Expolucas 30 Anos

Rodeio agita o público da Expolucas 2018

A competição entre os peões aconteceu entre os dias 02 e 05 de agosto, durante a Expolucas Especial 30 Anos.

06 de Agosto de 2018 as 19h 42min

“É uma alegria imensa fazer parte deste mundo, não somente pela oportunidade que temos em conhecer o Brasil inteiro, mas principalmente pelas histórias e pelas experiências que levamos de cada canto que visitamos. Hoje o rodeio deixou de ser apenas um entretenimento para se tornar uma nicho econômico importante e sermos integrantes disso tudo deixa cada um de nós extremamente feliz e orgulhoso”. Com estas palavras começou a entrevista que Renato Bavaresco, presidente da Federação Mato-grossense de Rodeio, concedeu com exclusividade ao Portal da Cidade no último dia da Expolucas 30 Anos.

Sem parar um só instante, atendendo peões, tirando fotos, verificando animais, conversando com a arbitragem, observando as reações do público, Bavaresco comenta que o conceito de rodeio evoluiu muito no Brasil nos últimos 30 anos.

“Antes o rodeio era visto apenas como um esporte rústico do interior, mas hoje somos responsáveis por movimentar de forma direta, todos os anos, uma quantia de aproximadamente R$ 150 milhões somente no estado de Mato Grosso; temos campeões daqui que foram para competições continentais e mundiais; nos tornamos a atração principal em muitos eventos relevantes em todo o Brasil”, comenta.

Citando parte do alcance econômico que o rodeio tem, Renato cita o fato que em cada cidade visitada há a procura por hotéis, restaurantes, postos de combustível, lojas de moda country, além dos empregos diretos gerados pelas empresas que instalam os telões, as arquibancadas, que fornecem os fogos de artifício.

“Estamos plenamente inseridos dentro da indústria do entretenimento, mas sem perder nosso caráter familiar. É muito bom saber que ainda hoje, mesmo com o crescimento do rodeio, as famílias continuam a vir junto para assistir os shows, a competição, participar das brincadeiras... isso nos mostra que sempre estivemos no caminho certo”, disse.

Seleção de peões
Cada peão, para fazer parte de uma boa companhia de rodeio, precisa encarar uma rotina diária que vai muito além da lida com os animais. Bavaresco conta que os principais peões do Brasil e de Mato Grosso seguem uma rígida regra que engloba alimentação balanceada, horas de sono bem aproveitadas, exercícios físicos constantes acompanhados por profissionais qualificados e especializados.

“Assim como em outros esportes, onde existem os olheiros que visitam outras localidades procurando jovens talentos, também buscamos atrair para os principais campeonatos aqueles rapazes que se destacam em campeonatos menores. É uma carreira, como qualquer outra, onde os melhores sempre vão se destacar e serão chamados para desafios à altura de seu talento. Além disso, sempre deixamos algumas vagas abertas para concorrentes locais que queiram participar do evento. Em Lucas do Rio Verde, por exemplo, contamos este ano com quatro competidores da cidade [...] infelizmente eles não subiram ao pódium dessa vez, mas isso não significa que será sempre assim”, conta Bavaresco.

Palhaço, com orgulho
Outra personagem que se tornou tão importante na arena quanto os touros e os peões é o palhaço.

Há treze anos na profissão, Leonardo Vieira, o palhaço Paçoca, entrou para o mundo do rodeio como peão, mas depois de um acidente que o impossibilitou de montar, resolveu se entregar de corpo e alma à alegria do público.

“Nastas duas últimas duas décadas houve uma grande evolução no trabalho do salva-vidas dentro da arena. Hoje nós buscamos fazer parte do show como um todo, procuramos nos aprimorar, nos tornamos atores profissionais, investimos em figurino, nos empenhamos para trazermos o público para dentro do evento, não importando seu tamanho [...] nós buscamos força sempre em Deus e procuramos fazer tudo com muita alegria para que o público se sinta prestigiado”, confessa Paçoca.

Números de Mato Grosso
Segundo informa a Federação Mato-grossense de Rodeio, atualmente o estado de Mato Grosso tem uma das maiores estruturas nacionais e se tornou referência para todo o Brasil, tendo o campeonato estadual mais antigo e sendo o maior produtor de touros para rodeio do País, com mais de 120 criadores credenciados que fornecem animais que serão montados por mais de 1,2 mil competidores.

Dados fornecidos à nossa reportagem ainda destacam que, todos os anos, são oferecidos mais de 40 cursos gratuitos para atletas e aos prestadores de serviço em todo o estado. “Há trinta anos, por exemplo, para que uma estrutura como essa que vimos na Expolucas fosse montada, quase toda a mão de obra vinha de fora, hoje temos quase todos os nossos colaboradores e parceiros vivendo aqui em nosso estado”, conclui Bavaresco. 

Campeões
Nas disputas entre as companhias de touros e na escolha de melhor animal, a Cia. Pai Herói de Tangará da Serra levou os dois troféus; já entre os peões que disputaram a etapa de Lucas do Rio Verde, o grande vitorioso foi Bruno Machado, de São José do Rio Claro, que somou 262,25 pontos.

O peão Bruno Machado, 20 anos, há dois anos como atleta profissional, comentou que  “o nível em Mato Grosso é o mais alto e competitivo do Brasil. Não é fácil competir aqui e eu fico muito feliz de ter vencido aqui em Lucas do Rio Verde, uma das etapas mais disputadas, com peões muito fortes [...] é uma honra pra mim. Tenho que agradecer a Deus e à minha família pelo apoio e posso garantir que vou continuar montando até a hora que Deus disser que chega”.

Os outros lugares do pódium foram ocupados por: Emerson Cardoso (Paranavaí - PR); Edilson Paixão (Poconé - MT); Keysson Ferrazza (Tangará da Serra - MT); Luiz Augusto da Silva (Itaúba - MT) e Bruno Lima (Nova Olímpia - MT).

Fonte: José Boas | Portal Da Cidade

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

COTAÇÃO