Médicos reivindicam salários atrasados e Prefeitura nega dívidas ao HSL

Profissionais da Saúde não recebem pagamento desde o mês de dezembro e conjecturam paralisação. Gestão Municipal busca solução junto ao Hospital.

10/03/2017 - 10:22:17

   

Não é de hoje que o salário dos médicos que atendem no Hospital São Lucas sofre atrasado. De acordo com o vereador Dr. Jaime Floriano, pediatra, que presta serviço na unidade desde sua fundação, é comum que a diretoria do HSL deixe o pagamento dos médicos muito aquém do esperado, porém, nas últimas semanas o atraso dos repasses tem atingido uma escala maior, tornando-se um verdadeiro ultraje aos profissionais que, nos últimos três meses, atendem a população de forma completamente gratuita.
 
Ao Expresso MT, o vereador Dr. Jaime Floriano (PDT) afirmou que o Hospital São Lucas enfrenta dificuldades por falta de dinheiro. O valor angariado serve apenas para cobrir os custos básicos e pagar os demais funcionários, isso porque o Hospital atende, em sua grande maioria, pacientes do Sistema Único de Saúde, cujos repasses nunca foram suficientes.  Outro fator que gerou impacto nas finanças foi a diminuição contínua de consultas particulares, provocada pelo agravamento da crise econômica e a decadência na infraestrutura interna do HSL. Mesmo diante da situação caótica, os profissionais não deixaram de atender a população luverdense, que continua sendo beneficiada com serviços de qualidade enquanto os médicos sofrem sem receber.
 
“O salário dos médicos sempre foi atrasado, só que, nos últimos tempos chegou a atrasar até quatro meses. Mês passado foi pago novembro, e a gente está sem receber dezembro e janeiro, fevereiro acabou também e deveríamos receber esse último valor agora em março, mas o atraso já alcança o terceiro mês. [...] Nós pediatras, por exemplo, somos dois para tocar os plantões do mês inteiro, é muito puxado, e ainda sem receber um mês, dois meses, três meses e com contas para pagar, tem sido muito difícil. Nossos colegas estão desanimados, mas mantemos a esperança, temos fé que as coisas vão entrar no prumo” – desabafou Dr. Jaime. 
 
A Prefeitura Municipal e os repasses ao HSL
Nos últimos dias, após a propagação do atraso no pagamento dos profissionais que prestam serviços ao HSL, um grande embate foi instaurado pela população luverdense a cerca do Hospital São Lucas e da Prefeitura Municipal. Atoardas de que haveria dívida por parte do poder público municipal e negligência à unidade de saúde.
 
Em conversa com o secretário de saúde Jean Machado, afirmou veementemente que não há nenhuma dívida por parte da Prefeitura Municipal ao que se refere ao convênio firmado entre ambos. O secretário assegura que todos os repasses estão em dia, sendo o último entregue no dia primeiro (1º) de março.
 
“A prefeitura compra serviços do Hospital e tem sua parcela de responsabilidade sim, mas não se pode esquecer que se trata de uma instituição filantrópica. O que é de competência do poder público está sendo feito com muita seriedade. Nós temos um convênio, uma parceria firmada e estamos cumprindo com nossas responsabilidades e efetuando os repasses ao Hospital. O que posso garantir sem dúvida alguma, é que a prefeitura municipal não deve um centavo ao Hospital São Lucas” – declarou Jean Machado.
 
Segundo o secretário de saúde e os vereadores, a tal dívida da prefeitura de fato não existe, porém, conforme foi divulgado pelo vereador Jiloir Pelicioli (PDT), o Mano, em sua conta do Facebook, e externado em entrevista pelo vereador Dr. Jaime Floriano, situações agravantes como essas não ocorriam anteriormente porque as gestões passadas contribuíam com o HSL por meio de doações, um valor atribuído ao Hospital além do repasse obrigatório estipulado no convênio. 
 
“[...] Outra situação é em relação aos contratos com a prefeitura, o hospital sempre atende a mais do que é acordado com o município. As dificuldades financeiras do HSL não são por falta de gestão, vêm desses atendimentos que são realizados e que não estão sendo pagos. A diferença em relação à gestão passada, é que o município arcava com esse déficit [...]” – externou o vereador Jiloir Pelicioli em rede social.
 
“Qual a nossa cobrança ao prefeito? Auxílio. Porque nas gestões anteriores, dos prefeitos Otaviano e Miguel, Marino, sempre houve ajuda, mesmo quando não cabia à prefeitura fazer isso. Por quê? Porque os pacientes que atendemos em sua grande maioria são do SUS, são do município e a prefeitura tem responsabilidade” – disse o vereador Dr. Floriano.
 
No momento, o que se espera da gestão atual é a mesma postura que nas administrações anteriores, auxílio e contribuição voluntária ao Hospital, buscando arcar com os custos extras de pacientes que ultrapassam o estipulado no convênio firmado entre a entidade e a prefeitura. Na última terça-feira (07), o prefeito Luiz Binotti reuniu todos os profissionais que prestam serviço de plantão ao Hospital São Lucas, cerca de 30 médicos, para discutir melhores condições de trabalho. Binotti se comprometeu a ajudar o Hospital a quitar os salários atrasados e efetuou o repasse referente à folha de novembro.
 
“O prefeito chamou os médicos para uma conversa, agora ele vai mandar um novo projeto pra Câmara, em uma semana ou duas, uma ação de urgência, e pelo que foi discutido na reunião, a prefeitura vai pagar os salários de dezembro, pagou de novembro e deve quitar o do mês doze. Ele também se comprometeu a zerar os pagamentos até a metade do ano, e por fim, tentar manter os salários sempre em dia. Foi um compromisso dele e nós continuaremos colaborando com o Hospital” – afirmou Floriano.
 
À nossa equipe, o vereador também explicou que uma carta será redigida solicitando melhorias no Hospital e ao que se refere à greve, por enquanto é apenas uma hipótese.
 
“É difícil para um médico entrar em greve, porque quando o profissional vai fazer uma paralisação não pode deixar os setores de emergência desassistidos, além de que precisa redigir e enviar uma carta ao Conselho Regional de Medicina avisando que haverá paralisação, e isso aí tem tempo. A princípio, nós vamos enviar uma carta pedindo melhorias, uma modificação no Hospital e para apressarem o nosso pagamento” – conclui o vereador.
 
O esperado é que a situação seja totalmente resolvida até junho ou julho deste ano sem necessidade de greve, e que a problemática dos salários atrasados não retorne.
 
HSL
Por se tratar de uma entidade filantrópica, o Hospital São Lucas sobrevive primeiramente de doações, tanto de pessoas físicas como jurídicas. Contudo, a entidade também pode recorrer aos recursos públicos, efetuando convênios, parcerias e solicitando auxílios e subvenções aos governos municipal, estadual e federal, autarquias e sociedade de economia mista. Atualmente, o HSL registra aproximadamente R$ 3 milhões em dívidas, além do amparo e suporte assegurados pela prefeitura municipal, a instituição carece de parcerias com iniciativas privadas e de mais doações, como defendido pelos vereadores, o Hospital São Lucas também necessita do apoio de toda a população luverdense.

MT AGora - Kimberly Schäfer | ExpressoMT

Mais Noticias

Greve

Manifestantes trancam BR-163 na região de Lucas do Rio Verde

Recurso

Prefeitura cria Conselho do Fethab para discutir aplicação de recursos

Organização

Esporte promove reunião com grupo de mobilizadores de artes marciais

Parceria

Binotti busca parceria com Governo do Estado para obras de infraestrutura

26/04/2017 -

Raimundo Dantas assume vice-presidência da Assemae Regional Norte

A nova diretoria regional pretende trabalhar para combater o assédio do setor privado e fortalecer os serviços municipais

24/04/2017 -

Prefeitura lançou o projeto Brique na Praça em Lucas

O Brique na Praça será realizado toda quarta-feira e sábado, das 17h às 21h, na Praça dos Migrantes, no Centro.

21/04/2017 -

UAB e UFMT promovem aula inaugural dos cursos de Matemática e Administração Pública

Os cursos atenderão 100 novos acadêmicos, sendo 50 em Matemática e 50 em Administração Pública

21/04/2017 -

Equipe da prefeitura e vereadores aprofundam discussões sobre RGA

Durante o encontro, a equipe técnica apresentou os estudos das propostas

21/04/2017 -

Abelhas se agitam em ventania, atacam moradores e matam três cachorros

Ataque ocorreu no início da noite desta quinta-feira em Sorriso (MT). Segundo os bombeiros, os três cachorros são da mesma família.

20/04/2017 -

Procon do município orienta sobre novo golpe da lista telefônica

O horário de atendimento do Procon de Lucas é das 7 às 11h

20/04/2017 -

União Faz a Vida promove oficina para professores do município

Em 2016 o programa envolveu cerca de 600 professores, 20 escolas e 15 mil alunos

20/04/2017 -

Prefeitura de Lucas do Rio Verde lança Campanha do IPTU 2017

Os contribuintes que fizerem o pagamento do IPTU em cota única até 15 de maio terão desconto de 30%

20/04/2017 -

Aprovado projeto de lei que tornará Lucas a capital da agroindústria

A ideia foi do prefeito Luiz Binotti que almeja trazer mais indústrias para o município

19/04/2017 -

Conselho e prefeitura divulgam lista dos pré-aprovados do Residencial Vida Nova I

A lista é composta por 350 nomes pré-aprovados e mais 105 de cadastro reserva

18/04/2017 -

Lista dos pré-selecionados do Programa Habitacional Vida Nova I será divulgado amanhã

Serão divulgados os nomes dos 350 pré-selecionados e dos 105 do Cadastro Reserva.

18/04/2017 -

1ª Conferência Municipal de Saúde das Mulheres reúne dezenas de participantes

A conferência está sendo realizada na Câmara de Vereadores e segue até às 17h

18/04/2017 -

Condomínio Rosa em parceria com a Prefeitura vai realizar o "Dia D"

O Condomínio Rosa está localizado na Av. Ângelo Dall’Alba, n. 1.777, Parque do Buritis

14/04/2017 -

Prefeitura e Sindicatos iniciam discussão do reajuste salarial de 2017 para os servidores públicos

Os representantes dos Sindicatos e do Poder Executivo seguem em reunião na próxima segunda-feira (17)

13/04/2017 -

Poder Executivo apresenta sugestões para regularizar Chácara Bom Jesus

No local, residem 69 famílias, que atualmente não podem ser atendidas com nenhuma infraestrutura