Em manifestação ao STF, Raquel Dodge defende prisão após condenação em segunda instância

Procuradora-geral da República enviou documento aos gabinetes dos 11 ministros. Supremo Tribunal Federal já tomou decisões diferentes sobre o assunto.

16/11/2017 - 22:26:49

   

Raquel Dodge e ministro do STF defendem a prisão para condenados em segunda instância

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou parecer nesta quinta-feira (16) ao Supremo Tribunal Federal em defesa da possibilidade da decretação de prisão após a condenação judicial em segunda instância.

O documento foi enviado aos gabinetes dos 11 ministros do tribunal, que deverá voltar a discutir a questão em duas ações, apresentadas pela Ordem de Advogados do Brasil (OAB) e pelo Partido Ecológico Nacional (PEN). Ainda não há, porém, previsão de julgamento desses processos.

A possibilidade de condenados começarem a cumprir penas após a condenação em segunda instância (por um Tribunal de Justiça estadual ou Tribunal Regional Federal) foi fixada pelo STF em fevereiro de 2016 e confirmada pela própria Corte em outras duas ocasiões, em novembro e outubro do ano passado.

Mas, em várias decisões individuais, alguns ministros contrários a esse entendimento já soltaram condenados nessa situação, permitindo que recorressem em liberdade a outros tribunais superiores (STJ e STF).

No memorial ao STF, Dodge argumenta que permitir que o condenado recorra em liberdade até a quarta e última instância (o próprio STF) acarreta, na prática, impunidade para criminosos, já que vários recursos são “protelatórios”.

Tais apelações têm por objetivo arrastar o processo até a prescrição, momento no qual se extingue a possibilidade de punir pela demora na resolução final do processo.

“Esta espera contribui para a inefetividade do direito penal, incentivando a incessante interposição de recursos pela defesa, apenas para evitar o trânsito em julgado da condenação e alcançar a prescrição da pena, o que reforça o sentimento de impunidade e descrédito na Justiça”, diz Dodge no documento.

Ela também argumentou que é na primeira e na segunda instância que os juízes aferem se houve culpa do acusado, com análise de fatos e provas, enquanto que nas instâncias superiores somente se analisam questões jurídicas.

Eventuais erros nas duas primeiras instâncias, acrescentou Dodge, ainda poderão ser corrigidas nos tribunais superiores. Para a procuradora-geral, deixar o condenado recorrer em liberdade até a última instância representaria “triplo" retrocesso: "Traz instabilidade na atual jurisprudência, alonga os processos criminais e fere a credibilidade da Justiça".

Várias manifestações já chegaram ao STF sobre o assunto. Só faltava porém, o parecer de Raquel Dodge para o julgamento ser marcado.

No início deste mês, durante evento com procuradores em Pernambuco, ela defendeu a manutenção desse entendimento.

“Nossa agenda mais recente deve incluir a luta pelo fim da impunidade. Para isto, é necessário defender no Supremo Tribunal Federal o início da execução da pena quando esgotado o duplo grau de jurisdição”, disse a procuradora-geral.

Ainda antes de tomar posse na PGR, Dodge manifestou a mesma posição durante sabatina a que foi submetida no Senado, em julho.

“Eu mesmo já a requeri em algumas oportunidades quando o tribunal confirma a sentença condenatória. E ela tem produzido alguns efeitos que tem sido considerado, que debilitam a grande impunidade que ainda acontece no país”, disse na ocasião.

A possibilidade de prisão após a condenação em segunda instância já era defendida pela Procuradoria Geral da República (PGR) no mandato de Rodrigo Janot, antecessor de Dodge no comando do órgão.

Antes de fevereiro do ano passado, quando o STF fixou essa tese, só se admitia a prisão após esgotados todos os recursos possíveis nas quatro instâncias existentes.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Conselho Nacional De Justiça

CNJ intima Favreto, Moro e Gebran para esclarecer conflitos sobre Lula

Decisão

Presidente do Superior Tribunal de Justiça reafirma decisão do presidente do TRF-4 que manteve Lula preso

Inelegibilidade De Lula

Ministra do TSE rejeita pedido do MBL para declarar Lula inelegível

Pedido Negado

Presidente do STJ nega liberdade a ex-deputado Eduardo Cunha

18/07/2018 -

Justiça nega habeas corpus a Dr. Bumbum; namorada é transferida

Renata Cirne estava detida desde domingo na 16ª DP (Barra da Tijuca) e foi para cadeia em Benfica. Médico e a mãe estão foragidos.

18/07/2018 -

Justiça Eleitoral abre habilitação para voto em trânsito

O voto em trânsito pode ocorrer no primeiro, no segundo ou nos dois turnos, nas capitais e nos municípios com mais de 100 mil eleitores.

17/07/2018 -

Juiz condena jovens que lideraram protestos contra gastos na Copa

Sentença do Juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, prevê pena de até 7 anos de prisão por formação de quadrilha e corrupção de menores. Condenados podem recorrer em liberdade.

17/07/2018 -

PGR diz ao Supremo haver indícios de que Lindbergh Farias atuou para favorecer OAS

Manifestação foi enviada em inquérito que apura se senador beneficiou construtora numa MP editada por Dilma. Em resposta, Lindbergh disse que não votou MP nem elaborou a medida.

17/07/2018 -

Imóvel de José Dirceu é arrematado em leilão por R$ 465 mil

Residência no bairro Saúde, na zona sul de São Paulo, estava avaliada em R$ 750.375,00 e foi vendida na segunda-feira (16).

17/07/2018 -

Justiça determina bloqueio de bens de Lúcio Funaro

Valor de R$ R$ 94,5 milhões se refere a dívidas tributárias de empresa atribuída a Funaro. Delator da Lava Jato alegou à Justiça ‘’nulidade da certidão de dívida ativa’’ e ‘’prescrição do crédito tributário’’.

17/07/2018 -

Justiça cassa liminar que suspendia leilão da Eletrobras

A decisão do desembargador veio após a União pedir a suspensão da liminar.

17/07/2018 -

STF autoriza acordo da Telebras com Viasat para uso de satélite

O satélite está em operação há mais de um ano e, além de ampliar o acesso à internet banda larga na Região Norte do país, também serve para uso da comunicação estratégica das Forças Armadas, na banda X.

17/07/2018 -

MPE entra com ação para que Estado conclua obras da MT 248 e empresa indenize usuários

Ação cobra pavimentação de trecho de 12 km da MT-248, entre Jauru e Figueirópolis D'Oeste. MP ainda pede indenização a vítimas de acidentes na rodovia.

17/07/2018 -

MPF aciona governo de MT após alteração em lei permitir novos desmatamentos em área de proteção ser sancionada

Lei altera o inciso VIII da Lei nº 7.161 de 1999 que proíbe novos desmatamentos nas cabeceiras do rio. À época em que a lei foi criada, a área tinha cerca de 473 mil hectares.

15/07/2018 -

MP defende banco de informações sobre medidas alternativas à prisão

Estas são opções de punição que juízes podem adotar em vez de destinar uma pessoa à cadeia.

15/07/2018 -

Tomada de Contas apura se ex-secretário Estadual de Administração causou prejuízo de R$ 2,6 mi ao erário

A Representação de Natureza Externa foi protocolada no Tribunal de Contas pela Procuradoria-Geral de Justiça, que apontou irregularidades em contratos de doação de bens móveis públicos (veículos) pela Secretaria.

15/07/2018 -

Empresas de transporte rodoviário são condenadas em R$ 500 mil por dispensas irregulares

Com a condenação, as empresas estão obrigadas a adotar imediatamente, em todos os estabelecimentos situados em Mato Grosso, medidas para acabar com o abuso do poder empregatício.

15/07/2018 -

PGR é contra retirar Moro da ação sobre Lula no caso do sítio de Atibaia

Parecer da procuradoria foi enviado ao Superior Tribunal de Justiça. Defesa do ex-presidente pediu que o juiz fosse considerado suspeito no caso por, segundo os advogados, atuar com parcialidade.

15/07/2018 -

MP pede afastamento e bloqueio de R$ 365 mil em bens de secretário de Saúde de MT

Segundo o MPE, Luiz Soares descumpre ordens judiciais para fornecimento de atendimentos a pacientes. O governo disse que ainda não foi notificado sobre a ação.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora