Confissão de Riva é tardia e não trouxe nada relevante, diz juíza

Selma Arruda, da Vara contra o Crime Organizado, disse que ex-deputado “não trouxe novidades”

07/03/2018 - 16:48:03

   

A confissão do ex-deputado José Riva feita na ação penal derivada da Operação Imperador foi classificada como “tardia” e “nada relevante” pela juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital.

A magistrada condenou o político, na última sexta-feira (2), a 26 anos, sete meses e 20 dias de prisão, em regime fechado, por peculato e associação criminosa.

Segundo a decisão, Riva liderou um esquema que desviou mais de R$ 62 milhões da Assembleia Legislativa, por meio de empresas fornecedoras de materiais do Legislativo.

A fraude ocorreu no período de 2005 a 2009 e tinha como base o suposto fornecimento de material de expediente para o Parlamento. Foi apurado que os materiais não existiam, mas eram atestados para justificar pagamentos milionários a gráficas “fantasmas”, sendo que 88% do valor retornava ao deputado.

O fato de Riva ter confessado o esquema e relatado que as fraudes visavam arrecadar dinheiro para pagar “mensalinho” aos deputados, listando os nomes de 34 beneficiários, levou a defesa a pedir que o político tivesse os mesmos benefícios de um delator, ainda que não tenha firmado colaboração premiada.

Já a magistrada concluiu que, embora a confissão possa atenuar a pena, não houve uma colaboração efetiva de Riva para a ação.

“Na verdade, se excluirmos a confissão/delação praticada pelo réu José Geraldo destes autos, não teríamos desfecho muito diferente do que o que ora se desenha”.

Sem novidades
Selma Arruda afirmou a confissão do ex-presidente da Assembleia ocorreu já em fase de reinterrogatório, quando já estavam colhidas todas as provas e depoimentos que “já apontavam para a sua condenação”.

“Ora, a lei dispõe que a colaboração deva servir para identificar coautores. No caso, José Geraldo, em seu interrogatório, apenas aponta para pessoas que já estão identificadas, foram denunciadas e já respondem a processos nesta vara. Não há colaboração na fala de José Geraldo”.

De acordo com a magistrada, Riva não trouxe novidades, mas tão somente a narrativa de fatos já provados, “com a confirmação de que os coautores indicados na denúncia efetivamente participaram do enredo criminoso”.

“José Geraldo pretende beneficiar-se de uma delação tardia, que nada de relevante acrescenta na descoberta dos fatos. Age desta forma apenas como estratégia de defesa, no claro intuito de beneficiar-se com redução de pena, tanto que o fez somente agora, depois de anos de tramitação processual”.

Ainda na decisão, a juíza lembrou que Riva não devolveu “nenhum centavo” aos cofres públicos e nem se propôs a fazê-lo, “de modo que é incabível a aplicação do instituto apontado pela defesa”.

“Portanto, a confissão operada deve ser levada em consideração, porém apenas e tão-somente como atenuante [...] Ainda que se acolha a alegação de que muitas vezes utilizava o dinheiro para o pagamento de ‘mensalinhos’ aos demais deputados, é certo que o réu José Geraldo o fazia para obter vantagens, seja de cunho político, seja de cunho financeiro. Assim, foi ele o beneficiário dos desvios praticados e, por isso, deve ressarcir o dano causado”, decidiu.

Além de Riva, também respondem pelos mesmos fatos em ação penal distinta a sua esposa e ex-secretária de Cultura Janete Riva, além de servidores públicos e empresários. São eles: Djalma Ermenegildo, Edson José Menezes, Manoel Theodoro dos Santos, Djan da Luz Clivatti, Elias Abrão Nassarden Junior, Jean Carlo Leite Nassarden, Leonardo Maia Pinheiro, Elias Abrão Nassarden, Tarcila Maria da Silva Guedes, Clarice Pereira Leite Nassarden, Celi Izabel de Jesus, Luzimar Ribeiro Borges e Jeanny Laura Leite Nassarden.

MT Agora - Lucas Rodrigues | Mídia News

Mais Noticias

Decisão

STF absolve senadora Gleisi Hoffmann e ex-ministro Paulo Bernardo da acusação de corrupção e lavagem de dinheiro

Justiça

STF recebe ação contra uso de prisão preventiva para obter delações

Operação Zelotes

Juiz nega pedido do filho de Lula e mantém data de depoimentos em processo da Operação Zelotes

Decisão

TSE amplia de 4 para até 6 meses duração de diretórios provisórios dos partidos

18/06/2018 -

OAB-MT pede suspensão dos prazos do PJe

A lentidão experimentada pelos usuários foi causada por diversos fatores, essencialmente ligados à intensa utilização da ferramenta no horário compreendido entre 14h e 17h

15/06/2018 -

Fachin pede a Lewandowski que novo pedido de liberdade de Lula seja julgado no dia 26 pela Segunda Turma do STF

Defesa quer que ex-presidente possa aguardar em liberdade julgamentos de recursos nos tribunais superiores. Caberá a Ricardo Lewandowski, presidente da Turma, decidir pela data do julgamento.

15/06/2018 -

Lucas do Rio Verde contará com mais uma Vara Criminal em breve, garante secretário

Secretário acredita que nova vara esteja em funcionamento ainda na segunda metade deste ano

14/06/2018 -

STF proíbe condução coercitiva de réus e investigados para depoimento

Instrumento utilizado em investigações já havia sido suspenso em decisão liminar de Gilmar Mendes. No julgamento, 6 dos 11 ministros votaram contra a medida, enquanto 5 votaram pela manutenção.

13/06/2018 -

Quatro ministros votam a favor da condução coercitiva e dois contra; STF adia decisão

Instrumento foi usado para colher depoimento do ex-presidente Lula em 2016. Julgamento será reiniciado nesta quinta. Para a decisão final, são necessários os votos de 6 dos 11 ministros do STF.

13/06/2018 -

Moro impede uso de informações e provas contra colaboradores da Lava Jato e empresas por parte de órgãos de controle

No despacho, Moro alterou nove decisões anteriores em que autorizou o compartilhamento de provas. O pedido foi feito pelo Ministério Público Federal (MPF).

13/06/2018 -

Ministro do STJ nega pedido de Lula para suspender prisão

Defesa quer que ex-presidente responda em liberdade no processo do triplex enquanto aguarda julgamento de recursos. Para ministro Felix Fischer, efeito suspensivo não é regra processual.

13/06/2018 -

Empresa reivindica propriedade de estrada de acesso à comunidade em Lucas; MP investiga

Uma empresa alega que a via foi projetada dentro de sua propriedade e diz que há acesso ao local por terceiros, além da ''prática de crimes e contravenções penais''.

12/06/2018 -

Condenado a 4 anos de reclusão homem que executou outro a tiros em Lucas do Rio Verde

A temporada de júris populares em Lucas do Rio Verde continua no próximo dia 19.

04/06/2018 -

Selma quer receber R$ 100 mil em indenização da Justiça de MT

Selma Arruda protocolou no Departamento de Cadastro do Tribunal de Justiça solicitações de pagamento referentes a 60 dias de licença-prêmio e 14 dias de compensatórias.

25/05/2018 -

Judiciário suspende expediente em todo o Estado

Os prazos processuais, nos processos físicos e eletrônicos, ficam prorrogados para o primeiro dia útil subsequente

25/05/2018 -

Deputado preso suspeito de liderar esquema de fraude no Detran tem habeas corpus negado pelo TJMT

Mauro Savi (DEM) está preso desde o dia 9 deste mês. Esquema investigado que teria desviado cerca de R$ 30 milhões do Detran.

23/05/2018 -

Vão abrir mesmo a caixa-preta da OAB?

TCU quer colocar contas da instituição sob fiscalização de auditores.

18/05/2018 -

Ex-gestor da Câmara de Lucas tem recurso negado e contas continuam irregulares

O colegiado negou recurso interposto pelo ex-gestor e manteve a irregularidade das contas.

17/05/2018 -

Pleno acolhe recurso do MPC e julga irregulares as contas de Confresa de 2014

O colegiado acompanhou o voto do relator aplicação de multa, determinações e ressarcimento ao erário, e aplicar penalidade adicional de 49 UPFs .

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora