Coluna

Artigo: Por que nem todos são filhos de Deus?

A infância passou, as coisas de criança ficaram para trás e constatei que nem todos são filhos de Deus.

Artigo | 29 de Agosto de 2018 as 20h 08min
Fonte: Eustáquio Rodrigues

Quando era criança eu costumava ouvir essa expressão: “vou descansar porque também sou filho de Deus”. Eu imaginava, claro, que independentemente de quem fossem ou o que fizessem, todos eram filhos de Deus. A infância passou, as coisas de criança ficaram para trás e constatei que nem todos são filhos de Deus.

Primeiramente vamos definir de que Deus estou falando. Falo daquele Deus lá da Bíblia (do Antigo e Novo Testamento, tá?), o Deus que inicialmente escolheu o povo judeu para ser um povo especial e posteriormente abriu essa condição para todos os outros povos da terra mediante um requisito. Esse requisito, já adianto: não é título de nobreza, não é dinheiro, não é terra, não é beleza, não são obras, não é nada além de fé em Jesus Cristo. E tudo de graça, mediante a graça.

Pois bem, esse mesmo Deus criou tudo que existe. E quando eu digo tudo, é tudo mesmo, sem exceção. Ah, mas eu criei um boneco de neve (sim, mas não criou a neve); ah, eu criei um carrinho de rolimã (mas não criou a madeira); ah, mas eu criei um artesanato de barro (mas não criou o barro). Se esse mesmo Deus criou tudo, obviamente tudo e todos são criaturas de Deus. E ser uma criatura não necessariamente o torna um filho. Seu boneco de neve não é seu filho, nem seu rolimã e nem seu artesanato são seus filhos. É tudo “criação” sua, nunca serão seus filhos no sentido estrito (você pode até ter um carinho natural por eles, como você tem um carinho pelo seu cachorro, mas nunca serão filhos). Filhos são gerados por nós. Eu sou filho do meu pai e mãe, pois me geraram. Você é filho de seu pai e sua mãe, pois geraram você. Os políticos são filhos de pais e mães - não as mães de reputação duvidosa, mas suas mães de verdade – pois foram gerados por eles.

Assim sendo, pode-se afirmar que, a despeito de todas as suas criaturas, Deus teve um único filho aqui na terra: Jesus Cristo, gerado especial e diretamente pelo Espírito Santo (lembre-se que o Deus da Bíblia, o Deus dos judeus é uma trindade – Deus pai, o Filho e o Espírito Santo). Então, o Espírito Santo “fecundou” Maria para que esta pudesse gerar uma criança que seria o Deus Filho ou o Filho de Deus. Tá difícil de entender essa parte? Não importa, o que importa é que você entenda que o único Filho de Deus aqui na terra foi Jesus Cristo – o qual ainda vive até hoje, graças a Deus (o pai).

Daí vem a má notícia: nem todos são filhos de Deus, pois não foram gerados por Ele. Somos meras criaturas, geradas por nossos pais, que foram gerados por nossos avós, que foram gerados pelas bisavós e que milhares de etc. antes foram gerados pelo primeiro casal, criado por Deus. E como todos sabem, somente são herdeiros os filhos (não, nem seu boneco de neve, nem o rolimã e nem o artesanato herdarão alguma coisa). Portanto, os que não são filhos de Deus não herdarão sua herança, que nada mais é que desfrutar agora e a eternidade ao Seu lado em paz, amor, tranquilidade, alegria, luz e tudo o mais que você pensar a respeito de Deus (o Deus da Bíblia).

Mas agora vem a boa notícia. Sabe aquela traquitana que você criou, que mesmo se tornado uma geringonça você passou a gostar, a sentir um carinho especial por ela, a ponto de querer guardá-la pelo resto da vida com você? Pois é. Aconteceu o mesmo com Deus. Deus amou tanto essas criaturinhas (nós), mas tanto mesmo que bolou um plano para que todos nós (criados inicialmente perfeitos, mas que contaminados pelo pecado e pela desobediência tornaram-se imperfeitos, verdadeiros trastes mesmo) pudéssemos nos tornar seus filhos. E nem é um plano mirabolante, como os planos do Cebolinha ou os planos dos vilões de James Bond. É um plano muito simples que você, eu, qualquer pessoa pode fazer parte para deixar de ser uma criaturinha e se tornar um filho de Deus. É simples, mas é preciso algo essencial: ter fé.

O plano foi o seguinte: Deus enviou seu único filho (lembram-se Dele lá no parágrafo 4?) para nos ensinar como ser um Filho de Deus. Deus falou assim: “Jesus, vai lá e mostra para esse povo como eles devem agir e o que devem fazer para se tornarem Seu irmão, um filho Meu”. E Jesus veio e nos ensinou tudo direitinho amando a Deus sobre todas as coisas e amando ao próximo como a si mesmo. E ainda disse: “creiam em mim, em tudo o que eu fiz, sejam iguais a mim e sigam-me. Fazendo isso vocês se tornarão meus irmãos na herança e verdadeiros filhos de Deus. ” Daí o que acontece se você crer (mas crer de verdade) nisso? Você nasce de novo! Mas nasce espiritualmente (não, não me diga que você imaginou um parto de um adulto nove meses depois), com um espírito novo (não é um espírito recauchutado, consertado ou reformando, é novo!), gerado também pelo Espírito Santo de Deus. Que maravilha, pois “eis que tudo se faz novo em sua vida”.

E esse é o plano. Viu como era simples mesmo? E ainda é muito simples. Basta crer em Jesus Cristo como nosso Salvador. Sim, aquele Jesus que morreu na cruz e ressuscitou no terceiro dia (está tudo escrito na Bíblia, não é lorota minha). Somente por meio Dele é que deixamos de ser esses soldadinhos de chumbo aqui na terra e nos transformamos plenamente no Filho do Deus vivo. A partir daí você poderá dizer, de fato: vou descansar porque também sou filho de Deus.

 

EUSTÁQUIO RODRIGUES FILHO é servidor público e escritor.

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

TEMPO AGORA

Hoje, Quarta Feira

Lucas do Rio Verde, MT

º

COTAÇÃO