PIB avança 0,2% no 2º trimestre de 2017, diz IBGE

Consumo das famílias impulsionou serviços e favoreceu o resultado, enquanto indústria recuou 0,5%; frente a igual período de 2016, foi a 1ª alta após 12 trimestres.

01/09/2017 - 21:17:36

   

A economia brasileira cresceu 0,2% no segundo trimestre de 2017, na comparação com os três primeiros meses do ano, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (1º). Em valores correntes, o PIB alcançou R$ 1,639 trilhão.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. No primeiro trimestre, a economia avançou 1,0%, interrompendo uma sequência de dois anos de PIB negativo.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o PIB cresceu 0,3%. Foi a primeira alta após 12 baixas seguidas. A última vez que a taxa ficou positiva nesta base de comparação foi no primeiro trimestre de 2014, quando avançou 3,5%.

IBGE não vê recuperação; economistas discordam

Para o IBGE, no entanto, ainda não é possível dizer que a economia está em recuperação. “É uma variação positiva. A gente nem chama de crescimento. Apontamos crescimento quando é superior a 0,5%”, ponderou coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca de La Rocque Pali.

No entanto, para economistas ouvidos pelo G1, o resultado do PIB do segundo trimestre mostra que há sinais de uma recuperação consistente da economia.

“A gente percebe que esse maior dinamismo do consumo está batendo nos serviços, e temos mais fundamentos daqui pra frente para o crescimento consistente da economia”, afirmou Alessandra Ribeiro, economista da Tendências.

No primeiro semestre de 2017, o PIB ficou estável (0,0%) frente ao primeiro semestre de 2016, após uma queda de 2,7%. As atividades que mais puxaram a alta nessa base de comparação foram a agropecuária (15%) e a indústria extrativa mineral (7,8%).

Já no acumulado de 12 meses, a economia encolheu 1,4% ante os 12 meses imediatamente anteriores.

Brasileiro volta a comprar

Os dados do PIB mostram que o brasileiro voltou a gastar. O consumo das famílias subiu 1,4% no segundo trimestre, após oito trimestres de retração e um de variação nula.

Embora a maior parte das famílias tenha usado o dinheiro do FGTS para pagar dívidas ou poupar, parte dele foi usado no consumo, diz a coordenadora do IBGE.

Rebeca apontou que o consumo foi beneficiado por "uma junção de fatores positivos" que compensaram os números do mercado de trabalho. Ela citou o crescimento de 2,3% da massa salarial real, a queda da taxa básica de juros, a inflação mais baixa e o crescimento do crédito.

“Além disso, teve a liberação das contas inativas do FGTS. Embora a maior parte das famílias tenha usado esse dinheiro para pagar dívidas ou poupar, parte dele foi usado no consumo."

O consumo das famílias, segundo a coordenadora do IBGE, não chegou a ajudar o setor de construção porque o consumo do setor imobiliário tem efeitos mais no médio e longo prazo.

Segundo Rebeca, são boas as perspectivas para que as famílias continuem consumindo nos próximos trimestres.

Na contramão do movimento das famílias, o governo gastou menos neste ano. Os gastos públicos recuaram 0,9% e influenciaram negativamente o PIB. Esta foi a maior queda desde o terceiro trimestre do ano passado e a quarta retração trimestral seguida.

Serviços avançam com ajuda do comércio

Um dos destaques positivos do PIB do segundo trimestre foi o avanço do setor de serviços, que cresceu 0,6% e deu a maior contribuição para o resultado, destaca a coordenadora do IBGE. Esse setor responde por cerca de 70% do PIB.

Destacou-se a alta do comércio (1,9%), que segundo Rebeca "foi beneficiado pelo aumento do consumo das famílias”.

Também se destacaram as atividades imobiliárias e outros serviços (0,8%) e atividade de transporte, armazenagem e correio (0,6%). Os serviços de informação caíram 2,0% e as atividades de administração, saúde e educação pública (-0,3%) e de intermediação financeira e seguros (-0,2%) tiveram variações negativas.

Contudo, na comparação com o mesmo trimestre de 2016, o setor de serviços teve retração de 0,3%, na 10ª queda seguida no PIB.

Veja no gráfico abaixo o resultado por setor:

Indústria recua puxada por construção

Depois de avançar no primeiro trimestre, a indústria voltou a recuar. O setor se retraiu em 0,5% frente ao primeiro trimestre. Quem puxou o resultado para baixo foi a construção civil, que recuou 2,0%.

Segundo Rebeca, a construção tem impacto direto do consumo do governo, que também caiu. "Sabemos que o corte de investimentos em infraestrutura, por conta do ajuste fiscal, está disseminado entre as três esferas do governo, principalmente federal e estaduais. Investimento é o mais fácil de cortar", disse.

Na indústria, também recuou a na atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana (1,3%). Já a indústria extrativa mineral subiu 0,4%, enquanto a de transformação avançou 0,1%.

A indústria continua encolhendo na comparação com seu desempenho em igual trimestre de 2016. O segundo trimestre teve o 14º resultado seguido de queda. O último crescimento do setor ocorreu no primeiro trimestre de 2014, de 7,8%.

Agropecuária fica estável

A agropecuária não variou (0,0%) no segundo trimestre, após uma trajetória de três trimestres seguidos de alta, chegando a crescer 11,5% no primeiro trimestre e impulsionando o PIB do período.

Rebeca destacou que nos três primeiros meses do ano, a safra foi destinada mais ao estoque que às exportações. Já no segundo trimestre, teve aumento da exportação, o que segurou o resultado do setor no período. “Até porque não tem mais lugar para estocar”.

Na comparação com o 2º trimestre de 2016, a agropecuária cresceu 14,9% neste ano, destacou Rebeca.

Ela destacou, ainda, que a contribuição da agricultura na formação do PIB nos próximos dois trimestres do ano será menor. “Cerca de 70% da safra prevista para o ano já foi colhida no primeiro semestre. Então, restam apenas 30% para o segundo semestre”.

Investimentos têm novo recorde negativo

A formação bruta de capital fixo (investimentos em bens de capital) recuou 0,7%, a quarta taxa negativa seguida no PIB. A última variação positiva do indicador foi no segundo trimestre de 2016, quando cresceu 0,4%.

No setor externo, as exportações de bens e serviços registraram variação positiva de 0,5%, a segunda taxa positiva seguida, mas menor que o crescimento de 5,2% no trimestre anterior.

A taxa de investimentos no país foi de 15,5%, a menor para o segundo trimestre da série histórica iniciada em 1996. Já a taxa da poupança, de 15,8%, é a maior desde o 2º trimestre de 2016.

Enquanto isso, as importações de bens e serviços caíram 3,5% em relação ao primeiro trimestre de 2017. Rebeca enfatizou que, na comparação com o 2º trimestre do ano passado, a queda foi de mais de 30%.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Tabelamento Do Frete

Sem acordo sobre frete, STF marca nova reunião entre caminhoneiros e empresários para 28 de junho

Taxa De Juros

Copom decide pela segunda vez seguida manter taxa de juros em 6,5% ao ano

Após Subsídios

Preço do diesel diminui, mas ainda não chega às bombas R$ 0,46 menor

Preço Da Gasolina

Petrobras anuncia queda de 0,89% no preço da gasolina nas refinarias

15/06/2018 -

Polícia Federal: sai o edital do concurso para 500 vagas

Os salários são de R$ 11.983,26 para agente, escrivão e papiloscopista e de R$ 22.672,48 para perito e delegado; Cebraspe é a organizadora do concurso.

13/06/2018 -

Governo de MT apresenta projeto que reduz ICMS de veículos da linha amarela

Mato Grosso conta com 15 empresas da linha amarela, que geram cerca de 900 empregos diretos.

13/06/2018 -

Saque do Fundo PIS-Pasep é liberado para cotistas de todas as idades

Temer sancionou lei que liberou os recursos do Fundo PIS-Pasep para beneficiários de todas as idades; Caixa é responsável por pagar o benefício para trabalhadores do setor privado, e BB paga os servidores públicos.

12/06/2018 -

Confira as vagas do Sine de Lucas do Rio Verde para essa terça-feira

Os interessados devem procurar a unidade de atendimento do Sine na Galeria Central de Serviços, localizada na Av. Paraná, n. 766 S, sala 06, Centro.

30/05/2018 -

Litro do diesel deverá estar R$ 0,46 mais barato nos postos a partir de 1º de junho, diz ministro

Segundo Marun (Secretaria de Governo), valor deve ser comparado com 21 de maio, quando começou greve dos caminhoneiros. Desconto vale a partir do momento em que posto for abastecido.

30/05/2018 -

Petrobras aumenta preço da gasolina em 0,74% nas refinarias

A partir de amanhã (31), o preço nas refinarias subirá 0,74% e passará a ser de R$ 1,9671 por litro.

28/05/2018 -

Abcam confirma acordo com governo e pede fim da paralisação

Em mensagem, o presidente da Abcam pediu que os caminhoneiros voltem satisfeitos e orgulhosos

25/05/2018 -

Em Fórum em MT, governos de 6 estados e do DF se manifestam em carta sobre preço do combustível

Assinaram o documento, o governador de MT e representantes de Mato Grosso do Sul, Goiás, Rondônia, Tocantins, Maranhão e Distrito Federal.

16/04/2018 -

41 mil sacaram FGTS em demissão por acordo

Nova lei trabalhista autoriza empregado a negociar com o patrão sua demissão

11/04/2018 -

IBGE: ricos receberam 36 vezes acima do que ganharam os pobres em 2017

Os dados fazem parte da pesquisa Rendimento de todas as fontes 2017, divulgada hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE).

11/04/2018 -

Sicredi Ouro Verde encerra rodada de assembleias e destina R$94 mi de resultado

Foram realizados 27 encontros, nos meses de fevereiro e março, nos 14 municípios onde a cooperativa está presente, além da Assembleia Geral com os coordenadores de núcleo, em Lucas do Rio Verde.

09/04/2018 -

Marfrig anuncia compra do controle de processadora de carne bovina nos EUA por US$ 969 milhões

A empresa acrescentou ainda que a aquisição está sujeita à aprovação do BNDES, que detém 33,74% das ações da companhia através da BNDESPar.

09/04/2018 -

Dólar sobe e fecha a R$ 3,41, maior valor desde dezembro de 2016

Moeda dos EUA avançou com incerteza política e temores de uma piora na guerra comercial entre Estados Unidos e China.

09/04/2018 -

Pagamento do IPVA com desconto de 5% termina nesta terça (10)

O não pagamento gera multa e juros, além do risco de o veículo ser apreendido.

05/04/2018 -

Precisando de emprego? Confira as vagas do Sine de Lucas do Rio Verde

Os interessados devem procurar a unidade de atendimento do Sine na Galeria Central de Serviços, localizada na Av. Paraná, n. 766 S, sala 06, Centro.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora