Novas Regras

Ações trabalhistas caíram 30% depois de reforma e Justiça ainda vive um "limbo"

Os entendimentos referentes à Justiça gratuita e à condenação ao pagamento de honorários sucumbenciais são os pontos mais críticos.

Fonte: Mikhail Favalessa | RD News
01 de Maio de 2019 as 18h 54min

Processos sendo manuseados por servidor do Poder Judiciário em MT

As ações trabalhistas tiveram uma queda de cerca de 30% em seu volume e a jurisprudência ainda tem uma espécie de “limbo” a ser esclarecido por decisões do Tribunal Superior do Trabalho (TST) depois da Reforma Trabalhista, sancionada pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) em 2017. Os apontamentos são da advogada Narana Souza Alves. O número de ações, porém, tendem a voltar aos patamares anteriores na medida em que advogados passam a estudar mais profundamente as mudanças trazidas pela reforma.

“O TST precisa que revisar as súmulas dele. Tem decisões de juízes de primeiro grau que contrariam as súmulas do TST e isso está sendo um grande problema. Então, ainda há muito a se fazer. Apesar de ter mais de um ano da reforma, a gente ainda tem que desenvolver muita coisa”, afirmou ao .

Os entendimentos referentes à Justiça gratuita e à condenação ao pagamento de honorários sucumbenciais são os pontos mais críticos.

Em março, o ex-vendedor de uma concessionária de caminhões no interior do Estado foi condenado a pagar R$ 750 mil em honorários ao advogado da empresa. Ele entrou na Justiça em 2016 reclamando de reduções salariais irregulares e do cancelamento de uma viagem prometida como prêmio aos melhores funcionários. A juíza Adenir Alves da Silva Carruesco, da 1ª Vara de Trabalho de Rondonópolis, se baseou na regra de sucumbência prevista na Reforma Trabalhista para condená-lo ao pagamento dos honorários.

“A maioria dos reclamantes quando vão entram com uma ação trabalhista requererem verbas alimentares. Essas verbas alimentares são direitos deles e têm toda uma questão de que não podem ser penhoradas, é uma necessidade essencial, e a lei vem trazendo que, mesmo que esse reclamante seja beneficiário da Justiça gratuita, pode haver condenação em honorários sucumbenciais”, ressalta Narana.

“Vamos dizer que a pessoa entrou com uma ação pedindo R$ 100 mil e no final das contas ele ganhou R$ 30 mil. Então, teria que pagar os honorários sucumbenciais em cima de R$ 70 mil. Vamos colocar aí 5% em honorários sucumbenciais ou 10% em cima disso, seriam R$ 7 mil. Ele ganhou R$ 30 mil e esses R$ 7 mil seriam descontados disso que são verbas trabalhistas, verbas alimentares. Então, isso tem sido um grande problema”, exemplificou.

As decisões ainda não chegaram ao TST para que haja uma jurisprudência pacificada sobre o assunto. Pela legislação, as ações devem ter pedido certo, determinado e devem indicar o valor a ser pago. A advogada também aponta que os empregados não têm o hábito de guardar documentos relativos ao pagamento dos salários e também do ponto, mesmo quando o registro é eletrônico.

“Hoje para a gente entrar com uma ação contra a empresa, a gente precisa saber exatamente a evolução salarial por essa questão de indicação de valores, que ainda não foi pacificado se é liquidado ou se é apenas indicação. Se ele quer pedir horas extras, como eu peço horas extras se eu não tenho esse controle? Mas ele recebeu o recibo, toda vez que ele bateu ponto e jogou fora”, afirmou.

Quando o trabalhador não tem a documentação, há necessidade de entrar com pedido junto à empresa para obter a segunda via. As empresas, porém, têm se negado a disponibilizar pela justificativa de que o documento foi fornecido durante o vínculo empregatício e que não são obrigadas a produzir provas contra si. Nestes casos, é necessário entrar com uma ação para produção de provas.

Extinção da Justiça do Trabalho
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) extinguiu o Ministério do Trabalho em janeiro deste ano, logo após assumir o cargo. Ele também já se pronunciou sobre um suposto “excesso de proteção” e cogitou a extinção da Justiça do Trabalho.

A advogada defendeu a necessidade da jurisdição especializada e avaliou que os maiores interessados em sua extinção são aquelas empresas que, reiteradamente, descumprem normas de segurança do trabalhador. Em Mato Grosso, grandes frigoríficos e empresas do agronegócio são alvos da maior parte das ações trabalhistas desse tipo.

No caso dos frigoríficos, os processos são, em geral, pelo não pagamento do adicional de insalubridade, diz a jurista. A legislação prevê a possibilidade de não pagamento do adicional nas empresas em que for fornecido e cobrado o uso de equipamentos certificados pelo extinto Ministério do Trabalho, com prazo de validade e que sejam trocados regularmente.

“É impossível em uma sociedade não existir conflitos trabalhistas. E tendo em vista que a maior parte dos processos envolvem grandes empresas, essas companhias não passaram a agir corretamente com os seus empregados só por conta de uma reforma. Elas continuam, às vezes, pecando em alguns pontos”, avaliou.


