Campanha contra Hantavirose

Secretária de Saúde anuncia campanha para prevenir novos casos de hantavirose

Fernanda Dotto diz que município pediu apoio do Estado que vai encaminhar técnicos para análise de propriedades rurais de Lucas

02 de Março de 2014 as 11h 20min

A morte do homem que contraiu hantavirose em Lucas do Rio Verde neste sábado (01) levou a Secretaria Municipal de Saúde a pedir apoio do Governo Estadual para levantamento de possíveis locais de contaminação. O homem, de 34 anos, estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Regional de Sorriso desde o último dia 9 de fevereiro. Ele deve ser sepultado neste domingo em Lucas do Rio Verde.

De acordo com a secretária de Saúde de Lucas, Fernanda Dotto, todos os procedimentos após o registro da doença foram adotados. Equipes da Vigilância em Saúde estiveram na propriedade, quando averiguaram as condições sanitárias do local e orientaram os trabalhadores sobre os cuidados que devem tomar ao manusear equipamentos de trabalho. A hantavirose é transmitida através da inalação do vírus, secreções e escretas (fezes, urina e saliva) do rato silvestre. Foi o primeiro caso registrado em Lucas do Rio Verde.

“Nós já notificamos o Estado, solicitamos dele, também, um amparo técnico para nos auxiliar sobre como proceder para efetuar inspeções em locais com mais tendências à contaminação. Na semana do dia 17 de março eles estarão aqui, com uma equipe do Estado, para acompanhar nossa equipe de Vigilância em Saúde nas demais fazendas aos arredores, para estar fazendo essa orientação”, informou Dotto.

Outra providência da secretaria será realizar uma campanha no sentido de orientar a população. Fernanda Dotto lembrou que apesar de Lucas contar com uma área de mata no perímetro urbano, os riscos são menores. Mesmo assim, o trabalho será intensificado para alertar os moradores para prevenir possíveis casos.

A doença
Também conhecida como Febre Hemorrágica com Síndrome Renal ou Febre do Songo, a Hantavirose é mais comum entre os moradores da área rural, principalmente entre os trabalhadores encarregados da limpeza de paióis, celeiros e galpões para o armazenamento de alimentos e ração.

Os principais sintomas da doença são febre, dores abdominais, falta de ar, náuseas e dor de cabeça intensa, que podem ser confundidos com outras doenças. A orientação, segundo a supervisora, é evitar automedicação e procurar a unidade de saúde.

Não existe vacina contra o Hantavírus. No entanto, evitar lugares fechados como galpões e depósitos, vedar o local impedindo a entrada do roedor e manter tudo limpo e organizado para que os grãos não fiquem espalhados no chão, atraindo os roedores, podem reduzir os riscos.

Outra orientação é utilizar sempre os equipamentos de segurança individual, acondicionar bem os alimentos a pelo menos 40 centímetros do chão e manter os recipientes de lixo sempre fechados.

A Hantavirose é uma infecção grave, que pode levar a morte em mais da metade dos casos. Segundo a Secretaria de Saúde, não existe tratamento específico para a doença, por isso são adotadas medidas para o controle dos sintomas causados no organismo. Além da prevenção, o diagnóstico precoce é essencial para a cura.

MT Agora - Expresso MT

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

COTAÇÃO