Novas Regras

Ações trabalhistas caíram 30% depois de reforma e Justiça ainda vive um "limbo"

Os entendimentos referentes à Justiça gratuita e à condenação ao pagamento de honorários sucumbenciais são os pontos mais críticos.

01 de Maio de 2019 as 18h 54min

Processos sendo manuseados por servidor do Poder Judiciário em MT

As ações trabalhistas tiveram uma queda de cerca de 30% em seu volume e a jurisprudência ainda tem uma espécie de “limbo” a ser esclarecido por decisões do Tribunal Superior do Trabalho (TST) depois da Reforma Trabalhista, sancionada pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) em 2017. Os apontamentos são da advogada Narana Souza Alves. O número de ações, porém, tendem a voltar aos patamares anteriores na medida em que advogados passam a estudar mais profundamente as mudanças trazidas pela reforma.

“O TST precisa que revisar as súmulas dele. Tem decisões de juízes de primeiro grau que contrariam as súmulas do TST e isso está sendo um grande problema. Então, ainda há muito a se fazer. Apesar de ter mais de um ano da reforma, a gente ainda tem que desenvolver muita coisa”, afirmou ao .

Os entendimentos referentes à Justiça gratuita e à condenação ao pagamento de honorários sucumbenciais são os pontos mais críticos.

Em março, o ex-vendedor de uma concessionária de caminhões no interior do Estado foi condenado a pagar R$ 750 mil em honorários ao advogado da empresa. Ele entrou na Justiça em 2016 reclamando de reduções salariais irregulares e do cancelamento de uma viagem prometida como prêmio aos melhores funcionários. A juíza Adenir Alves da Silva Carruesco, da 1ª Vara de Trabalho de Rondonópolis, se baseou na regra de sucumbência prevista na Reforma Trabalhista para condená-lo ao pagamento dos honorários.

“A maioria dos reclamantes quando vão entram com uma ação trabalhista requererem verbas alimentares. Essas verbas alimentares são direitos deles e têm toda uma questão de que não podem ser penhoradas, é uma necessidade essencial, e a lei vem trazendo que, mesmo que esse reclamante seja beneficiário da Justiça gratuita, pode haver condenação em honorários sucumbenciais”, ressalta Narana.

“Vamos dizer que a pessoa entrou com uma ação pedindo R$ 100 mil e no final das contas ele ganhou R$ 30 mil. Então, teria que pagar os honorários sucumbenciais em cima de R$ 70 mil. Vamos colocar aí 5% em honorários sucumbenciais ou 10% em cima disso, seriam R$ 7 mil. Ele ganhou R$ 30 mil e esses R$ 7 mil seriam descontados disso que são verbas trabalhistas, verbas alimentares. Então, isso tem sido um grande problema”, exemplificou.

As decisões ainda não chegaram ao TST para que haja uma jurisprudência pacificada sobre o assunto. Pela legislação, as ações devem ter pedido certo, determinado e devem indicar o valor a ser pago. A advogada também aponta que os empregados não têm o hábito de guardar documentos relativos ao pagamento dos salários e também do ponto, mesmo quando o registro é eletrônico.

“Hoje para a gente entrar com uma ação contra a empresa, a gente precisa saber exatamente a evolução salarial por essa questão de indicação de valores, que ainda não foi pacificado se é liquidado ou se é apenas indicação. Se ele quer pedir horas extras, como eu peço horas extras se eu não tenho esse controle? Mas ele recebeu o recibo, toda vez que ele bateu ponto e jogou fora”, afirmou.

Quando o trabalhador não tem a documentação, há necessidade de entrar com pedido junto à empresa para obter a segunda via. As empresas, porém, têm se negado a disponibilizar pela justificativa de que o documento foi fornecido durante o vínculo empregatício e que não são obrigadas a produzir provas contra si. Nestes casos, é necessário entrar com uma ação para produção de provas.

Extinção da Justiça do Trabalho
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) extinguiu o Ministério do Trabalho em janeiro deste ano, logo após assumir o cargo. Ele também já se pronunciou sobre um suposto “excesso de proteção” e cogitou a extinção da Justiça do Trabalho.

A advogada defendeu a necessidade da jurisdição especializada e avaliou que os maiores interessados em sua extinção são aquelas empresas que, reiteradamente, descumprem normas de segurança do trabalhador. Em Mato Grosso, grandes frigoríficos e empresas do agronegócio são alvos da maior parte das ações trabalhistas desse tipo.

No caso dos frigoríficos, os processos são, em geral, pelo não pagamento do adicional de insalubridade, diz a jurista. A legislação prevê a possibilidade de não pagamento do adicional nas empresas em que for fornecido e cobrado o uso de equipamentos certificados pelo extinto Ministério do Trabalho, com prazo de validade e que sejam trocados regularmente.

“É impossível em uma sociedade não existir conflitos trabalhistas. E tendo em vista que a maior parte dos processos envolvem grandes empresas, essas companhias não passaram a agir corretamente com os seus empregados só por conta de uma reforma. Elas continuam, às vezes, pecando em alguns pontos”, avaliou.


Fonte: Mikhail Favalessa | RD News

COMENTARIOS

Mais de Judiciário

Decisão

Ex-deputado é condenado a mais 21 anos de prisão e deve devolver quase R$ 5 milhões aos cofres públicos em MT

A condenação é relativa à Operação Arca de Noé, deflagrada em 2003, na qual Bosaipo já havia sido condenado a 28 anos de prisão em regime fechado pelos crimes de lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos.

18 de Maio de 2019 as 17h01

Agilidade

MPE pede rapidez em perícia de material apreendido com grupo acusado de sonegar mais de R$ 140 milhões em MT

Caberá à Perícia Oficial do Estado efetuar o espelhamento do material apreendido para atestar a autenticidade das provas obtidas.

18 de Maio de 2019 as 16h56

Estagiários

Tribunal de Justiça abre processo seletivo de cadastro reserva para estagiários

Os estagiários terão direito a uma bolsa-auxílio, no valor de R$ 920,84 para estudantes de nível superior e no valor de R$ 736,68, para estudantes de nível médio.

17 de Maio de 2019 as 09h46

Processo do Sítio de Atibaia

Sentença que condenou Lula no processo do sítio de Atibaia chega ao TRF-4

Ex-presidente foi condenado a 12 anos e 11 meses em primeira instância. É a segunda condenação dele na Lava Jato. Lula já cumpre pena no caso do triplex do Guarujá.

16 de Maio de 2019 as 20h38

Lava Jato

Justiça do Paraná manda prender ex-ministro José Dirceu para cumprimento de pena na Lava Jato

Determinação foi feita após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negar um recurso da defesa, que pedia prescrição da pena de 8 anos e 10 meses.

16 de Maio de 2019 as 20h33

Regime Semiaberto

Justiça autoriza ex-governador de MT condenado por corrupção a cumprir pena em regime semiaberto

Decisão é do juiz Geraldo Fernandes Fidelis Neto, da 2ª Vara Criminal de Cuiabá. Silval Barbosa foi condenado a 13 anos de prisão e cumpria a pena em regime domiciliar diferenciado.

16 de Maio de 2019 as 10h44

Títulos de Eleitores

TRE-MT vai cancelar 7,5 mil títulos de eleitores que não fizeram revisão em 3 municípios

Nesses municípios o procedimento ocorreu de 03 de dezembro de 2018 a 29 de março deste ano. Ao todo, 7525 títulos serão cancelados.

16 de Maio de 2019 as 10h42

Julgamento

Justiça marca julgamento de acusada de matar mulher em Lucas do Rio Verde

No ano passado, a justiça decidiu que o casal deveria ir a julgamento por homicídio qualificado, cometido por motivo fútil, meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e contra mulher em razão de gênero

16 de Maio de 2019 as 10h26

Audiência de Custódia

Defensoria entra com HC coletivo contra audiências de custódia “à distância” em Sorriso

O juízo da referida vara criminal tem, sistematicamente, realizado audiência sem a presença física do custodiado e/ou magistrado,

15 de Maio de 2019 as 10h30

Entrância Especial

Após construção de nova sede, promotorias de Nova Mutum serão elevadas à Entrância Especial

Nova Mutum ganhará mais um Promotor de Justiça, elevando para quatro, o número de integrantes do Ministério Público na cidade

13 de Maio de 2019 as 21h22

Agrotóxicos

MP apura presença de 27 agrotóxicos que causam câncer e malformação fetal na água que abastece Cuiabá

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autoriza a utilização de 514 agrotóxicos no Brasil, mas somente 27 são monitorados e passíveis de serem identificados na água.

13 de Maio de 2019 as 21h10

Regime Aberto

MP dá parecer favorável para que ex-governador de MT cumpra pena em regime aberto

Silval Barbosa passou dois anos preso em regime fechado e há mais de um ano usa tornozeleira eletrônica e está em prisão domiciliar.

13 de Maio de 2019 as 21h08

Compromisso

Bolsonaro diz que vai indicar Moro para vaga no STF

Em entrevista, presidente disse que tem compromisso com o ministro, caso Moro queira ocupar a vaga

13 de Maio de 2019 as 10h06

Nova Sede

Prefeitura e Ministério Público definem nova sede para Lucas do Rio Verde

A nova sede será construída próximo à prefeitura, onde será implantada a Cidade Jurídica

07 de Maio de 2019 as 08h51

Denúncia Arquivada

Perri arquiva denúncia contra Zaque e manda apurar conduta do ex-governador

Em nota, Zaque ressalta que foi expressamente comprovado que a fraude fora articulada e executada no cerne daquele governo.

06 de Maio de 2019 as 10h25

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

Você acha que Bolsonaro está certo ao contingenciar verbas das Universidades federais?

Sim

Não

Não sei

Parcial
veja +

COTAÇÃO