Decoradora deve indenizar noiva por má prestação de serviço, diz TJMT

Noiva diz que decoradora descontou cheque-caução após dívida ser quitada. Justiça determinou que decoradora pague R$ 10 mil à noiva por danos morais.

27/03/2017 - 11:47:01

   

A Justiça de Mato Grosso condenou uma decoradora a indenizar em R$ 10 mil uma noiva pela má prestação de serviços no dia do casamento e por descontar um cheque-caução mesmo após o contrato ter sido quitado. O caso ocorreu em Tangará da Serra, município a 242 km de Cuiabá, em 2013.

Em primeira instância, a decoradora foi condenada a pagar R$ 15 mil à noiva, a título de danos morais. Após recorrer da sentença, a decoradora teve o valor de indenização diminuído por decisão unânime da Quinta Câmara Cível do Tribunal de Justiça (TJMT). A decisão, publicada no último dia 22, cabe recurso. O G1 não conseguiu localizar os advogados das partes.

Conforme consta no processo, a noiva fechou um contrato de R$ 57.500 e, no ato da assinatura do contrato, pagou 50% do valor (R$ 27.312) e emitiu cédula de cheque com os demais 50% para serem depositados um dia antes da realização do casamento. No entanto, no decorrer do processo de organização do evento, houve aditivos e reformulações, o que majorou a segunda parte do pagamento para R$ 29.950.

A noiva alega que emitiu, então, um novo cheque com o valor atualizado e requereu a devolução do primeiro cheque, no valor de R$ 27.312. A decoradora, porém, não só deixou de devolver o cheque como teria descontado ambos, causando prejuízo à noiva que, na ocasião, deixou de aproveitar a viagem de lua de mel por ter quase 50% a mais do que previa descontado de sua conta-corrente.

Consta no processo, ainda, que o serviço prestado foi diferente do que previa o contrato, no que se refere à cor do buquê da noiva, a mesa do bolo, os aparadores, as tendas e a ausência de mapeamento.

"Sem contar todo o embaraço causado na cerimônia de casamento, em razão da entrega de um buquê diferente do que foi solicitado pela apelada e pelo descumprimento da cláusula contratual que dispunha que haveria uma 'estrutura estilo pergolado com cobertura em lona de cristal', porém a estrutura foi montada de maneira diversa", afirmou em seu voto a desembargadora Cleuci Terezinha Chagas Pereira da Silva, relatora do processo.

Para a magistrada, se a decoradora concordou com a substituição do cheque dado para pagamento do contrato de decoração - por outro com data de compensação posterior -, a não devolução do primiero cheque à cliente e a sua compensação em data não acordada, configura-se defeitos relativos à prestação dos serviços.

“O contrato de prestação de serviços de decoração de festa de casamento configura-se uma típica relação de consumo, regida pelo Código de Defesa do Consumidor, e o dano moral dele decorrente é in re ipsa ou dano moral puro”, determinou.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Trabalho Escravo

Portaria exclui da definição de trabalho escravo quase 90% dos processos, aponta Ministério Público

Greve

Justiça declara ilegal greve de agentes penitenciários de Mato Grosso

Condenação

Júri condena e juiz manda prender homem que matou funcionário de parque há 14 anos em Lucas do Rio Verde

Liminar

Liminar proíbe enfermeiros de realizarem exames e muda rotina nos PSFs de Lucas do Rio Verde

17/10/2017 -

Procurador reafirma que Janot atuou politicamente no acordo de delação da J&F

O procurador foi preso durante a Operação Patmos, após suspeitas de que teria vazado informações sobre a Operação Greenfield, que tinha como alvo a holding J&F, controladora do grupo JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

17/10/2017 -

Justiça Federal aceita denúncia, e Joesley e Wesley Batista viram réus

Irmãos são acusados de usar informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro por meio das empresas JBS e FB Participações.

17/10/2017 -

MPF investiga se Força Nacional cometeu irregularidades contra índios em MT

Força Nacional foi enviada na semana passada para Usina São Manoel.

17/10/2017 -

TCE aponta irregularidades e governo suspende licitação para pavimentação da MT-130

Obra em trecho com extensão de 44 km tem custo orçado em R$ 43,5 milhões. Segundo o governo, suspensão é temporária para que correções sejam feitas no certame.

16/10/2017 -

Acusado de matar homem com tiro de espingarda há 14 anos vai a júri em Lucas do Rio Verde

O crime ocorreu em dezembro de 2002, em um parque de diversões no município. A vítima foi atingida com um tiro de espingarda nas costas e morreu na hora.

15/10/2017 -

Justiça determina votação aberta no caso Aécio

Sessão desta terça-feira decidirá sobre afastamento do senador.

15/10/2017 -

Defesa de Temer critica vazamento de delação de Funaro e rebate acusações

O depoimento foi prestado por Funaro no fim de agosto.

14/10/2017 -

Caixa não pode recusar repasse do FGTS para pagamento de pensão alimentícia

Agora, a Caixa terá de promover a imediata transferência dos valores para a conta judicial, sob pena de incorrer em crime de desobediência.

13/10/2017 -

Moro dá prazo de 48 horas para que defesa de Lula entregue recibos originais de aluguéis de imóvel investigado na Lava Jato

Decisão do juiz foi divulgada no sistema da Justiça na manhã desta sexta-feira (13). Ao todo, a defesa do ex-presidente apresentou 31 recibos.

13/10/2017 -

Fux decide que governo não pode extraditar Battisti até que STF se manifeste

Primeira Turma decidirá no próximo dia 24 se governo pode rever decisão do ex-presidente Lula, de 2010, que negou extradição à Itália. Governo Temer decidiu extraditar ex-ativista.

11/10/2017 -

TCU bloqueia bens de Dilma por prejuízo à Petrobras com compra de Pasadena

Além da ex-presidente, decisão atinge outros 5 ex-membros do Conselho de Administração da estatal que aprovaram, em 2006, a compra da refinaria. Cabe recurso.

11/10/2017 -

TRF4 mantém Sérgio Moro em processo da Lava Jato que investiga empresário Marcelo Simões

Ele é suspeito de envolvimento em contratos irregulares com a Caixa Econômica Federal. Advogado de empresário disse que vai recorrer de decisão.

11/10/2017 -

Fachin nega pedido para tirar de Moro gravações de conversas de Lula

Defesa argumentou que autoridades com foro privilegiado aparecem nas conversas, e portanto análise teria que ser do Supremo. Ministro entendeu que autoridades citadas não são alvo de investigação.

10/10/2017 -

MPF denuncia Joesley e Wesley Batista por operações financeiras

Irmãos são acusados de usar informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro por meio das empresas JBS e FB Participações.

10/10/2017 -

Fachin manda arquivar inquérito que investigava Renan, Jucá e Sarney

Ministro do STF acolheu pedido da PGR, que concluiu que ''não houve a prática de nenhum ato concreto''. Ex-presidente da Transpetro denunciou plano para atrapalhar a Lava Jato.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora