Insegurança Pública

MPF aponta ineficácia de Forças Armadas no Rio

Procurador avalia que seria mais eficiente que o governo federal enviasse recursos financeiros para o estado investir na Polícia Militar, que está sucateada.

Fonte:MT Agora - O Dia
28 de Agosto de 2017 as 21h 42min

Há 30 dias teve início a operação ‘Rio quer segurança e paz’, que prometia, com ação das Forças Armadas e polícias do Rio, golpear o crime organizado. No discurso do governo do estado, uma das principais justificativas para a ajuda federal era retirar das mãos de bandidos as armas de guerra, que vitimam tantos policiais e cidadãos comuns. Até ontem, no entanto, foram realizadas três megaoperações conjuntas que não apreenderam nenhum fuzil. O Ministério Público Federal do Rio aponta a ineficácia do emprego das Forças Armadas e quer que o governo federal envie recursos para a Polícia Militar sair do sucateamento.

“Fiz uma reunião de horas com representantes do Exército, da PM, da Polícia Rodoviária Federal e até agora estou sem entender a necessidade dos militares nessas operações”, afirmou o procurador Eduardo de Oliveira, que coordena o Controle Externo da Atividade Policial no Rio.O Exército é essencial na soberania nacional e nas fronteiras. Mas a tropa ficar parada em pontos de uma comunidade para a polícia cumprir mandados de prisão é ineficaz e tem um custo enorme. Esse recurso financeiro poderia ser utilizado para ajudar no conserto das viaturas da Polícia Militar, por exemplo”, avaliou. O DIA apurou que o custo de uma operação diária do Exército é de R$ 1,2 milhão. Atualmente, cerca de 40% das viaturas da corporação estão paradas com avarias.

O procurador não descarta entrar com uma ação cível pública pedindo o repasse do dinheiro utilizado nas ações militares para a segurança estadual. “Há questões estruturais que precisam ser resolvidas para que decretos de garantia da lei e da ordem sejam a exceção e não a regra. O Exército tem a filosofia de combater um inimigo sem rosto, ou seja, não é para lidar com a população civil”, disse Oliveira.

Após a primeira etapa do Exército nas ruas e vias expressas, a força passou a atuar em operações pontuais contra o tráfico de drogas, baseado em investigações policiais. Os apoios ocorreram na Zona Norte e em diversos pontos da Região Metropolitana. Foram presas 84 pessoas e apreendidos 14 kg de cocaína, 300 kg de maconha além de carros e munições.

Procurado, o porta-voz do Exército, coronel Roberto Itamar, disse que “o Exército não faz ocupações devido ao alto custo e que no passado essa ação demonstrou não ter resultados”. Em 1 ano e meio no Complexo da Maré o custo da ocupação foi de R$ 400 milhões.

Especialistas em estratégia militar divergem sobre atuação do Exército

Para o major da reserva do Exército e consultor em análise de risco do think tank Instituto Arc, Nelson Ricardo Fernandes Silva, a estratégia no uso dos militares somente nos cercos das comunidades onde são realizadas incursões da polícia é justificada pela crise econômica e baseada em estudos. “Há uma força policial para entrar nas residências e realizar revistas. Caso o Exército fizesse isso, seria uma aplicação torta de sua finalidade. Tem policiais para fazer isso e é mais sensato usar alguém que sempre operou no local e conhece bem a área”, opinou.

Nelson Ricardo participou enquanto paraquedista de uma ocupação do Exército no Pavão-Pavãozinho em 1993 e também na força de paz brasileira no Haiti, em 2008. Pela sua experiência, as operações realizadas com militares que residem no estado é um fato de preocupação pelo risco de vazamentos. Foi o que ocorreu na semana passada, com a prisão do soldado Mateus Lopes, 19. Amigo de infância do traficante do Comando Vermelho Biscolé, o militar repassava os locais e horários de todas as ações policiais conjuntas. “Normalmente há o cuidado de se fazer uma triagem. Quem mora no local ou perto não participa da operação”, disse.

Já para o vice-presidente do Clube Militar, general Clóvis Bandeira, o Exército não deveria atuar sem um amparo nas leis mais amplo.  “Para a gente agir em situações onde há guerrilha, com traficantes armados, nós precisamos de soluções extraordinárias no campo legal. Mandados de busca coletivos para um bairro inteiro e julgamentos em tribunais militares. Essas ações pontuais têm uma despesa grande, pouco resultado material, desgastam a tropa e criam desesperança na população”, afirmou Bandeira.


COMENTARIOS

Mais de Judiciário

Decisão Judicial

Justiça determina retirada de tornozeleira de ex-secretário de Segurança de MT

As investigações apontam que Rogers Jarbas teria se valido do cargo e de sua influência enquanto integrante do primeiro escalão do governo do estado para interferir no processo que apura o crime.

20 de Fevereiro de 2020 as 09h23

Investigação

Promotora de MT é afastada por suspeita de desvio de quase R$ 1 milhão; substituto deve assumir a vaga

Um promotor substituto deve assumir a vaga da promotora de Justiça Solange Linhares Barbosa, da 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Chapada dos Guimarães (MT).

20 de Fevereiro de 2020 as 09h21

Decisão STJ

Em decisão unânime, STJ mantém conselheiros do TCE-MT afastados por mais 180 dias

Eles foram afastados por determinação do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), em setembro de 2017.

20 de Fevereiro de 2020 as 09h18

Processo Seletivo

MPE abre processo seletivo para contratar 12 estagiários em MT

O valor da bolsa mensal é de R$ 826,35, já o auxílio-transporte é de R$ 177,07 por mês.

18 de Fevereiro de 2020 as 07h11

Decisão

Mecânico é condenado por atirar em adolescente que ficou tetraplégico em MT

Crime foi em 2007 e teria acontecido depois de uma briga de bar entre o acusado e outras pessoas. Vítima não teria nenhuma relação com a briga, mas quando estava saindo do estabelecimento foi atingida por dois tiros.

04 de Fevereiro de 2020 as 09h51

Instigar Briga

Homem é condenado a pagar indenização de R$ 4,4 mil por instigar briga de trânsito em MT

A confusão aconteceu em 2006, quando o carro da vítima foi fechado pelos automóveis do agressor e de seu amigo.

02 de Fevereiro de 2020 as 10h29

Denúncia Recebida

Justiça recebe denúncia envolvendo ex-governador, ex-secretários e empresários de MT por fraudes em licitação

A denúncia foi recebida pela juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, na última quarta-feira (29).

02 de Fevereiro de 2020 as 09h45

Plantio Experimental

MPE pede suspensão de plantio experimental de soja em fevereiro em MT

Indea acolhe solicitação do MPE e suspende experimento.

02 de Fevereiro de 2020 as 09h41

Prisão Mantida

Justiça mantém prisão de policiais militares suspeitos de atirarem em mulher em MT

Crime ocorreu na sexta-feira (17), em Sorriso. Vítima está internada no Hospital Regional.

20 de Janeiro de 2020 as 22h02

Autorização

Justiça de Minas autoriza goleiro Bruno a jogar no Operário de VG

Decisão é da Vara de Execução em Meio Aberto e Medidas Alternativas da Comarca de Varginha

17 de Janeiro de 2020 as 21h35

Leilão Suspenso

TRF suspende leilão de avião de empresário acusado de movimentar R$ 30 milhões do tráfico em MT

O avião pertence ao empresário Ricardo Cosme dos Santos, conhecido como "DJ Superman Pancadão", preso durante a operação que investigou um esquema internacional de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

15 de Janeiro de 2020 as 00h48

Acordo não Cumprido

MP alega que município de MT descumpriu acordo e pede pagamento de multa de R$ 5 milhões

Venceu em 2 de agosto de 2014 o prazo para os municípios brasileiros implantarem a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.

14 de Janeiro de 2020 as 08h27

Custas Processuais

Emenda de Fávero é acatada e dispositivo contemplará advogados de Mato Grosso

O deputado estadual Silvio Fávero conseguiu aprovar dispositivo que isenta os advogados de pagar pela execução de seus honorários.

13 de Janeiro de 2020 as 19h58

Verba Indenizatória

Justiça suspende pagamento de verba indenizatória a vereadores de Itiquira (MT)

Vereadores recebiam R$ 8 mil e o presidente da Câmara mais de R$ 9 mil de verba indenizatória por mês.

01 de Janeiro de 2020 as 09h41

Decisão

Justiça acata pedido de PGE e delegado deve continuar afastado da Defaz em MT

Lindomar foi afastado da Defaz pela diretoria geral da Polícia Civil. Ele entrou com uma ação e o juiz Yale Sabo Mendes determinou o retorno dele à Defaz.

25 de Dezembro de 2019 as 21h40

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO