Planalto diz que queda dos juros para 13% permite retomada do crescimento

Porta-voz da Presidência repercutiu nesta quarta a decisão do Copom de cortar a Selic; segundo Alexandre Parola, decisão também ajudará a gerar empregos nos país.

13/01/2017 - 01:43:00

   

Taxa de juros Selic (Foto: Editoria de Arte/G1)

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, afirmou nesta quarta-feira (11), na visão do presidente Michel Temer, a decisão do Banco Central de reduzir os juros para 13% ao ano cria as condições necessárias para a retomada do crescimento do país.

Ainda de acordo com Parola, o governo acredita que a queda da Selic também auxiliará a gerar novos empregos ao longo de 2017.

No início da noite desta quarta, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou o terceiro corte seguido na taxa básica de juros da economia brasileira, de 13,75% para 13% ao ano.

O corte de 0,75 ponto percentual é o maior em quase cinco anos – a última vez que a Selic teve queda semelhante foi em abril de 2012, quando passou de 9,75% para 9% ao ano.

"A decisão do Banco Central, que delibera de forma independente e com base em elementos exclusivamente técnicos, respalda a convicção do presidente Michel Temer no sentido de que estão dados os elementos para a retomada do crescimento econômico e a criação de novos empregos ao longo do ano", declarou o porta-voz.

Parola abriu o pronunciamento dizendo que Temer ficou satisfeito com a decisão do Copom. Ao ler a nota, o porta-voz também ressaltou que o Banco Central deliberou "de forma independente e com base em elementos exclusivamente técnicos".

Inflação de 2016

Mais cedo nesta quarta, o IBGE divulgou que a inflação fechou o ano de 2016 em 6,29%, abaixo do teto da meta perseguida pelo Banco Central, que era de 6,5%.

Em um dos trechos do pronunciamento de cerca de dois minutos, Alexandre Parola afirmou que, para Temer, o resultado da inflação de 2016, registrada em 6,29%, representa um dado "extremamente positivo".

Ainda na visão do presidente, informou o porta-voz, os dados indicam que a inflação seguirá em queda ao longo dos próximos meses.

"Todos os dados disponíveis indicam que, nos próximos meses, a inflação seguirá em queda e, com isso, o rendimento do trabalhador se vê protegido do efeito terrível da inflação e abre-se espaço para que a taxa de juros seja gradualmente reduzida de modo responsável, consistente e sustentável", destacou Parola.

Inflação x atividade

O aumento da Selic, ou sua manutenção em um patamar elevado, é o principal mecanismo usado pelo BC para frear a inflação. O objetivo é encarecer o crédito para reduzir o consumo no país.

Juros altos, no entanto, prejudicam a atividade econômica e, consequentemente, inibem a geração de empregos. Quando o Banco Central julga que a inflação está compatível com as metas preestabelecidas, pode baixar os juros.

Isso aconteceu a partir de outubro, quando o Copom passou a promover cortes na Selic tendo em vista as indicações de que o IPCA, a inflação oficial do país, caminhava para dentro da meta de 2016 perseguida pelo BC.

Segundo o IBGE, o IPCA, que em 2015 havia acumulado alta de 10,67%, desacelerou para 6,29% em 2016. Apesar da queda, a inflação ficou próxima do teto da meta do ano passado perseguida pelo Banco Central (6,5%) e ainda distante do centro da meta, que era de 4,5%.

Recessão

A desaceleração da inflação em 2016, e a previsão do governo de que ela deve cair um pouco mais em 2017, abre espaço para que o BC continue a fazer cortes na Selic, o que pode favorecer a retomada do crescimento da economia brasileira.

Os indicadores mais recentes do desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) apontam que a economia pode demorar mais que o previsto para voltar a crescer, o que aumentou as pressões para que o Banco Central acelere a redução da Selic. A expectativa é que isso leve ao barateamento do crédito e, consequentemente, incentive o consumo de bens e serviços no país.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Preço Dos Combustivési

Petrobras reduz gasolina em 3,8%, maior queda desde o início de julho

Dados

Secretaria de Planejamento divulga boletim sobre cenário econômico de Mato Grosso

Dados

Vendas do comércio crescem 0,5%, diz pesquisa do IBGE

Salários

Governo de MT completa o pagamento de 96,7% dos servidores nesta terça (14)

14/11/2017 -

Está a procura de um emprego? Confira as vaga do Sine de Lucas do Rio Verde

O horário de atendimento é das 7h às 13h.

13/11/2017 -

Petrobras reverte prejuízo, mas tem lucro abaixo do esperado no 3º trimestre

Aquém das expectativas do mercado, lucro da petroleira foi menor que no trimestre anterior, afetado em maior parte por despesas extraordinárias com Refis e provisões para ações judiciais.

10/11/2017 -

Reforma trabalhista: veja ajustes que o governo deve fazer na lei que começa a vigorar neste sábado

G1 e GloboNews tiveram acesso a texto com ajustes, que podem ser feitos via medida provisória ou projeto de lei. Reforma trabalhista começa a valer neste sábado (11).

10/11/2017 -

Preço da gasolina volta a subir e passa de R$ 3,90 pela primeira vez

Na semana anterior, o valor médio do combustível era de R$ 3,882.

06/11/2017 -

Maior construtora na Ásia virá a MT estudar projetos de infraestrutura

De olho na nova onda de investimentos chineses no Brasil, o governador Pedro Taques apresentou as potencialidades do Estado e atraiu a atenção do grupo.

06/11/2017 -

Petrobras aprova reajustes de 2,3% na gasolina e de 1,9% para diesel

Medida foi aprovada em reunião especial que ocorre quando os combustíveis sobem ou caem mais de 7% em um único mês; motivo alegado para o aumento são preços internacionais e câmbio.

24/10/2017 -

Corrupção, violência e pobreza são o que mais atrapalha o Brasil, diz pesquisa

Já amizade, alegria e honestidade são apontados como os valores pessoais mais importantes para o brasileiro, segundo pesquisa da Crescimentum em parceria com o Datafolha.

24/10/2017 -

Aneel eleva cobrança máxima da bandeira tarifária de R$ 3,50 para R$ 5 a cada 100 kWh

Reajuste de 42,8% do patamar 2 da bandeira vermelha valerá já para o mês de novembro. Proposta da Aneel, no entanto, também passará por consulta pública, onde pode ser alterada.

17/10/2017 -

Empréstimos do BNDES caem 20% no ano até setembro

Volume desembolsado pelo banco foi de R$ 50 bilhões no acumulado de 2017.

15/10/2017 -

Horário de verão começou em 10 estados e no DF

Horário de verão vai até 18 de fevereiro de 2018.

14/10/2017 -

Comerciantes acreditam que horário de verão deve causar impacto positivo nas vendas em MT

Lojistas acreditam que a alteração que deixa o dia “mais longo” favorece as vendas, já que permite a circulação de pessoas por um período maior do horário de funcionamento.

14/10/2017 -

Quatro anos após os primeiros leilões, 6 rodovias federais têm só 17% dos trechos duplicados

Empresas tinham 5 anos para duplicar 3.162 km de rodovias leiloadas entre 2013 e 2014. Descumprimento de contrato, falta de recursos e ausência de licença para obra explicam atrasos.

14/10/2017 -

Lava Jato levou empresas a vender mais de R$ 100 bilhões em ativos desde 2015

Quase 50 negócios de grandes empresas impactadas pela operação trocaram de mãos desde 2015, segundo levantamento do G1; vendas foram feitas para reforçar caixa diante da crise de credibilidade.

10/10/2017 -

Governador de MT debate Teto de Gastos com segmentos comercial e empresarial

A reunião foi realizada nesta segunda-feira (09.10), no salão Garcia Neto, e também contou com a participação de deputados e secretários estaduais.

06/10/2017 -

20º Feirão ''Queima de Estoques'' da Acilve começou hoje com descontos que chegam até 80%

Estão confirmadas 18 empresas que estarão expondo os produtos, desde roupas, calçados, perfumarias, bijuterias e até revenda de motocicletas.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora