Decoradora deve indenizar noiva por má prestação de serviço, diz TJMT

Noiva diz que decoradora descontou cheque-caução após dívida ser quitada. Justiça determinou que decoradora pague R$ 10 mil à noiva por danos morais.

27/03/2017 - 11:47:01

   

A Justiça de Mato Grosso condenou uma decoradora a indenizar em R$ 10 mil uma noiva pela má prestação de serviços no dia do casamento e por descontar um cheque-caução mesmo após o contrato ter sido quitado. O caso ocorreu em Tangará da Serra, município a 242 km de Cuiabá, em 2013.

Em primeira instância, a decoradora foi condenada a pagar R$ 15 mil à noiva, a título de danos morais. Após recorrer da sentença, a decoradora teve o valor de indenização diminuído por decisão unânime da Quinta Câmara Cível do Tribunal de Justiça (TJMT). A decisão, publicada no último dia 22, cabe recurso. O G1 não conseguiu localizar os advogados das partes.

Conforme consta no processo, a noiva fechou um contrato de R$ 57.500 e, no ato da assinatura do contrato, pagou 50% do valor (R$ 27.312) e emitiu cédula de cheque com os demais 50% para serem depositados um dia antes da realização do casamento. No entanto, no decorrer do processo de organização do evento, houve aditivos e reformulações, o que majorou a segunda parte do pagamento para R$ 29.950.

A noiva alega que emitiu, então, um novo cheque com o valor atualizado e requereu a devolução do primeiro cheque, no valor de R$ 27.312. A decoradora, porém, não só deixou de devolver o cheque como teria descontado ambos, causando prejuízo à noiva que, na ocasião, deixou de aproveitar a viagem de lua de mel por ter quase 50% a mais do que previa descontado de sua conta-corrente.

Consta no processo, ainda, que o serviço prestado foi diferente do que previa o contrato, no que se refere à cor do buquê da noiva, a mesa do bolo, os aparadores, as tendas e a ausência de mapeamento.

"Sem contar todo o embaraço causado na cerimônia de casamento, em razão da entrega de um buquê diferente do que foi solicitado pela apelada e pelo descumprimento da cláusula contratual que dispunha que haveria uma 'estrutura estilo pergolado com cobertura em lona de cristal', porém a estrutura foi montada de maneira diversa", afirmou em seu voto a desembargadora Cleuci Terezinha Chagas Pereira da Silva, relatora do processo.

Para a magistrada, se a decoradora concordou com a substituição do cheque dado para pagamento do contrato de decoração - por outro com data de compensação posterior -, a não devolução do primiero cheque à cliente e a sua compensação em data não acordada, configura-se defeitos relativos à prestação dos serviços.

“O contrato de prestação de serviços de decoração de festa de casamento configura-se uma típica relação de consumo, regida pelo Código de Defesa do Consumidor, e o dano moral dele decorrente é in re ipsa ou dano moral puro”, determinou.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Retorno

Juiz do RN determina volta de Arcanjo a MT até dia 14 de setembro

Ponte Interditada

Juiz manda interditar ponte entre Lucas e Sorriso sob multa de R$ 10 mil ao dia

Caso dos Grampos

Ministro do STJ concede liberdade a ex-secretário suspeito de grampos ilegais em MT

Vídeo Íntimo na Web

Jovem vaza vídeo íntimo de adolescente na web e é condenado a pagar indenização

07/08/2017 -

Cliente que pedia danos morais deve indenizar Sky por mentir em ação em MT

Mulher ingressou com ação pedindo R$ 17 mil de indenização, alegando ter sido incluída indevidamente no cadastro de proteção ao crédito. Empresa comprovou existência de débito.

04/08/2017 -

TRF atende pedido e devolve todos os bens bloqueados de ex-bicheiro Arcanjo

Entre os bens estão imóveis rurais e urbanos, automóveis, jóias, títulos de créditos, as ações e cotas de sociedades mercantis, o avião citation, os valores depositados nos bancos nacionais e internacionais

02/08/2017 -

TSE reverte decisão e Marcio Albieri perde vaga de Vereador

Com a perda do mandato, Marcio Albieri deve permanecer ocupando o cargo de Secretário Municipal e a Professora Cristiani Dias volta a ser titular da vaga ocupada. Ainda cabe recurso.

02/08/2017 -

TJ determina retorno de ex-bicheiro Arcanjo para presídio em MT

Decisão da Primeira Turma Criminal foi unânime; atualmente, ele cumpre pena no Rio Grande do Norte

01/08/2017 -

Justiça do Trabalho reconhece vínculo entre trabalhadora e falsa cooperativa em Lucas do Rio Verde

A cooperativa trouxe ao processo a ficha de inscrição e outros documentos para provar a participação do trabalhador nas reuniões da entidade

25/07/2017 -

Em depoimento, Silval assume liderança de quadrilha que desviou dinheiro do governo

Silval Barbosa (PMDB) prestou depoimento nesta segunda-feira (24) em Cuiabá. Ele ficou preso por quase dois anos e cumpre prisão domiciliar.

17/07/2017 -

Polêmico, delegado anuncia substituto mas prevê retorno as investigações sobre grampos

Flávio Stringuetta voltou a criticar

14/07/2017 -

TJ nega pedido do MPE e mantém investigação sobre supostos grampos feitos por promotores

Notícia-crime da OAB diz que há indícios de que interceptações ilícitas foram feitas pelo MP. TJMT investiga esquema de espionagem que fez mais de 100 vítimas.

14/07/2017 -

Procurador cita “afronta” em inquérito; delegado vê “intimidação”

Chefe do Ministério Público do Estado notificou Flavio Stringuetta sobre investigação de escutas

12/07/2017 -

Lula é condenado na Lava Jato no caso do triplex

Ex-presidente da República foi condenado a nove anos e seis meses.

26/06/2017 -

Procuradoria opina por aumentar pena de envolvido em latrocínio de acadêmico em Sinop

O crime ocorreu em dezembro de 2014 e, em março do ano passado, a quadrilha foi condenada pela juíza da 1ª Vara Criminal, Rosângela Zacarkim.

14/06/2017 -

Silval admite ter criado organização criminosa para pagar dívidas

Ex-governador resolveu confessar e ofereceu R$ 46 milhões para ressarcir cofres públicos

07/06/2017 -

Apreensão do carro por IPVA atrasado é ilegal e pode gerar dever de indenização

Dependendo da situação, a apreensão pode até gerar direito à indenização para o proprietário do carro.

07/06/2017 -

Juíza nega indenizar cuiabano que descobriu não ser pai de criança

O autor do processo chegou a ser preso três vezes por não pagar pensão

17/05/2017 -

Princípio da insignificância se aplica a furto de celular, decide Supremo

O entendimento é da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal, que reformou decisão do Superior Tribunal de Justiça

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora