Artigo: Conforto dos animais

Os criadores não teriam resistência em adaptar-se ao aumento do espaço para os animais, desde que vendessem mais caro

06/06/2017 - 05:54:34

   

A criação moderna de aves, suínos e vacas leiteiras etc. busca ganhos de produtividade somente possíveis com a imposição de algum desconforto a esses animais.

Exemplo claro é a limitação do espaço físico para as galinhas poedeiras, que vivem em gaiolas de 40cm x 40cm, sem espaço suficiente até para bater as asas, hábito comum entre suas felizes parentes caipiras, criadas em áreas livres. Também às porcas criadeiras são destinadas baias mínimas que lhes dificulta ou impede os mais triviais movimentos.

Nada de comer grama ou fuçar a terra na busca de minhocas e outras guloseimas que alegram a vida das suas primas moradoras da roça. Há ainda o sofrimento imposto às vacas, quando através da seleção genética, induzimos o aumento constante da “fabricação” de leite. Este aprimoramento leva a um crescimento anormal do úbere, onde fica armazenado.

Alguns animais produzem 50 / 60 litros de leite dia, chegando em casos especiais a atingir 100 litros em 24 horas. O peso extra que as vacas carregam causa grande desconforto. Basta ver a dificuldade delas para caminhar ou deitar, principalmente antes da ordenha. Entretanto esses procedimentos não levam necessariamente a um lucro maior aos produtores, mas sim a um barateamento dos alimentos para o consumidor.

Há 60 anos gastávamos em média 60% do salário em alimentação, hoje, com técnicas aprimoradas, passamos a consumir não mais que 30% do ganho mensal para comprar os alimentos necessários. A corrida por processos mais eficientes de manejo acelera a produtividade em ambientes menores, diminuindo os custos. Entretanto quando disseminados entre os pecuaristas a produção aumenta e os preços caem.

É possível melhorar a vida das vacas, porcas e galinhas. Isso não implicaria em perda de ganhos para os produtores, mas certamente aumentaria o preço dos produtos nos supermercados. Por exemplo, para ofertarmos espaço confortável para as galinhas, teríamos que triplicar ou quintuplicar a área construída, aumentar os gastos com mão de obra e pagar muito mais pela energia elétrica gasta no aviário.

Estes aumentos seriam repassados no preço final do ovo. O mesmo raciocínio vale para os suínos e os frangos de corte, que também são amontoados em galpões até o dia do abate. Creio que os criadores não teriam resistência em adaptar-se ao aumento do espaço para os animais, desde que vendessem mais caro a produção, preservando as margens de lucro que são muito espremidas. Leis que definam espaços maiores para os animais encontrarão muitas resistências, porém não são impossíveis. Afinal a benvinda ideia de minorar o sofrimento dos animais prospera rapidamente no mundo.

Percebe-se que cada vez mais o humanos preocupam-se com bem estar dos animais. Alguns, entretanto, com exagero, lhes atribuem sentimentos semelhantes aos nossos. Só falta emprestar-lhes também alma, com garantia do paraíso celestial quando extinguir a vida terrena.

Renato de Paiva Pereira é empresário e escritor renato@hotelgranodara.com.br

MT Agora - Mídia News

Mais Noticias

Artigo: Turismo e meio ambiente devem caminhar juntos

Artigo

Artigo: Se Temer cair, haverá eleições?

Artigo

Artigo: Política X Política

Artigo

Artigo: A renovação do sistema político

01/03/2017 -

Artigo: Carnaval, corrupção e santa

No final das contas, até a Igreja Católica, conhecida pelo conservadorismo, este ano se rendeu ao Carnaval

01/01/2017 -

A importância do Coaching na formação da carreira e no Desenvolvimento Humano

O processo de coaching estimula a capacidade das pessoas de se reinventarem e encontrarem alternativas adequadas, diante do atual momento que estão vivendo.

20/02/2017 -

Artigo: A patricinha não estuda história

Quem nasceu em um ninho de cobras é fácil e dizer que “a oposição tem chances reais de vencer em 2018”

13/02/2017 -

Arrigo: Cuiabá 300 anos

Cuiabá está no rol que envolve poucas cidades brasileiras com tempo de fundação próximo ou superior a 300 anos.

09/02/2017 -

Artigo: Corporações e a barbárie

...Neste momento, a banda dos pobres voltou-se contra a banda dos ricos e estabeleceu o crime da barbárie...

08/02/2017 -

Artigo: Obesidade, um tema palpitante

O sedentarismo representa um dos fatores que tem como resultado final o excesso de peso

24/01/2017 -

A inoperância dos operantes

Vamos continuar nossa briga para que consigamos receber do Estado pelo menos o mínimo.

17/01/2017 -

Investir na Juventude é garantir o presente e o futuro

O que a juventude reivindica agora, será refletido no futuro. Investir em qualidade de vida para os jovens hoje, fará com que eles se sintam cada vez mais integrados com o Município, despertando um sentimento que parece perdido.

10/01/2017 -

Flávio Stringueta: O "Negócio da China"

Pensemos na seguinte frase: o candidato menos ruim também é ruim.

28/12/2016 -

Cooperativismo de crédito e função social

No Dia Nacional do Cooperativismo de Crédito, comemorado em 28 de dezembro, esse discurso ganha força e mostra que é eficiente tanto na teoria quanto em sua atuação prática.

29/12/2016 -

A baixa competitividade do Brasil

Por José Luiz Tejon Megido, Conselheiro Fiscal do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS), Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM, Comentarista da Rádio Jovem Pan.

21/12/2016 -

Vinhos para as festas de Final de Ano!

Para harmonizar vinhos e pratos, torna-se importante levar em consideração os ingredientes que cada preparação culinária inclui.

09/12/2016 -

Procon orienta consumidores sobre direitos em caso de dano elétrico a equipamentos

Danos elétricos a equipamentos devido a descarga, queda ou oscilação de energia são mais comuns do que se imagina, especialmente no período das chuvas

26/10/2016 -

Quero me divorciar! O que fazer?

Quando a decisão está tomada e é inevitável o divórcio, é necessária a contratação de um advogado, melhor ainda se for especialista em Direito de Família

26/10/2016 -

Download de material gratuito: posso ser preso por isso?

Poderíamos fazer várias analogias para melhor trazer à compreensão o tema ao leitor comum