Artigo: A corrupção é natural?

A corrupção, por seu grau de disseminação e amplitude, está naturalizada e banalizada.

18/10/2017 - 00:03:04

   

Domingo, ao ver trecho de uma palestra de Rodrigo Janot sobre combate à corrupção, uma admoestação me chamou a atenção. O procurador-geral da República afirmou que a “corrupção está naturalizada”.

De fato, o procurador está correto, mas não apenas a corrupção está naturalizada, a violência, a educação de péssima qualidade, a saúde caótica, a pífia segurança pública, entre outros, também estão.

A corrupção, por seu grau de disseminação e amplitude, está naturalizada e banalizada, tanto é verdade que apenas nos importamos com a corrupção quando ela ganha as manchetes dos principais jornais.

Aquela corrupção cotidiana, aquela vaga de deficiente que só por uns minutos você usou, aquele favor junto ao órgão público que lhe permitiu passar à frente da ordem cronológica de atendimento, aquela cola na prova, aquela “mentirinha” para justificar o atraso na entrada ao trabalho, aqueles 100 reais que garantiram seu voto, estas formas de corrupção não nos causam a mesma indignação que a “lava jato”.

Naturalizamos a corrupção e estamos cauterizados em relação a ela. Na verdade, o brasileiro com sua capacidade de adaptação, tem se adequado a esse contexto.

Os mais abastados, assim respondem ao estímulo social: é certo que a corrupção nos toma vagas em hospitais públicos – é tudo ladrão, não vai mudar nunca, façamos um plano privado de assistência médica e hospitalar -; é certo que retira vagas das escolas públicas – é tudo ladrão, não vai mudar nunca, pagamos escola particular -, é certo que impede a estruturação da segurança pública – é tudo ladrão, não vai mudar nunca, contratamos segurança privada -, e assim por diante.

Ou seja, enquanto não for meu filho quem morre na fila do hospital não tem problema, enquanto não for meu familiar o assassinado pouco me importo.

Estamos cauterizados não apenas com o ato de corromper e ser corrompido, mas, sobretudo, com o resultado devastador que a corrupção causa para o meio social.

Sob outro ótica, para aqueles que possuem parcos recursos culturais e financeiros, resta apenas o caos de um Estado que permite que suas riquezas vazem pelas milhares de torneiras da corrupção.

Lamentavelmente, a corrupção social (coletiva) ou estatal (institucional) caracteriza-se pela incapacidade moral dos cidadãos de assumir compromissos voltados ao bem comum.

Vale dizer, hoje os cidadãos mostram-se incapazes de fazer coisas que não lhes tragam uma gratificação pessoal.

Por acreditarmos que nossa chance ao sol vale mais que os benefícios à coletividade, contribuímos decisivamente para este contexto. Você, eu, nós somos responsáveis por isso, ainda que por nossa passividade.

Não podemos tratar esse cenário como típico dos tupiniquins, não podemos acreditar que no Brasil tudo pode.

Corrupção não é normal, corrupção não é a regra!

FELIPE GUERRA é presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Sinop (MT).

MT Agora - Felipe Guerra

Mais Noticias

Artigo

Artigo: Duro golpe na roubocracia

Artigo

Artigo: Persistente serviço à impunidade

Artigo

O legado de Maggi

Artigo

Reinventar-se, o sucesso da profissão

05/03/2018 -

A porta estreita

Passagem do Evangelho de Mateus especialmente importante para todos aqueles que atuam no setor público

05/03/2018 -

Um grande negócio

Tem certo aprendiz de político, que na esperança de impressionar o eleitorado, fantasia de humilde, chora em velório, dança e festeja

05/03/2018 -

Segurança para produzir

Supremo compreendeu que os produtores não podem pagar a conta da mudança de legislação ao longo de décadas

05/03/2018 -

Sonhos e esperanças pro eleitor

A eleição de 2018 virá na esteira de um País naufragado moral, política e economicamente

12/01/2018 -

Artigo: O que é alistamento eleitoral?

No Brasil, o indivíduo poderá se tornar cidadão a partir dos 16 anos, idade a partir da qual lhe é facultado inscrever-se como eleitor e votar.

02/01/2018 -

Artigo: A política

A política tem um espaço apropriado para que ela se dê, e este espaço não é outro, senão o essencialmente humano

02/01/2018 -

Artigo: Esperança para 2018

Mulheres vítimas de delito sexual precisam do apoio das demais. As mulheres se movem, e não é para trás...

02/01/2018 -

Artigo: Você cumpriu as suas metas em 2017?

Sempre há tempo para antecipar o futuro e redirecionar os nossos objetivos, recriar as metas e reorganizar os alvos

21/12/2017 -

Artigo: Prerrogativas dos advogados

Um dos grandes males deste País tem nome e endereço: privilégios. Não se deve mantê-los, mas combatê-los

20/11/2017 -

Artigo: A essencialidade do Auditor Interno

Embora seja uma profissão milenar, o auditor interno vem se tornando cada vez mais essencial dentro de qualquer organização, seja ela pública ou privada.

20/11/2017 -

Artigo | Família: a construção da vida

No exemplo e na coerência dos adultos, os filhos se espelham, constroem o caráter, a identidade e a relação com a vida

20/11/2017 -

Artigo: Responsabilidade civil do médico

A responsabilidade do hospital é objetiva (independe de culpa), e a do médico é subjetiva (depende de culpa)

20/11/2017 -

Artigo: Política versus economia

Neste momento, vivemos a agonia de morte desse sistema político patrimonialista que sempre usou a economia a seu favor

20/11/2017 -

Artigo: A difícil vida do branco, hétero e rico

Até eu quero saber: como é que um cidadão como Ives Gandra Martins consegue viver no Brasil?

16/11/2017 -

Artigo: Quando o digital é nocivo

Vendemos a ideia equivocada de que a tecnologia tem benéficos apenas positivos as nossas vidas

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora