Artigo: Brasil em busca do passado

Estamos no ano de 2017 e as gerações que estão com voz ativa se concentram nos nascidos pós-guerra (1945).

05/10/2017 - 22:19:39

   

As últimas pesquisas de intenção de voto e/ou desejos administrativos no Brasil mostram um antagonismo feroz que apontam aos extremos daquilo que já vivemos em período não muito distante.

De um lado, tem aqueles que gostariam de trazer o militarismo, ou um ditador impositivo para “botar ordem”; do outro, um número considerável de brasileiros que gostariam de reconduzir o ex-presidente Lula ao poder. Como explicar isso?

As ciências do conhecimento e do comportamento humano apontam que, quando sentimos medo ou insegurança em relação a alguma coisa, imediatamente buscamos uma zona de conforto já vivida no passado.

Se encolher, buscar a posição fetal, é um dos comportamentos físicos aparente.

O inverso também é verdadeiro, projetamos para o futuro quando há esperança e a ausência de medo, como afirmava Charles Chaplin, “a vida é maravilhosa se não se tem medo dela”.

Utilizando estes conceitos para o momento vivido na política brasileira, eles ajudam na leitura das últimas pesquisas de intenção de voto e até nos movimentos recorrentes. Principalmente, via redes sociais, onde os nomes mais citados são os do ex-presidente Lula e do deputado “cherife” Bolsonaro, ou até movimentos sugerindo a volta de uma “ditadura militar”.

Estamos no ano de 2017 e as gerações que estão com voz ativa se concentram nos nascidos pós-guerra (1945).

O período de administração do regime militar (1964 a 1985) ocorreu em uma época de um Brasil bastante rural, cujas informações não chegavam, ou quando chegavam eram super filtradas.

Isso sem contar o fato de existirem pouquíssimos assaltos ou roubos a pessoas físicas e, apesar das dificuldades financeira da população, para uma parte significante da sociedade eram períodos de calmaria.

Poucos brasileiros chegavam a faculdade e para quem não estava envolvido em movimentos sociais, partidos políticos e nem tinha parentes engajados, somado a filtragem dos noticiários, na sua maioria radiofônicos, viveram uma “sensação de muita tranquilidade e paz”.

Isso é fato. Leva, inclusive, ao esquecimento das dificuldades dos primeiros anos da década de 80, onde o ex-presidente João Batista de Oliveiras Figueiredo teve dificuldades econômicas e forte descontrole sobre a inflação.

Outro período de baixa turbulência ocorreu na primeira década dos anos 2000, período que esteve no governo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2002 a 2010), já com o país urbanizado, mas navegando na onda do crescimento econômico no Brasil e no mundo, onde as taxas de desemprego caíram vertiginosamente e tivemos muitas pessoas aumentando seu poder de compra.

Apesar do aumento da violência (principalmente urbana), a sensação era de progresso cavalar.

Utilizando os parâmetros do conceitos das ciências do comportamento humano, onde retornar a uma zono de conforto é a primeira atitude diante das dificuldades, verificamos que é até normal esta busca por um déjà vú (o termo é uma expressão da língua francesa que significa "já visto"), ou mesmo uma necessidade momentânea de revisitar o passado.

William Shakespeare escreveu que “nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, pelo simples medo de arriscar”. A verdade é que estamos em um momento de medo e insegurança com relação ao nosso futuro.

As pesquisas vão além de números, mostram a ausência de esperança nas instituições brasileiras e a desilusão com os instrumentos e aparatos protetivos do Estado.

Mas, voltar ao passado não pode ser a saída!

MT Agora - João Edisom

Mais Noticias

Artigo

Artigo: A mineração sob nova ótica

Artigo

Artigo: A terra e o desenvolvimento social

Artigo

Artigo: Deu a louca nas mostras de cultura e ''arte''

Artigo

Artigo: Brasil acolhe refugiados

05/10/2017 -

Artigo: Projeto de futuro

O mundo mudou e vai descentralizar a produção e a verticalização dos alimentos nesses próximos anos

18/07/2017 -

Artigo: A Justiça tem lado?

A mesma régua usada contra Lula e Dilma foi e será usada contra Michel Temer e Aécio Neves?

18/07/2017 -

Artigo: Direito Sistêmico

A 1 ª forma de aplicar o Direito Sistêmico é a postura; não se busca mudar o “o que fazer”, mas o “como fazer”

18/07/2017 -

Artigo: O triunfo da Justiça

O embate judicial não é matéria para covardes; é preciso se alinhar sem receios com a busca irrefutável da verdade

18/07/2017 -

Artigo: Pagamento de boletos fica mais fácil

Quando o devedor fizer o pagamento, os dados do boleto têm de “bater” com os que estão na base

18/07/2017 -

Artigo: Uma sociedade sem ética

Saindo do campo conceitual e caindo num questionamento mais objetivo, a firmeza se reduz

04/07/2017 -

Artigo: O caso do promotor de Guarantã

O que leva alguém a jogar para o alto uma carreira promissora e comprometer a vida pessoal?

04/07/2017 -

Artigo: Compliance e agronegócio

Voltar a crescer, com responsabilidade e sustentabilidade, é fundamental para todos os setores da economia

27/06/2017 -

Artigo: Recall presidencial

Parece-me apressada e inadequada, neste momento histórico, a pretendida implantação de recall presidencial

27/06/2017 -

Artigo: Como auxiliar os jovens

As mídias sociais, filmes e tudo que acontece ao redor exercem influência sobre os jovens, e faz com que eles se cobrem mais

27/06/2017 -

Edital de convocação para assembléia de fundação da Associação Acadêmica Luverdense

Convite para participação em assembleia em que será discutido o projeto de estatuto social e criação da Associação Acadêmica Luverdense - AAL

27/06/2017 -

Artigo: Delação premiada: impunidade?

A delação passa a ser considerada como prova quando o delator incrimina um terceiro e prova suas afirmações

27/06/2017 -

Artigo: O ser voluntário

Muito além dos likes nas redes sociais, o ato de se colocar à disposição do próximo por amor faz bem à saúde

06/06/2017 -

Artigo: Turismo e meio ambiente devem caminhar juntos

O Estado vive um momento importante em que colocou a temática ambiental como estratégia nas suas políticas públicas

06/06/2017 -

Artigo: Se Temer cair, haverá eleições?

As novas eleições devem ser diretas, ou seja, pelo povo, e não pelos parlamentares

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora