Preso Novamente

Ex-secretário é preso por quebrar 92 vezes regras de tornozeleira eletrônica

Éder Moraes já era investigado em outras etapas da operação da PF em MT. Operação investiga desvio de R$ 313 milhões em recursos do Governo.

04 de Dezembro de 2015 as 17h 53min

O ex-secretário de Fazenda Éder Moraes (PMDB) foi preso em uma nova fase da operação Ararath, da Polícia Federal, deflagrada na manhã desta sexta-feira (4). De acordo com a Polícia Federal, Éder, que já era investigado em outras etapas da operação, teria quebrado 92 vezes os termos da utilização de monitoração eletrônica (tornozeleira). As regras teriam sido descumpridas no período de 60 dias.

O G1 não conseguiu contato com o advogado de Éder Moraes. Segundo a assessoria da Polícia Federal, o ex-secretário foi levado para a sede da instituição, localizada na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, conhecida como Avenida do CPA. Foi a terceira vez que Éder é preso, sendo duas prisões neste ano e uma em 2014, todas decorrentes por operações e investigações policiais.

O ex-secretário deve prestar depoimento ao delegado federal Cristiano Nascimento dos Santos. Depois do interrogatório, Éder deve ser levado para fazer exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) da capital mato-grossense.

A PF não informou se o ex-secretário tem relação com o desvio de aproximadamente R$ 313 milhões em recursos públicos do Governo de Mato Grosso, alvo da etapa da operação desta sexta-feira.

Operação

A décima fase da operação Ararath, para apurar o desvio de aproximadamente R$ 313 milhões em recursos públicos do Governo de Mato Grosso, foi deflagrada nesta sexta-feira pela Polícia Federal de Mato Grosso. De acordo com a PF, o desvio ocorria através da utilização de sistema financeiro clandestino.

Segundo a Polícia Federal, devem ser feitas 47 medidas de busca e apreensão e 18 conduções coercitivas, todos expedidos pela 5ª Vara Federal de Mato Grosso nas seguintes cidades: Cuiabá (MT), Brasília (DF), Luziânia (GO), São Paulo (SP), Caraguatatuba (SP), Curitiba (PR) e Itapema (SC).

Também foi expedida ordem de sequestro de bens e valores no total de R$ 313.165.011,26, com a finalidade de reparar os prejuízos causados aos cofres públicos.

Prisões

Ex-secretário de Fazenda, ex-presidente da extinta Agecopa e ex-secretário-chefe da Casa Civil do estado, Éder Moraes atualmente é réu em ações penais na Justiça Federal decorrentes das investigações da PF e do Ministério Público Federal (MPF) sobre crimes financeiros e lavagem de dinheiro apurados nas demais nove fases já deflagradas da operação Ararath desde novembro de 2013.

Ele é apontado como um dos principais operadores do esquema, que teria envolvido políticos de alto escalão do estado ao longo de anos em operações financeiras clandestinas com as mais diversas finalidades. Por conta das investigações, Éder Moraes já foi preso duas vezes: na quinta fase da operação, em maio de 2014, e em abril deste ano, por suspeita de ocultação de bens objetos de investigação.

Em outra fase da operação, no dia 25 de novembro, Éder foi novamente levado para prestar depoimento por ter conseguido ostentar um padrão de vida “luxuoso” em Cuiabá, totalmente incompatível com sua atual condição financeira. Conforme a PF, o ex-secretário não tinha renda declarada, não tinha cargo público e mesmo com as contas bancárias bloqueadas, o ex-secretário conseguia 'manter' os negócios em dia.

MT Agora - G1 MT

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

COTAÇÃO