Dados

Com economia patinando, renda do brasileiro deve ficar estagnada este ano

Expectativa é que economia e a população cresçam 0,8% neste ano, o que deve deixar o PIB per capita do país parado. Recuperação dos estragos da crise deve levar mais de 10 anos.

Por: G1
07 de Agosto de 2019 as 16h 07min

Num cenário de fraqueza econômica, a renda do brasileiro deve permanecer estagnada neste ano. Além de um resultado pontual ruim, os indicadores reforçam a expectativa de que os estragos provocados pela crise no dia a dia da população vão levar mais de uma década para serem superados. 

Para este ano, o crescimento previsto tanto para a economia brasileira quanto para a população é de 0,8%, o que vai deixar o Produto Interno Bruto (PIB) per capita estagnado, de acordo com um levantamento da consultoria A.C. Pastore. 

A renda média de uma população é apurada com base no PIB per capita, indicador que mede toda a riqueza produzida por um país e a divide pela quantidade de habitantes. Em 2018, a renda per capita dos brasileiros foi de US$ 14.359. 

Em 2017 e 2018, o avanço ainda que tímido de 1,1% da economia brasileira permitiu algum ganho de renda per capita. Mas ainda muito distante do que o Brasil precisa – se o país seguir neste ritmo, serão necessários cerca de 240 anos para dobrar a renda por pessoa. 

A crise atual tem sido marcada por uma combinação inédita na história do país. Ela é profunda e de lenta retomada. Hoje, o PIB per capita do Brasil ainda está cerca de 9% abaixo do patamar observado antes de se iniciar a crise, em 2014. 

"Se o Brasil voltar a crescer ao fim deste ano, entre 2% e 2,5% ao ano, o país demoraria de 10 a 12 anos para retornar ao nível da renda per capita que tinha antes do início do ciclo recessivo", afirma o presidente da consultoria A.C. Pastore e do Centro de Debates de Políticas Públicas, Affonso Celso Pastore. "Isso nunca aconteceu na história do país", diz o economista, que também foi presidente do Banco Central. 

Com a expectativa de que os estragos na renda só sejam apagados entre 2024 e 2026, o Brasil enfrenta a pior crise econômica da história. Até então, a retomada mais lenta havia sido registrada nos anos 1980. 

Desemprego é alto 

A face mais perversa da perda de renda do brasileiro nos últimos anos se revela com a piora do mercado de trabalho. Ao fim do segundo trimestre, o Brasil tinha 12,8 milhões de desempregados e a população subocupada era de 7,4 milhões de pessoas. 

Há seis anos fora do mercado de trabalho, Sara Fidelis, de 50 anos, viu a sua renda mensal minguar. Teve de diminuir parte do consumo e vendeu o carro para reforçar a reserva financeira. "Reduzi meu consumo em 70%. Só compro o que é prioritário", afirma. 

Formada em comércio exterior, Sara chegou a desistir de procurar emprego e passou para o chamado grupo dos desalentados. Hoje, tenta voltar ao mercado de trabalho e vive de bicos para ter alguma renda no mês. "Sem emprego, não tenho mais plano de saúde e passei a depender do SUS (Sistema Único de Saúde)." 

A jovem Tauany Ramos Cavalcanti, de 22 anos, também enfrenta o drama da falta de trabalho formal. Atualmente, só consegue uma renda na informalidade. Ela mora com os pais, mas precisa de um salário para pagar metade da faculdade de psicologia – a outra parte é custeada por uma bolsa de estudos. 

"Os gastos que fazemos são os básicos: alimentação, luz e água", afirma. "Em casa, fizemos cortes em gastos com lazer e em coisas supérfluas, com assinatura de televisão." 

Na prática, esse desempenho da economia tem levado a um aumento da desigualdade. Um levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV) já apontou que a desigualdade no país cresce há 17 trimestres seguidos. A pesquisa mostrou, por exemplo, que as pessoas que ganham menos sofreram mais os efeitos da crise econômica. 

"Isso não aconteceu nem no nosso pico de desigualdade, lá no final dos anos 1980", afirma o diretor da FGV Social, Marcelo Neri. "Então, essa piora faz com que a roda da economia não gire, você joga areia na engrenagem da economia". 

Agenda longa 

Uma melhora na renda do brasileiro ainda parece distante. A agenda para acelerar o crescimento da economia e, consequentemente, da renda da população é bastante longa, segundo os economistas. 

O Brasil tem de continuar a resolver a questão fiscal – a reforma da Previdência já foi aprovada na Câmara dos Deputados, mas os estados seguiram de fora. Os economistas também apontam que o país precisa endereçar uma reforma tributária, avançar na agenda infraestrutura e abrir a economia para o comércio internacional no futuro. 

“As notícias não são positivas, não existe uma bala de prata para o crescimento vir mais forte”, afirma Marcel Balassiano, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas. 

De fato, o quadro de fraqueza da economia brasileira não fica apenas restrito para 2019. Em 2020, os analistas estimam um crescimento próximo de 2%. 


COMENTARIOS

Mais de Economia

Mercado De Trabalho

MT tem a 4ª menor taxa de desemprego no segundo trimestre de 2019

A menor taxa foi registrada em Santa Catarina (6%), seguido de Rondônia (6,7%), Rio Grande do Sul (8,2%). Do outro lado da tabela estão: Bahia (17,3%), Amapá (16,9%) e Pernambuco (16%).

16 de Agosto de 2019 as 00h09

Mercado De Trabalho

Taxa de desemprego recua em 10 das 27 unidades da Federação

Um em cada quatro desempregados procura trabalho há pelo menos 2 anos.

15 de Agosto de 2019 as 23h47

Oportunidade

Confira as vagas de emprego disponíveis no Sine de Lucas do Rio Verde

Os interessados podem procurar o Sine na Galeria Central de Serviços, localizada na Av. Paraná, nº 766 S, sala 06, Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 16h.

15 de Agosto de 2019 as 21h43

Oportunidade

Confira as 1.183 vagas de emprego do Sine MT para essa semana

Em Cuiabá, ao todo, são 73 vagas. Dessas, 49 são destinadas para o público em geral e 24 exclusivas para as pessoas com deficiência (PCD)

13 de Agosto de 2019 as 23h02

Reunião No Tesouro

Governo de MT vence mais uma batalha na busca pela aprovação do empréstimo com Banco Mundial

Governador Mauro Mendes se reuniu com o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, nesta terça-feira (13.08) em Brasília

13 de Agosto de 2019 as 22h54

Prestação De Contas

Governo de MT fecha o mês de julho com déficit de R$ 90,2 milhões

Repasse às prefeituras foi superior a R$ 321 milhões; pagamento de salários ultrapassou a faixa de R$ 510,5 milhões.

13 de Agosto de 2019 as 22h51

Mudança De Modelo

Equipe econômica estuda tornar Receita Federal agência independente

Ideia inicial é aproveitar modelos de países como Espanha e Estados Unidos. Objetivo é que a estrutura da Receita seja blindada, livre de interferências políticas.

13 de Agosto de 2019 as 20h44

Dados

Eletrobras tem lucro de R$ 5,5 bilhões no segundo trimestre

Os dados foram divulgados na noite de ontem (12) pela estatal.

13 de Agosto de 2019 as 16h43

Oportunidade

Confira as vagas de emprego disponíveis no Sine de Lucas do Rio Verde

Os interessados podem procurar o Sine na Galeria Central de Serviços, localizada na Av. Paraná, nº 766 S, sala 06, Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 16h.

13 de Agosto de 2019 as 15h19

PIB

Atividade econômica registra retração de 0,13% no segundo trimestre

A economia apresentou retração no segundo trimestre deste ano.

12 de Agosto de 2019 as 13h01

Oportunidade

Confira as vagas de emprego disponíveis no Sine de Lucas do Rio Verde

Os interessados podem procurar o Sine na Galeria Central de Serviços, localizada na Av. Paraná, nº 766 S, sala 06, Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 16h.

12 de Agosto de 2019 as 12h13

Dados

Produção industrial cai em dez locais pesquisados pelo IBGE em junho

Na comparação com junho de 2018, onze dos 15 locais pesquisados tiveram queda.

07 de Agosto de 2019 as 16h52

Imposto De Renda

Receita abre na quinta consultas ao 3º lote de IR 2019; restituições somam R$ 3,6 bilhões

Lote contempla 2,97 milhões de pessoas e será pago em 15 de agosto. Consultas devem ser feitas pelo site da Receita, ou por meio de aplicativo.

07 de Agosto de 2019 as 16h35

Cotação

Dólar supera R$ 3,99 com aversão ao risco no exterior por disputa EUA-China

Na terça-feira, a moeda norte-americana recuou 0,04%, a R$ 3,9550.

07 de Agosto de 2019 as 16h32

Dados

Vendas do comércio crescem 0,1% em junho, 1ª alta desde março

No acumulado em 12 meses, porém, setor perdeu ritmo e permanece em trajetória descendente. No 2º trimestre, queda foi de 0,3% sobre os três meses anteriores.

07 de Agosto de 2019 as 16h20

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

veja +

COTAÇÃO