Quatro anos após os primeiros leilões, 6 rodovias federais têm só 17% dos trechos duplicados

Empresas tinham 5 anos para duplicar 3.162 km de rodovias leiloadas entre 2013 e 2014. Descumprimento de contrato, falta de recursos e ausência de licença para obra explicam atrasos.

14/10/2017 - 00:20:19

   

Trecho da BR-163 em Mato Grosso do Sul, uma das rodovias leiloadas durante o governo de Dilma Rousseff (Foto: Reprodução/TV Morena)

Quatro anos depois dos primeiros leilões de rodovias federais feitos pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff, somente 17,3% de um total de 3.162 quilômetros de estradas foram duplicados, de acordo com dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Os 17,3% equivalem a 548 quilômetros. Quando o programa de concessões foi anunciado pelo governo, a promessa era que os 3.162 quilômetros estariam duplicados 5 anos após os leilões.

Entre 2013 e 2014, o governo leiloou seis trechos de rodovias:

- BR-040, entre o Distrito Federal e Minas Gerais;

- BR-050, entre Goiás e Minas Gerais;

-  BR-163, em Mato Grosso;

- BR-163, no Mato Grosso do Sul;

- BR-153, entre Goiás e Tocantins;

- e uma única concessão envolvendo trechos das BRs-060/153/262, entre Brasília e Betim (MG).

As razões para a baixa taxa conclusão das duplicações vão da falta de recursos prometidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e reflexos da Lava Jato sobre as empreiteiras ligadas às concessionárias, até a falta de licença para obras, que era de responsabilidade do governo e não das empresas.

Somando os trechos que já estavam duplicados antes dos leilões, as seis rodovias têm hoje 1.967 quilômetros duplicados. Como a extensão das seis rodovias somadas é de 4.581 km, atualmente 42,9% estão duplicados.

Falta de licença

As concessionárias das rodovias BR-040 e BR-163 (Mato Grosso do Sul) enfrentaram problemas com a emissão da licença de instalação, de responsabilidade do governo.

Com isso, o cronograma de obras foi atrasado, já que o prazo para duplicação de todo o trecho passava a contar a partir dessa licença.

Concessão suspensa

A situação mais complicada era da BR-153, onde nenhuma duplicação foi feita. O descumprimento do contrato pela concessionária levou o governo a suspender a concessão – o trecho deve ser relicitado em 2018.

A rodovia estava sob controle do Grupo Galvão, que entrou em recuperação judicial após a Operação Lava Jato.

Atraso nas obras

Outra rodovia que acumula grande atraso nas obras é o trecho que envolve as BRs-060,153 e 262 (Distrito Federal e Goiás). A concessionária só duplicou 65,94 km. Nos três primeiros anos, a meta era duplicar 479,4 km.

MP 800

Para salvar as concessões, o governo editou a medida provisória 800, que prevê a possibilidade de aumentar de 5 para até 14 anos o prazo para que as empresas concluam a duplicação das rodovias.

A MP, no entanto, pode não ser suficiente para garantir a viabilidade de todas as concessões.

Segundo Adalberto Santos de Vasconcelos, secretário especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), a avaliação do governo é que nem todas conseguirão se adequar à MP e garantir que a concessão seja financeiramente viável mesmo com o prazo alongado.

Para ganhar o direito ao prolongamento de prazo, as empresas terão que aceitar reduzir o prazo de concessão ou então um corte no valor do pedágio após as obras de duplicação.

"Não dá para, depois desse prazo, quando o pedágio for ajustado, ele cair para R$ 2. Não será possível manter uma concessão assim", afirmou.

As rodovias licitadas durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff tinham a obrigação de duplicar todo o trecho em até 5 anos.

O edital previa ainda a duplicação mínima de 10% do trecho antes do início da cobrança de pedágio.

Venda de participação

Para o presidente da Associação Brasileiras dos Concessionárias de Rodovias (ABCR), César Borges, a MP tem potencial para promover outro benefício: permitir que as empresas fiquem adimplentes com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), parem de receber multas por atrasos nas obras e, com isso, facilitem a entrada de novos investidores nessas concessões.

Ele citou o caso da concessionária Rota do Oeste, que administra a BR-163 no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

A empresa, do grupo Odebrecht, enfrenta problemas para conseguir financiamento por causa do envolvimento da construtora na Operação Lava Jato. Se a Odebrecht conseguir vender sua participação a outra empresa, apontou Borges, os investimentos podem ser destravados.

César Borges destacou que a MP demorou para ser editada, já que a prorrogação do prazo era uma solicitação do setor desde o ano passado. Mas, para ele, é um avanço.

"Eu acho razoável [o texto da medida provisória], não há uma necessidade de estar alterando a MP", disse.

Emitida em setembro, a MP 800 ainda não teve nem a comissão de análise instalada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal.

Embora a medida provisória tenha força de lei (ou seja, as mudanças já estão em vigor), nenhuma das concessionárias, segundo o governo, solicitou adesão até o momento.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Carteira Assinada

No melhor mês de outubro em 4 anos, Brasil cria 76 mil vagas formais de trabalho

Dados

Mais de 55% do total de desempregados em MT são pretos e pardos, diz IBGE

Preço Dos Combustivési

Petrobras reduz gasolina em 3,8%, maior queda desde o início de julho

Dados

Secretaria de Planejamento divulga boletim sobre cenário econômico de Mato Grosso

14/11/2017 -

Vendas do comércio crescem 0,5%, diz pesquisa do IBGE

Os dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) foram divulgados hoje (14), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

14/11/2017 -

Governo de MT completa o pagamento de 96,7% dos servidores nesta terça (14)

Os salários de quem ganha acima de R$ 5 mil e até R$ 10 mil líquidos (ou R$ 14,1 mil brutos) serão disponibilizados nas respectivas contas a partir das 20 horas.

14/11/2017 -

Está a procura de um emprego? Confira as vaga do Sine de Lucas do Rio Verde

O horário de atendimento é das 7h às 13h.

13/11/2017 -

Petrobras reverte prejuízo, mas tem lucro abaixo do esperado no 3º trimestre

Aquém das expectativas do mercado, lucro da petroleira foi menor que no trimestre anterior, afetado em maior parte por despesas extraordinárias com Refis e provisões para ações judiciais.

10/11/2017 -

Reforma trabalhista: veja ajustes que o governo deve fazer na lei que começa a vigorar neste sábado

G1 e GloboNews tiveram acesso a texto com ajustes, que podem ser feitos via medida provisória ou projeto de lei. Reforma trabalhista começa a valer neste sábado (11).

10/11/2017 -

Preço da gasolina volta a subir e passa de R$ 3,90 pela primeira vez

Na semana anterior, o valor médio do combustível era de R$ 3,882.

06/11/2017 -

Maior construtora na Ásia virá a MT estudar projetos de infraestrutura

De olho na nova onda de investimentos chineses no Brasil, o governador Pedro Taques apresentou as potencialidades do Estado e atraiu a atenção do grupo.

06/11/2017 -

Petrobras aprova reajustes de 2,3% na gasolina e de 1,9% para diesel

Medida foi aprovada em reunião especial que ocorre quando os combustíveis sobem ou caem mais de 7% em um único mês; motivo alegado para o aumento são preços internacionais e câmbio.

24/10/2017 -

Corrupção, violência e pobreza são o que mais atrapalha o Brasil, diz pesquisa

Já amizade, alegria e honestidade são apontados como os valores pessoais mais importantes para o brasileiro, segundo pesquisa da Crescimentum em parceria com o Datafolha.

24/10/2017 -

Aneel eleva cobrança máxima da bandeira tarifária de R$ 3,50 para R$ 5 a cada 100 kWh

Reajuste de 42,8% do patamar 2 da bandeira vermelha valerá já para o mês de novembro. Proposta da Aneel, no entanto, também passará por consulta pública, onde pode ser alterada.

17/10/2017 -

Empréstimos do BNDES caem 20% no ano até setembro

Volume desembolsado pelo banco foi de R$ 50 bilhões no acumulado de 2017.

15/10/2017 -

Horário de verão começou em 10 estados e no DF

Horário de verão vai até 18 de fevereiro de 2018.

14/10/2017 -

Comerciantes acreditam que horário de verão deve causar impacto positivo nas vendas em MT

Lojistas acreditam que a alteração que deixa o dia “mais longo” favorece as vendas, já que permite a circulação de pessoas por um período maior do horário de funcionamento.

14/10/2017 -

Lava Jato levou empresas a vender mais de R$ 100 bilhões em ativos desde 2015

Quase 50 negócios de grandes empresas impactadas pela operação trocaram de mãos desde 2015, segundo levantamento do G1; vendas foram feitas para reforçar caixa diante da crise de credibilidade.

10/10/2017 -

Governador de MT debate Teto de Gastos com segmentos comercial e empresarial

A reunião foi realizada nesta segunda-feira (09.10), no salão Garcia Neto, e também contou com a participação de deputados e secretários estaduais.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora