Combate À Corrupção

PGR defende no Supremo que investigação sobre Temer, Padilha e Moreira seja conjunta

Inquérito apura repasses da Odebrecht a políticos do MDB. Moreira Franco questionou decisão que suspendeu investigação sobre Temer; parte sobre ex-ministros foi para Justiça de SP.

10 de Janeiro de 2019 as 18h 33min

Da esquerda para a direita: Eliseu Padilha (ex-ministro da Casa Civil), Michel Temer (ex-presidente da República) e Moreira Franco (ex-ministro de Minas e Energia) — Foto: Alan Santos/PR

A Procuradoria Geral da República (PGR) defendeu nesta quinta-feira (10) que a investigação sobre o ex-presidente Michel Temer e sobre os ex-ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco seja conjunta.

O documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) é assinado pela procuradora-geral, Raquel Dodge. O inquérito apura o repasse de R$ 14 milhões da Odebrecht a políticos do MDB.

No ano passado, o ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo, atendeu a um pedido da PGR e determinou a suspensão da investigação sobre Temer até o fim do mandato. Ele também enviou os trechos sobre Moreira e Padilha para a Justiça Eleitoral de São Paulo.

Moreira Franco, contudo, questionou a decisão. O mandato de Temer na Presidência da República acabou em 31 de dezembro, e o STF ainda não decidiu a qual tribunal caberá analisar a investigação sobre ele.

Desde que as investigações sobre o caso começaram, as defesas de Temer, Padilha e Moreira negam qualquer irregularidade por parte dos políticos.

Fonte: G1 MT

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

COTAÇÃO