COMENTARIOS

Mais de Judiciário

Judiciário

TCE considera que Prefeitura de Chapada prestou contas, que serão analisadas

Por maioria, acompanhando o voto revisor do conselheiro Guilherme Antônio Maluf, o Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso considerou que a Prefeitura de Chapada dos Guimarães prestou contas referente ao exercício de 2017

18 de Setembro de 2019 as 16h38

Judiciário

Reeducandas de Cuiabá iniciam capacitação em produção de flores tropicais

Colocar as mãos na terra, sentir o vento e o sol no rosto, molhar plantas foram as experiências da reeducanda D.F.S, 20 anos, na manhã desta quinta-feira (12), no Presídio Feminino de Cuiabá, Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

12 de Setembro de 2019 as 17h20

Judiciário

Servidores recebem capacitação especial sobre segurança institucional e autodefesa

Atitudes simples, que muitas vezes passam despercebidas no dia a dia, podem evitar grandes prejuízos e até salvar vidas.

11 de Setembro de 2019 as 15h25

Judiciário

Arenápolis divulga gabarito preliminar de seleção de nível médio

A Comarca de Arenápolis (235 km a oeste da Capital) torna público o gabarito preliminar da prova.

10 de Setembro de 2019 as 16h51

Fórum Sinop

OAB rebate críticas de deputado referente a construção de novo Fórum em Sinop, Sorriso e Lucas do Rio Verde

A falta de espaço é tamanha que obrigou o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) a alugar imóvel particular para abrigar o arquivo do Fórum

10 de Setembro de 2019 as 13h39

Insanidade

Justiça autoriza exame de insanidade mental de sobrinho que matou tia e arrancou o coração dela em Sorriso

Tia foi morta a facadas pelo sobrinho no dia 2 de julho, em Sorriso. Sobrinho arrancou o órgão e o entregou para a filha da vítima.

10 de Setembro de 2019 as 13h32

Judiciário

Judiciário mato-grossense alerta para a necessidade de discutir sobre a prevenção ao suicídio

A sede do Poder Judiciário de Mato Grosso, o prédio do Tribunal de Justiça, está iluminada com a cor amarela

09 de Setembro de 2019 as 15h55

Judiciário

Poder Judiciário reduz consumo de energia elétrica com medidas de conscientização

Garantir a melhor utilização da energia elétrica através de medidas que promovam o seu uso racional

09 de Setembro de 2019 as 15h48

Investigação

MP denuncia 5 oficiais da PM por suposta organização criminosa, falsidade ideológica e fraude processual em MT

Foram denunciados o 2º tenente da PM Cleber de Souza Ferreira, o tenente PM Thiago Satiro Albino, o tenente coronel PM Marcos Eduardo Ticianel Paccola, o tenente coronel PM Sada Ribeiro Ferreira e o 3º sargento PM Berison Costa e Silva.

05 de Setembro de 2019 as 15h53

Patente de Soja

Justiça determina que Bayer deposite R$286 mi em processo sobre patente de soja

Processo começou em 2017 e é focado em produtores que afirmam que a patente deve ser cancelada devido à 'falta de inovações tecnológicas significativas'.

05 de Setembro de 2019 as 15h46

Palestra

Busca de soluções para conflitos empresariais através da mediação e conciliação é foco de debate na sede da OAB

A ideia de convidar acadêmicos de direito, advogados, empresários e profissionais liberais para debater a necessidade de mediação de conflitos partiu da Associação Acadêmica Luverdense em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas. O evento acon

04 de Setembro de 2019 as 15h40

Judiciário

Mutirão Fiscal de Tangará da Serra obtém mais de R$ 3 milhões em acordos

Mais de R$ 3 milhões foram negociados em acordos pré-processuais e processuais durante os cinco dias de mutirão, entre 26 e 30 de agosto.

03 de Setembro de 2019 as 15h16

Palestra

OAB/LRV sedia nesta terça-feira bate papo com tema ‘Acordos que geram lucros’

o evento também tem um objetivo solidário. Participando do bate-papo, a pessoa estará ajudando o Lar Bom Samaritano, uma vez que o ingresso é apenas 01 kg de alimento não perecível.

03 de Setembro de 2019 as 09h19

Multa Suspensa

OAB-MT consegue suspender multa aplicada a advogada que não compareceu à audiência por motivos de saúde

Na ocasião, o magistrado decretou abandono de causa e aplicou multa de dez salários mínimos e o bloqueio imediato desses valores na conta bancária da profissional da advocacia.

01 de Setembro de 2019 as 22h30

Julgamento

Dupla investigada por morte de mulher em 2017 vai a júri e são condenados

Os autores do crime utilizaram um facão para desferir diversos golpes, que resultaram na morte da mulher.

28 de Agosto de 2019 as 22h55

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

Quem é o maior responsável pelas queimadas em Mato Grosso?

A população

As autoridades públicas

Os órgãos ambientais

O clima

Parcial
veja +

COTAÇÃO