em razão da comoção social gerada com a morte da menina Aléxia Lodi, deve atrair a atenção da comunidade. Com isso, o acesso ao tribunal do júri será controlado, para evitar tumulto e garantir que o corpo de jurados tenha tranqüilidade para analisar as informações que o Ministério Público e a defesa trarão durante os debates. “Obviamente que quando lotar o plenário não vai dar pra ninguém mais entrar e se isso acontecer, infelizmente algumas pessoas vão ter que ficar do lado de fora, isso mais por uma questão de segurança e administração do recinto”, esclareceu. Não há previsão de duração do júri, agendado para iniciar às 8 horas do dia 10 de novembro.
 
Santo Martinello é acusado de assassinar Aléxia Lodi em 12 de junho de 2001. O acusado, na época empresário em Lucas do Rio Verde, teria violentado e asfixiado a menor, encontrada morta pelo irmão Alisson. Martinello chegou a ser detido, mas seis meses depois foi liberado pela Justiça. Após a realização de exame de DNA, ele voltou a ter sua prisão decretada, mas foragiu não sendo mais encontrado. Hoje, o acusado está na lista de lista de procurados da Interpol.

MT Agora - Expresso MT

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

COTAÇÃO