Operação Lava Jato

Fachin libera ação, e novo pedido de liberdade de Lula deve ser julgado até o mês que vem

Defesa do ex-presidente apresentou novo pedido de liberdade após Sérgio Moro ter sido anunciado ministro. Presidente da Segunda Turma do STF disse caso pode ser julgado ainda em dezembro.

Fonte: Mariana Oliveira | TV Globo
27 de Novembro de 2018 as 16h 47min

O ministro Edson Fachin durante sesso do SupremoTribunal Federal Foto: Ftima Meira/Futura Press/ Estado Contedo

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, liberou nesta terça-feira (27) para julgamento na Segunda Turma do STF o novo pedido de liberdade feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O presidente da turma, ministro Ricardo Lewandowski, disse antes da sessão das turmas nesta terça-feira que o caso pode ser julgado até o mês que vem, antes do recesso, que começa em 20 de dezembro. Mas as datas ainda serão definidas após conversa com Fachin.

Na decisão em que liberou o relatório sobre o novo pedido de liberdade para os demais ministros, Fachin pede que o caso seja julgado na semana que vem, no próximo dia 4.

Fachin liberou o processo para julgamento antes mesmo do parecer da Procuradoria Geral da República – na semana passada, ele deu cinco dias para o órgão se manifestar, mas o documento ainda não foi apresentado. O ministro tinha afirmado que esperava o julgamento do tema ainda neste ano.

Ele lembrou que, com a disponibilização do relatório, que resume o pedido e as informações prestadas, o julgamento se torna mais célere porque não há necessidade de nova leitura completa em plenário.

Há duas semanas, Fachin havia pedido que Superior Tribunal de Justiça, Tribunal Regional Federal da 4ª Região e 13ª Vara Federal de Curitiba se manifestassem. Todos apontaram legalidade nas decisões que mantiveram Lula preso.

Além de Fachin e Lewandowski, a Segunda Turma, que julgará o habeas corpus, é formada pelos ministros Celso de Mello, Cármen Lúcia e Gilmar Mendes.

Argumentação

A defesa apontou parcialidade do juiz Sérgio Moro na condenação do ex-presidente dentro da Operação Lava Jato e na condução de outros processos.

O argumento já havia sido utilizado em outros habeas corpus em favor de Lula, todos rejeitados pela Justiça, mas agora foi repetido, com base na decisão de Moro de aceitar convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para assumir como ministro da Justiça no ano que vem.

Para a defesa de Lula, Moro demonstrou “inimizade capital” e “interesses exoprocessuais” ao condenar Lula, no ano passado, por corrupção e lavagem de dinheiro, o que, no entender dos advogados, deveria afastá-lo do processo.


COMENTARIOS

Mais de Judiciário

Fiança

Justiça determina soltura de professora que atropelou mulher e criança após provar não ter condições de pagar fiança de quase R$ 30 mil

Professora afirmou que a renda mensal dela é de R$ 2 mil e, por isso, não teria condições de pagar o valor determinado pela Justiça.

22 de Novembro de 2019 as 06h49

Terra Prometida

TRF vê falta de indícios e tranca apuração contra ex-prefeito de Lucas em operação

O abalo à sua imagem, por conta da operação, acabou tendo que vender parte de sua empresa e perder o controle acionário.

21 de Novembro de 2019 as 11h17

Decisão da Justiça

Justiça determina que delegado de MT suspeito de envolvimento com grampos volte a usar tornozeleira

Rogers Elizandro Jarbas é investigado por interferir no processo que apura o crime, tentando obter documentos sigilosos, ou constrangendo autoridades.

19 de Novembro de 2019 as 10h35

Decisão STF

Após decisão do STF, Justiça manda soltar ex-governador de Minas

10 de Novembro de 2019 as 15h20

Pesquisa

Pesquisa: 56% discordam de decisão do STF que soltou ex-presidente Lula

Instituto Realtime Big Data entrevistou 1.200 pessoas entre sexta (8) e sábado (9); levantamento tem margem de erro de 4% e nível de confiança de 95%

10 de Novembro de 2019 as 15h05

TCE

Candidato único, Maluf é eleito presidente do Tribunal de Contas de MT

Ele assume o órgão no lugar de Gonçalo Domingos de Campos Neto.

06 de Novembro de 2019 as 09h09

Dívida

Justiça determina bloqueio de quase R$ 3 milhões do estado por dívida com hospital de Sinop (MT)

Dívida se refere a serviços prestados pela unidade, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

06 de Novembro de 2019 as 08h59

Paternidade

Justiça determina que homem que se recusou a fazer exame de DNA assuma paternidade de criança em MT

Para os desembargadores, o fato do homem não ter comparecido para a realização do exame e também não ter pago o procedimento induz a presunção da paternidade.

14 de Outubro de 2019 as 07h26

Produção Agrícola

Embargos são suspensos e acordo regulariza a produção agrícola em terras indígenas de MT

Índios Paresi devem cultivar 3,5 mil hectares com soja. Povos indígenas também devem investir em lavouras de segunda safra.

02 de Outubro de 2019 as 07h23

Pagamento de Servidores

Justiça encontra dinheiro em contas de prefeitura e determina pagamento de servidores em MT

A Prefeitura de Santo Antônio do Leverger anunciou em agosto que escalonaria o salário dos servidores.

02 de Outubro de 2019 as 07h22

Arquivado

Corregedoria do MP-MT arquiva investigação contra procurador citado em investigação de grampos

A conclusão da sindicância investigativa foi de que não há justa causa para instauração de processo disciplinar administrativo contra o procurador Paulo Prado.

02 de Outubro de 2019 as 07h20

Justiça Federal

Justiça Federal derruba liminar que devolvia terra a índios em MT

A área que fica no Distrito de Jarudore, em Poxoréu, tem cerca de 4 mil hectares.

25 de Setembro de 2019 as 14h38

Investimento

Justiça solta um dos acusados de envolvimento em chacina que deixou 9 mortos em MT

Os desembargadores da Primeira Câmara Criminal entenderam que não há razão para manter Paulo Neves Nogueira preso.

25 de Setembro de 2019 as 14h30

Força-tarefa

Força-tarefa da Defensoria revisa processos de 722 presos da Penitenciária Central de MT para correções

Defensores já analisaram 243 processos e protocolaram 73 petições pedindo a correção da data base do cálculo das penas, questionam ausência de remição de pena e pedem unificação e progressão de pena.

20 de Setembro de 2019 as 17h38

Judiciário

TCE considera que Prefeitura de Chapada prestou contas, que serão analisadas

Por maioria, acompanhando o voto revisor do conselheiro Guilherme Antônio Maluf, o Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso considerou que a Prefeitura de Chapada dos Guimarães prestou contas referente ao exercício de 2017

18 de Setembro de 2019 as 16h38

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

veja +

COTAÇÃO