Greve

Justiça determina que estado corte ponto de servidores que estão em greve em MT

Desde o dia 27 de maio deste ano, parte dos servidores de carreira da Educação estadual aderiu ao movimento grevista.

Fonte: G1
12 de Junho de 2019 as 07h 04min

Palácio Paiaguás, sede do governo de Mato Grosso — Foto: Assessoria

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) confirmou o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) no sentido de que o estado é obrigado a cortar o ponto de servidores que se ausentarem do seu expediente em razão de greve.

A decisão foi proferida pela Seção de Direito Público e Coletivo, ocasião em que foi negado um pedido feito pelo Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental do Governo (Sinpaig). No pedido, o sindicato queria proibir o estado de cortar o ponto de três dias nos quais a categoria realizou greve, no ano de 2017.

Desde o dia 27 de maio deste ano, parte dos servidores de carreira da Educação estadual aderiu ao movimento grevista. Por conta da decisão dada pelo STF no Recurso Extraordinário (RE) 693456, o estado se diz obrigado a cortar o ponto dos servidores que decidiram não trabalhar.

Na decisão do TJ que confirmou a obrigatoriedade do corte de ponto, a desembargadora Antônia Siqueira Rodrigues, relatora do caso, observou que a greve é um direito dos servidores, mas não é um direito absoluto.

Segundo a magistrada, a decisão do STF no Recurso Extraordinário (RE) 693456 estabelece para todo o território nacional que “o Poder Público deve proceder os descontos dos dias de paralisação”, com a exceção nos casos de conduta ilícita do Poder Público “ou por motivos excepcionais que justifiquem o afastamento da premissa da suspensão da relação funcional ou de trabalho”.

Para Antônia Rodrigues, como ficou evidenciado que a mobilização dos servidores não decorre da omissão da administração do estado, “não se mostra indevida a cobrança dos dias em que não houve prestação do serviço”.

O voto da desembargadora Antônia Rodrigues foi acompanhado de forma unânime por todos os demais magistrados da seção.

A greve na educação
A greve anunciada pelos professores da rede estadual pede melhorias na carreira e estrutura da educação; o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores; o cumprimento da lei que prevê o dobro do poder de compra para a categoria da educação até 2023; e ainda o fim do escalonamento salarial.

Boa parte das reivindicações feitas pelos profissionais foi atendida, a exemplo do pagamento de 1/3 de férias aos professores contratados, que até então nunca havia sido pago pelo Estado, e do atendimento do requerimento no que tange à liberação de licença-prêmio e licença-qualificação que demande substituição

O Estado ainda concordou em analisar o número de alunos para, depois disso, verificar a possibilidade de nomeação do cadastro de reserva. Outra demanda atendida foi o compromisso de reorganizar as contas da Educação, para que se possa retomar os investimentos em infraestrutura, focando nas escolas que se encontram em piores condições.

Porém, um dos maiores impeditivos para que o governo de Mato Grosso conceda reajuste salarial aos professores estaduais, além da grave crise financeira, é o que dispõe a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A LRF é uma lei federal que estabelece parâmetros para os gastos dos Estados e municípios brasileiros.

Entre esses gastos estão as despesas de pessoal, que podem consumir o máximo de 49% da Receita Corrente Líquida (RCL), ou seja, o Estado não pode gastar com folha de pagamento de seus servidores mais de 49% daquilo que arrecada.

Atualmente o estado já está com o limite da LRF extrapolado, pois gasta 58,55% de suas receitas com o pagamento dos servidores.

Se concedesse o aumento de mais 7,69% aos salários de milhares de professores estaduais, o limite seria estourado de forma irreversível, uma vez que resultaria em gasto adicional na ordem de R$ 200 milhões neste ano.

Por tabela, com o estouro da LRF, o estado também descumpriria a Emenda Constitucional do Teto dos Gastos Públicos, trazendo graves consequências para toda a sociedade.

Entre as sanções, Mato Grosso ficaria proibido de criar ou expandir programas e linhas de financiamento, renegociação e refinanciamento de dívidas e estaria obrigado a devolver R$ 400 milhões ao governo federal.

Nessa hipótese, o montante deixaria de ser aplicado nos setores mais sensíveis e urgentes para a população mato-grossense, como Saúde, Segurança, Infraestrutura e Educação, para ser injetado nos cofres da União.

Além disso, os gestores (governador e secretários) poderiam ser responsabilizados civil e criminalmente pelo descumprimento da lei.

Vale lembrar que apesar de a Lei Complementar 510/2013 prever os reajuste anuais para os servidores da Educação Básica em Mato Grosso, a LRF é uma lei federal que possui hierarquia sobre as estaduais. Em resumo: no caso de conflito entre as legislações, é a LRF que prevalece.


COMENTARIOS

Mais de Estado

ISS Pedágio

Sete municípios ao norte da BR-163 recebem R$ 4,5 milhões em ISS

Lucas do Rio Verde com o recebimento de R$ 686 milhões de ISS da Rota do Oeste

22 de Agosto de 2019 as 14h59

Acordo

Fechado acordo e 5 mil funcionários de madeireiras no Nortão terão 5,5% de reajuste salarial

O acordo beneficia cerca de 5 mil funcionários de indústrias em Sinop, Itaúba, Santa Carmem, Claudia e União do Sul que são filiados ao sindicato.

22 de Agosto de 2019 as 10h24

Não Resistiu

Médico de MT que tentava doador de medula morre durante tratamento de quimioterapia

Leucemia foi descoberta em 2017, dois anos após Bruno Alves de Araújo, de 28 anos, ter se formado em medicina.

20 de Agosto de 2019 as 09h46

Sem Salário

UFMT fica fechada novamente porque funcionários terceirizados não receberam salários

Há aulas mas podem ser suspensas devido a falta de limpeza das salas, banheiros e demais dependências.

19 de Agosto de 2019 as 10h46

Prejuízo em Sorriso

Fogo causa prejuízos em propriedades rurais da região norte de MT

Entre a área de domínio da BR-163, dos dois lados da pista, fazendas e o assentamento onde moram cerca de 30 famílias foram queimados aproximadamente 500 hectares.

18 de Agosto de 2019 as 16h51

Área Devastada

Bombeiro dá água em copo para filhote de tatu em área devastada por incêndio em MT

A cena, para um dos bombeiros, demonstrou um sinal de sensibilidade e humanidade por parte dos militares. Animais eram um dos poucos sinais de vida em uma área de 766 hectares que foi devastada por um incêndio no dia 18 de julho.

18 de Agosto de 2019 as 16h47

Incêndio

Plantação de algodão é atingida por incêndio em fazenda em Sapezal (MT)

Funcionários da prefeitura e das fazendas no entorno estão trabalhando para combater as chamas.

18 de Agosto de 2019 as 16h44

Incêndio

Incêndio de grande proporção atinge milharal e canavial em fazendas em Campo Novo do Parecis (MT)

O incêndio provocou muita fumaça na região e a coluna de fumaça pode ser vista de longe.

18 de Agosto de 2019 as 16h39

CNH Suspensa

Mais de 400 motoristas de MT com a CNH suspensa têm 48h para entregar documento no Detran

O motorista notificado neste edital de chamamento que não entregar o documento e for flagrado dirigindo com a CNH suspensa, será penalizado.

16 de Agosto de 2019 as 18h30

Acidente Fatal

Carretas batem, caem de ribanceira, pegam fogo e motorista morre carbonizado em MT

Além dos veículos, a vegetação seca às margens da rodovia também incendiou.

16 de Agosto de 2019 as 00h35

Boletim

Mais de 400 casos suspeitos de microcefalia foram registrados em MT nos últimos 4 anos

Deste total, 80 casos foram confirmados e 115 continuam sendo investigados. Em julho deste ano, três casos foram registrados.

16 de Agosto de 2019 as 00h06

Acidente

Bitrem sai de rodovia, bate em estrutura de ponte em Mato Grosso e motorista fica ferido

De acordo com um representante da empresa proprietária do bitrem, o motorista foi socorrido e levado com ferimentos para ser atendido no Hospital

13 de Agosto de 2019 as 23h31

Fatalidade

Idosa morre após ser atropelada quando atravessava em BR de MT

Vítima foi atingida por uma motocicleta, no momento da travessia. Condutor da moto ficou ferido e foi transferido para Rondonópolis.

13 de Agosto de 2019 as 23h19

VLT

Grupo de mobilidade se reúne em Cuiabá para discutir viabilidade do VLT

O VLT já custou mais de R$ 1 bilhão e ainda há parcelas do empréstimo feito para a construção, que somam R$ 12 milhões por mês.

13 de Agosto de 2019 as 23h15

Apenas Álcool

Governo de MT proíbe órgãos públicos de abastecerem frota com gasolina e prevê economia de R$ 4 milhões

Segundo o estado, desde maio os carros oficiais estão sendo abastecidos apenas com álcool. Nos meses de junho e julho a economia aos cofres públicos foi superior a R$ 300 mil por mês.

13 de Agosto de 2019 as 23h13

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

veja +

COTAÇÃO