Grávida e na Europa, cuiabana consegue HC e não será presa

Hívena Queiroz Del Pintor Vieira, de 25 anos, é acusada pela morte de um gari em São Paulo em 2015

15/03/2018 - 05:51:35

   

A desembargadora Ely Amioka, do Tribunal de Justiça de São Paulo, revogou a prisão preventiva da arquiteta cuiabana Hívena Queiroz Del Pintor Vieira, de 25 anos.

A decisão, que acolheu habeas corpus da defesa, é desta quarta-feira (14).

Hívena é acusada de atropelar e matar o gari Alceu Ferraz, de 61 anos, no Centro da Capital paulista em 2015. Ela teve a prisão preventiva decretada na última semana, pela juíza da 24ª Vara Criminal de São Paulo, Sonia Nazaré Fernandes Fraga, após faltar a uma audiência sobre o caso.

No HC, o advogado Marco Aurélio Florêncio Filho sustentou que a arquiteta não foi notificada sobre a audiência.

“Afirma que para a realização de referida audiência, foram expedidas precatórias e mandados de intimação das testemunhas de acusação, contudo a citação da paciente não se aperfeiçoou, nem mesmo por edital”, diz trecho do HC.

“Alega-se que os Defensores da Paciente forneceram endereço e telefones para contato na cidade de Cuiabá/MT, onde já estava domiciliada, mas nenhuma carta precatória foi expedida para citação no endereço informado, mas apenas foram expedidos mandados para logradouros localizados na Capital Paulista, onde não mais era domiciliada desde o final de 2016, quando se formou no curso de arquitetura”, completa o documento.

A defesa alegou ainda que a decretação da prisão da jovem foi totalmente ilegal, considerando que, em caso de uma eventual condenação, a pena será cominada em patamar abaixo de quatro anos de detenção e o regime será o aberto.

Segundo o advogado, a arquiteta está em viagem para a Europa e deve retornar ao Brasil no próximo dia 17 de março. Relatou ainda que ela está grávida de 13 semanas.

“Dessa forma, tem direito à substituição da custódia preventiva por prisão domiciliar, até mesmo porque as penas abstratamente cominadas aos crimes que constam da denúncia não ultrapassam 4 anos de detenção", pontua o HC. 

A decisão
Na decisão, a desembargadora afirmou ter detectado “irregularidades de ordem técnica” que impossibilitaram a intimação da arquiteta.

“Data vênia, e sempre respeitando entendimentos diversos, nos termos do art. 400, do Código de Processo Penal, a audiência de instrução deve ocorrer após sanadas todas as questões relativas à citação, inclusive por edital, e as apresentadas em sede de resposta à acusação, e após esgotadas todas as possibilidades de citação do réu, inclusive a citação por edital. Neste caso, não foi o que ocorreu”, diz trecho da decisão.

"A procuração outorgada pela ré ainda na fase extrajudicial está juntada às fls. 63, declarando ela ter dois endereços, sendo um no bairro de Moema, como declarara antes, e um em Cuiabá/MT, e tal procuração deu amplos e ilimitados poderes aos Advogados. Também foi informado, ainda no inquérito policial, uma viagem da ré de ida e volta ao exterior, conforme fls.286/287. Para citação da ré foi expedida carta precatória para a comarca de Barueri, constando, todavia, aquele endereço que fica no bairro de Moema, nesta Capital (fls. 402/403). Tal carta precatória foi devolvida sem cumprimento, por motivos óbvios. Não houve expedição de carta precatória para o endereço na cidade de Cuiabá/MT, onde efetivamente a ré declarou ter endereço. E também não houve citação por edital”, afirmou.

A desembargadora determinou algumas medidas para que Hívena continue em liberdade.

Entre elas, comparecer no Cartório da 24ª Vara Criminal Central de São Paulo no primeiro dia útil subsequente à data de retorno para receber mandado de citação e oferecer resposta à acusação; comparecer mensalmente em Cartório, entre os dias 20 e 30 de cada mês; manter seu endereço atualizado e comparecer a todos os atos processuais para os quais for intimada; não se ausentar da Comarca sem autorização prévia e entregar seu passaporte em Cartório, ficando proibida de sair do País.

O caso
O atropelamento aconteceu no início da madrugada do dia 16 de junho de 2015.

Dois garis trabalhavam no centro da cidade quando foram atingidos por um carro desgovernado. 

Alceu Ferraz morreu na hora e José João da Silva teve ferimentos leves. 

A jovem se apresentou à Polícia uma semana após o crime, prestou depoimento e foi liberada em seguida. 

Ela afirmou que, na noite do acidente, tinha saído de uma festa na casa de uma amiga de faculdade, no Bairro de Higienópolis. 

No caminho até sua casa, ela contou que foi surpreendida por três indivíduos e disparou com o veículo, atingindo "algo ou alguém".

Ainda segundo Hívena, logo após a colisão ela ligou para o prefixo 190 e registrou um boletim de ocorrência na 8ª Delegacia de Polícia do Brás, relatando que sofreu uma tentativa de assalto.

A Polícia chegou até Hívena através de uma denúncia anônima.
O carro dela, que estava com o para-brisas danificado, foi apreendido na garagem do prédio onde morava, no Bairro Moema, Zona Sul de São Paulo.

A localização do veículo foi realizada por meio da análise de imagens de câmeras de segurança instaladas na região.

Outro lado 
Na tarde desta quarta-feira (14), o advogado Marco Aurélio Florêncio Filho, que faz a defesa da arquiteta, divulgou uma nota a respeito do caso. Leia: 

"Diante das notícias veiculadas a respeito da arquiteta Hívena Queiroz Del Pintor Vieira, sua defesa vem a público esclarecer que:

A arquiteta, em nenhum momento, foi citada para responder a acusação ou comparecer a audiência ocorrida no dia 6 de março, muito embora seus endereços estivessem atualizados no processo. Hívena continua residindo em Cuiabá, juntamente com seus pais.

Em dezembro de 2017, Hívena viajou para a Europa, com data certa de retorno, em março de 2018. Durante a viagem, Hívena descobriu que estava grávida e hoje o período gestacional completa aproximadamente 13 semanas.

Enfatizamos que até o presente momento, nem mesmo foi determinada a expedição de mandado de citação para Hívena no endereço informado nos autos, muito embora agentes da polícia federal já tenham lá estado para efetivar sua prisão.

Diante das pontuadas ilegalidades, foi impetrado o Habeas Corpus, com o objetivo de revogar a prisão preventiva ou substituir a custódia preventiva por outras medidas diversas da prisão, cuja liminar foi deferida na tarde desta quarta-feira, 14 de março.

Em síntese, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo substituiu a custódia preventiva de Hívena por outras medidas cautelares diversas da prisão, adequadas e suficientes para garantir eventual instrução processual.

Reafirmamos que Hívena nunca deixou de prestar todas as informações à Justiça e atendimento aos familiares da vítima desta tragédia ocorrida."

MT Agora - Thaiza Assunçaõ | Mídia News

Mais Noticias

Conselho Nacional De Justiça

CNJ intima Favreto, Moro e Gebran para esclarecer conflitos sobre Lula

Decisão

Presidente do Superior Tribunal de Justiça reafirma decisão do presidente do TRF-4 que manteve Lula preso

Inelegibilidade De Lula

Ministra do TSE rejeita pedido do MBL para declarar Lula inelegível

Pedido Negado

Presidente do STJ nega liberdade a ex-deputado Eduardo Cunha

18/07/2018 -

Justiça nega habeas corpus a Dr. Bumbum; namorada é transferida

Renata Cirne estava detida desde domingo na 16ª DP (Barra da Tijuca) e foi para cadeia em Benfica. Médico e a mãe estão foragidos.

18/07/2018 -

Justiça Eleitoral abre habilitação para voto em trânsito

O voto em trânsito pode ocorrer no primeiro, no segundo ou nos dois turnos, nas capitais e nos municípios com mais de 100 mil eleitores.

17/07/2018 -

Juiz condena jovens que lideraram protestos contra gastos na Copa

Sentença do Juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, prevê pena de até 7 anos de prisão por formação de quadrilha e corrupção de menores. Condenados podem recorrer em liberdade.

17/07/2018 -

PGR diz ao Supremo haver indícios de que Lindbergh Farias atuou para favorecer OAS

Manifestação foi enviada em inquérito que apura se senador beneficiou construtora numa MP editada por Dilma. Em resposta, Lindbergh disse que não votou MP nem elaborou a medida.

17/07/2018 -

Imóvel de José Dirceu é arrematado em leilão por R$ 465 mil

Residência no bairro Saúde, na zona sul de São Paulo, estava avaliada em R$ 750.375,00 e foi vendida na segunda-feira (16).

17/07/2018 -

Justiça determina bloqueio de bens de Lúcio Funaro

Valor de R$ R$ 94,5 milhões se refere a dívidas tributárias de empresa atribuída a Funaro. Delator da Lava Jato alegou à Justiça ‘’nulidade da certidão de dívida ativa’’ e ‘’prescrição do crédito tributário’’.

17/07/2018 -

Justiça cassa liminar que suspendia leilão da Eletrobras

A decisão do desembargador veio após a União pedir a suspensão da liminar.

17/07/2018 -

STF autoriza acordo da Telebras com Viasat para uso de satélite

O satélite está em operação há mais de um ano e, além de ampliar o acesso à internet banda larga na Região Norte do país, também serve para uso da comunicação estratégica das Forças Armadas, na banda X.

17/07/2018 -

MPE entra com ação para que Estado conclua obras da MT 248 e empresa indenize usuários

Ação cobra pavimentação de trecho de 12 km da MT-248, entre Jauru e Figueirópolis D'Oeste. MP ainda pede indenização a vítimas de acidentes na rodovia.

17/07/2018 -

MPF aciona governo de MT após alteração em lei permitir novos desmatamentos em área de proteção ser sancionada

Lei altera o inciso VIII da Lei nº 7.161 de 1999 que proíbe novos desmatamentos nas cabeceiras do rio. À época em que a lei foi criada, a área tinha cerca de 473 mil hectares.

15/07/2018 -

MP defende banco de informações sobre medidas alternativas à prisão

Estas são opções de punição que juízes podem adotar em vez de destinar uma pessoa à cadeia.

15/07/2018 -

Tomada de Contas apura se ex-secretário Estadual de Administração causou prejuízo de R$ 2,6 mi ao erário

A Representação de Natureza Externa foi protocolada no Tribunal de Contas pela Procuradoria-Geral de Justiça, que apontou irregularidades em contratos de doação de bens móveis públicos (veículos) pela Secretaria.

15/07/2018 -

Empresas de transporte rodoviário são condenadas em R$ 500 mil por dispensas irregulares

Com a condenação, as empresas estão obrigadas a adotar imediatamente, em todos os estabelecimentos situados em Mato Grosso, medidas para acabar com o abuso do poder empregatício.

15/07/2018 -

PGR é contra retirar Moro da ação sobre Lula no caso do sítio de Atibaia

Parecer da procuradoria foi enviado ao Superior Tribunal de Justiça. Defesa do ex-presidente pediu que o juiz fosse considerado suspeito no caso por, segundo os advogados, atuar com parcialidade.

15/07/2018 -

MP pede afastamento e bloqueio de R$ 365 mil em bens de secretário de Saúde de MT

Segundo o MPE, Luiz Soares descumpre ordens judiciais para fornecimento de atendimentos a pacientes. O governo disse que ainda não foi notificado sobre a ação.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora