Com déficit de R$ 38 bilhões, contas do governo voltam ao vermelho em novembro

No ano, contas do governo acumulam rombo de R$ 94,15 bilhões, o pior de toda a série histórica. Tesouro anunciou revisão da meta fiscal de 2016 para um déficit de R$ 167,7 bilhões.

27/12/2016 - 04:04:25

   

Depois de registrar superávit de R$ 40,81 bilhões em outubro, as contas do governo federal voltaram a ficar no vermelho em novembro e registraram déficit (despesas maiores do que receitas) de R$ 38,35 bilhões, informou nesta segunda-feira (26) a Secretaria do Tesouro Nacional.

O resultado é o pior para meses de novembro de toda a série histórica iniciada em 1997, ou seja, em 20 anos. Esse número não inclui as despesas com o pagamento de juros da dívida pública.

No acumulado de janeiro a novembro, o governo federal registrou déficit de R$ 94,15 bilhões, o pior de toda a série histórica para este período.

O forte aumento do rombo fiscal acontece por conta do fraco desempenho da arrecadação do governo com impostos, reflexo da crise econômica. Além disso, o governo tem elevado as despesas públicas em um orçamento com um alto grau de vinculações.

Revisão

O Tesouro informou, no relatório divulgado nesta segunda, uma revisão da meta fiscal para 2016, que passou para um déficit de R$ 167,7 bilhões. Como o rombo acumulado até novembro é de R$ 94,15 bilhões, isso significa que o governo estima registrar em dezembro um novo déficit de R$ 73,55 bilhões.

No relatório anterior e no relatório de receitas e despesas primárias do 5º bimestre, a estimativa do governo era de déficit de R$ 166,7 bilhões em todo o ano de 2016.

A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, disse que a mudança na meta ocorreu após uma revisão extemporânea das receitas e despesas primárias. O decreto com a revisão foi publicado nesta segunda em edição extra do Diário Oficial da União.

Para dezembro, o relatório prevê um gasto extra de R$ 28,6 bilhões com pessoal, sendo R$ 9 bilhões com 13º salário e férias, R$ 1,6 bilhão com pagamento a organismos internacionais, R$ 1 bilhão em tarifas bancárias e R$ 21 bilhões com abertura de limite financeiro.

“O relatório mostra que a nossa estratégia de adotar uma reserva para riscos fiscais foi bem sucedida”, afirmou Vescovi.

O governo prevê ainda a transferência, em dezembro, de R$ 11 bilhões a estados e municípios referentes à parcela que eles têm direito da arrecadação com a chamada "repatriação." Segundo Ana Paula, esse valor não será computado como despesa e entrará na conta de Transferência por Repartição de Receita.

“A ordem bancária dessa transferência será feita no dia 29 de dezembro e no dia 30 de dezembro esse recurso já estará na conta dos entes”, explicou a secretária. Ela destacou que o cronograma atende às preocupações a respeito da lei de responsabilidade fiscal, já que o recurso está no caixa dos governos locais.

Previdência

A Secretaria do Tesouro Nacional informou que o rombo da Previdência Social (sistema público que atende aos trabalhadores do setor privado) avançou de R$ 88,85 bilhões nos onze primeiros meses do ano passado para R$ 142,86 bilhões em igual período de 2016. O aumento real, ou seja, já descontado o efeito da inflação, é de 48,2%.

Recentemente, o governo estimou que o déficit da Previdência Social vai somar R$ 148,78 bilhões em todo este ano. Em 2015, a Previdência registrou resultado negativo de R$ 86,81 bilhões.

O governo do presidente Michel Temer encaminhou ao Congresso, no dia 5 de dezembro, uma proposta de reforma da Previdência. A Proposta de Emenda à Constituição sugerida pelo Executivo foi protocolada na Câmara como PEC 287.

Além de fixar uma idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres, as novas regras, se aprovadas, irão atingir trabalhadores dos setores público e privado. De acordo com o governo, a única categoria que não será afetada pelas novas normas previdenciárias é a dos militares.

Pelas regras propostas pela gestão Temer, o trabalhador que desejar se aposentar recebendo a aposentadoria integral deverá contribuir por 49 anos.

Meta fiscal

O governo terá em 2016 o terceiro ano seguido com as contas no vermelho. Em 2014, houve um déficit de R$ 17,24 bilhões e, em 2015, um rombo recorde de R$ 114,98 bilhões. Para 2017, a estimativa é de um novo déficit fiscal, da ordem de R$ 139 bilhões.

A consequência de déficits fiscais seguidos é a piora da dívida pública e o aumento das pressões inflacionárias.

Por conta do fraco desempenho da economia e da piora do endividamento, o Brasil já perdeu o chamado "grau de investimento" – uma recomendação para investir no país –, retirado pelas três maiores agências de classificação de risco (Standard & Poors, Fitch e Moody´s).

A principal ação do governo para conter os gastos públicos e reverter a trajetória de déficit foi a aprovação da emenda constitucional que institui um teto para os gastos públicos.

A emenda foi promulgada no dia 15 de dezembro pelo Congresso Nacional. Com a promulgação, a proposta passou a existir como lei e deve ser executada. Com isso, o aumento dos gastos públicos, a partir de 2017, ficará limitado à inflação do ano anterior. A regra vale por 20 anos, mas a partir do décimo ano o presidente da República poderá propor um projeto de lei alterando a emenda.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Uma Semana

Prazo para enviar declaração do Imposto de Renda está acabando

Obras

Vendas de material de construção aumentam em março

Desconto

Consumidores de energia elétrica terão desconto na tarifa em abril

Imposto de Renda

Mais de 1 milhão de contribuintes entregaram declaração do Imposto de Renda

07/03/2017 -

Caixa abre agências sábado para o saque das contas inativas do FGTS

O funcionamento das agências no sábado será exclusivo para atender trabalhadores que querem sacar o dinheiro das contas inativas

03/03/2017 -

Lucas do Rio Verde, Cuiabá e Diamantino têm maiores ofertas de empregos

As pessoas devem ficar atentas ao painel de vagas disponibilizado toda semana no Sine.

20/02/2017 -

Desempregados para voltar ao mercado de trabalho aceitam salário menor

O estudo mostra que sete em cada dez desempregados (68%) estão dispostos a ganhar menos do que recebiam no último emprego

14/02/2017 -

Brasil terá ao menos 2,5 milhões de novos pobres até o fim do ano

Estudo inédito do Banco Mundial aponta medidas para conter avanço da pobreza Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/brasil-tera-ao-menos-25-milhoes-de-novos-pobres-ate-fim-do-ano-20915254#ixzz4YeENT2Qp © 1996 - 2017. Todos direit

13/02/2017 -

Calendário para saques do FGTS deve ser divulgado na próxima terça-feira

Poderão ser sacados os valores de todas as contas inativas do Fundo desde o dia 31 de dezembro de 2015

13/02/2017 -

Indústria de biodiesel prevê recuperação em 2017 após recuo em 2016

A expectativa da indústria é produzir 4,5 bilhões de litros este ano, ante os 3,8 bilhões produzidos em 2016

03/02/2017 -

Brasil terá crescimento já neste trimestre, diz ministro

A economia brasileira deve apresentar um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2 por cento no quarto trimestre deste ano.

03/02/2017 -

Balança comercial registra segundo melhor janeiro da história

Os números foram divulgados hoje (1º) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O saldo da balança comercial em janeiro de 2017 só é inferior ao de janeiro de 2006 (US$ 2,835 bilhões)

25/01/2017 -

Mais de 800 vagas de emprego estão abertas no Sine Estadual esta semana

Órgão, que é vinculado à Setas, realiza intermediação da mão de obra.

18/01/2017 -

Estado de MT contesta pecuaristas e mantém aumento da alíquota do ICMS

Sefaz explica que alteração feita, na época, ocorreu para contribuir com o equilíbrio na cadeia pecuária

18/01/2017 -

Multinacional deve ampliar investimentos em Mato Grosso

O interesse foi sinalizado nesta terça-feira (17) durante reunião entre os dirigentes da multinacional e o governador Pedro Taques.

17/01/2017 -

Preço do diesel sobe 8 vezes em um ano em Mato Grosso, aponta ANP

Preço pago pelo diesel em janeiro de 2017 é o maior em um ano, diz o órgão. Segundo os caminhoneiros, reajuste no diesel influencia o preço do frete.

17/01/2017 -

China cancela importações de etanol por ameaça de alta em tarifa

Sete carregamentos podem representar entre 266 mil e 443 mil metros cúbicos de etanol.

17/01/2017 -

Economistas preveem corte na taxa de juros em fevereiro

O levantamento divulgado nesta segunda-feira apontou que a expectativa é de um afrouxamento monetário ainda maior neste ano, com a Selic indo a 9,75 por cento.

17/01/2017 -

FMI reduz previsão de alta para o PIB do Brasil em 2017 para 0,2%

Projeção para queda em 2016 foi ampliada para 3,5%. Último relatório, de outubro, havia mantido as estimativas. Para 2018, é prevista alta de 1,5%.