Polêmico, delegado anuncia substituto mas prevê retorno as investigações sobre grampos

Flávio Stringuetta voltou a criticar

17/07/2017 - 15:29:10

   

O delegado Flávio Stringueta classificou como infelizes as declarações feitas pelo procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, para justificar as supostas intimidações feitas contra o membro da Polícia Civil. Stringueta, que deixará temporariamente as apurações sobre o caso, afirmou que já indicou um delegado substituto e garantiu que as investigações sobre o caso, no âmbito da PJC, não serão interrompidas.

Stringueta havia sido nomeado pelo desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, como responsável por conduzir uma notícia-crime encaminhada pela Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT), na qual a entidade denunciou suposta participação de membros do MPE no esquema de interceptações ilegais. No entanto, Perri retirou a função atribuída a Stringueta, pois reconheceu que teria cometido uma falha ao denominar o delegado como responsável pelas apurações sobre o caso envolvendo membros do MPE.

Por envolver promotores de Justiça, Perri informou que as investigações deveriam ser feitas pelo chefe do MPE, Mauro Curvo. Desta forma, as apurações do delgado sobre o esquema de grampos ilegais passaram a se restringir a supostas fraudes em investigações da Polícia Civil.

Na semana passada, Stringueta afirmou que foi alvo de intimidação do procurador-geral de Justiça, logo que o procedimento de Perri foi designado a ele. No entanto, Mauro Curvo rebateu as acusações e afirmou que agiu dentro da Lei e somente exigiu que as apurações sobre as supostas participações de promotores de Justiça nas interceptações criminosas fossem remetidas ao MPE.

Curvo informou que o ofício foi uma espécie de alerta sobre a irregularidade no fato de um delegado conduzir as investigações. “Se [Stringueta] fizesse tal investigação, incorreria em crime de usurpação de função e improbidade administrativa”, frisou.

Em resposta às declarações  do procurador-geral de Justiça, o delegado afirmou que o membro do MPE demonstrou desconhecer as apurações que estão sendo conduzidas atualmente pela Polícia Civil sobre o caso. “Eu diria que a emenda ficou pior do que estava. Ele disse que eu não poderia investigar o Ministério Público. Isso demonstra um desconhecimento completo dele a respeito das investigações. Em nenhum momento estamos investigando o Ministério Público”, declarou, na manhã desta segunda-feira (17), em entrevista à rádio Capital FM.

Stringueta criticou o ofício encaminhado por Curvo para informá-lo que o membro da PJC não poderia apurar casos envolvendo membros do Ministério Público. Ele classificou as declarações do procurador-geral como “infelizes”. “Eu sei das minhas atribuições. Não preciso que um promotor de Justiça venha me dizer o que é crime. Sou um técnico em Direito, tenho o mesmo conhecimento jurídico que qualquer promotor do Estado. Ele foi muito infeliz nas colocações dele. Não admito, não gosto de receber um ofício que me diz que minhas atitudes são criminosas. Se elas são criminosas, faça o seu papel, promova a denúncia e a gente responde na Justiça. Obviamente que não são criminosas, tanto é que elas vão para outro colega, vão continuar e logo estarei de voltar para dar continuidade às apurações”, completou.

AFASTAMENTO DAS INVESTIGAÇÕES

Stringueta se afastará das investigações sobre os grampos ilegais em razão de um problema de saúde. Ele informou que a saída temporária em nada tem a ver com o ofício encaminhado pelo chefe do MPE. “As pessoas que me conhecem sabem muito bem que esse tipo de embate me anima, me fortalece. A saída das investigações sobre os grampos não foi uma decisão minha, foi dos médicos que estão me acompanhando. O Orlando Perri já vinha acompanhando a situação física em que eu me encontrava. A indisposição foi só aumentando, por conta de uma anemia, um sangramento que ainda não foi encontrado. O meu corpo não está repondo sangue na velocidade em que está perdendo. Isso causa muita indisposição”, justificou.

O delegado comentou que foi diagnosticado com a doença de Crohn. “É uma doença crônica e autoimune, que não tem cura, mas não é fatal, ela pode ser levada pela vida inteira. Ela causa inflamação intestinal e sangramento nas fases agudas”.

Ele relatou que não tinha conhecimento sobre o problema e deve começar o tratamento nos próximos dias. “A ideia é retornar para a investigação. É um afastamento provisório. O médico me deu 30 dias de licença, mas espero que antes disso já esteja em condições de voltar e ajudar o doutor Orlando Perri nessa árdua tarefa, que é esclarecer todos esses fatos e trazer à sociedade a verdade que ela precisa e tem o direito de saber”.

Em seu lugar, ele contou que já indicou o substituto, que comandará as apurações durante sua ausência. “Eu e o doutor Juliano, delegado que está cuidando de outra investigação sobre o assunto, indicamos o nome do Marcelo Torhacs, que hoje está na Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos. O Orlando Perri aceitou, porque disse que confia na gente e aceitaria o nome que indicássemos. Mas também precisa passar pelo crivo do delegado-geral, Fernando Vasco. Cremos que pode ser, sim, esse nome. Ele também aceitaria, caso fosse nomeado”, disse.

Para Stringueta, Torracs deve trazer mais agilidade às apurações conduzidas pela PJC sobre o esquema de interceptações ilegais. “Eu diria que a investigação vai ficar melhor, porque é uma pessoa mais nova na Polícia, mais animada, que não está doente, não tem os problemas que estou tendo e com certeza vai dar respostas muito melhor do que eu poderia dar, neste meu estado atual”, frisou.

MT Agora - Vinicius Lemos | Folha Max

Mais Noticias

Confusão

Ex-juiz e advogada batem boca em audiência e Polícia intervém

Crise no Campo

Juiz autoriza recuperação judicial de empresa que deve R$ 52 mi

Semiaberto

Exame psiquiátrico atesta que Arcanjo está apto a deixar prisão

Julgamento No Supremo

Maioria do Supremo admite poder da PF para fechar acordos de delação, mas ministros propõem limites

13/12/2017 -

Tribunal decide não examinar pedido da defesa de Lula para ter acesso a sistemas da Odebrecht

Sistemas internos da empreiteira, que estão anexados a processo que investiga propinas, têm conteúdo secreto. Defesa pedia acesso pela segunda vez no TRF4.

13/12/2017 -

No STF, Dodge defende que PF não pode firmar acordos de delação premiada

O plenário do STF começou a julgar nesta quarta-feira uma ação direta de inconstitucionalidade proposta pela Procuradoria-Geral da República, que questiona a previsão de delegados da PF de negociar acordos de delação.

08/12/2017 -

Ministério Público atende à solicitação da OAB-MT e move ação para investigar problemas na cadeia de Lucas do Rio Verde

A medida atende a uma solicitação de providências feita pela Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil.

08/12/2017 -

Sérgio Moro manda desbloquear dinheiro da aposentadoria do ex-presidente Lula

Juiz tinha mandado bloquear as contas do ex-presidente depois de condená-lo no processo do triplex em Guarujá.

08/12/2017 -

STF decide que assembleias não podem derrubar prisão de deputados

O placar de 5 a 4 teve voto de desempate da presidente, Cármen Lúcia. O julgamento foi suspenso.

01/12/2017 -

Justiça vê manipulação e suspende propaganda sobre previdência

A ordem é para que todas as ações de comunicação sejam suspensas, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

01/12/2017 -

TSE lança título de eleitor digital que pode substituir documento impresso na votação

E-título foi apresentado nesta sexta (1º) pelo presidente do tribunal, ministro Gilmar Mendes. Documento virtual exibe a foto dos eleitores que já passaram pelo cadastro biométrico.

01/12/2017 -

Empresa de Nova Mutum é condenada em R$ 10 mil por demitir trabalhador após diagnóstico de HIV

A empresa ainda pode recorrer da decisão.

30/11/2017 -

Ministra do STF nega autorização para universitária com dois filhos fazer aborto

Pedido de liminar foi apresentada ao STF pelo PSOL na ação que tenta descriminalizar aborto até 3º mês de gestação. Assunto ainda será analisado pelo plenário do tribunal.

28/11/2017 -

Tribunal mantém bloqueio de R$ 16 milhões de Lula no processo do triplex na Lava Jato

Desembargadores de Porto Alegre entendem que o levantamento do bloqueio de bens deve ser requerido em primeira instância, em Curitiba. Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses na Lava Jato, e responde a processo em liberdade.

28/11/2017 -

TRF4 decide que Eduardo Cunha deve seguir preso em Curitiba

Defesa de deputado cassado pedia que ele fosse transferido para Brasília. Cunha foi condenado por três crimes e cumpre pena de 14 anos e seis meses.

28/11/2017 -

MPF de Chapecó diz que Chapecoense não tinha como avaliar risco de acidente aéreo

Procurador da República afirmou que nenhum brasileiro tem envolvimento culposo ou doloso no caso.

28/11/2017 -

Chefe de cozinha é demitido após assediar colega e enviar ''nudes'' durante o trabalho

Segundo a denúncia, ele insinuou que os dois deveriam manter relações no ambiente de trabalho. A empresa abriu uma sindicância e optou pela demissão.

28/11/2017 -

Congresso não tem perfil para aprovar reformas anticorrupção, diz Dallagnol

O procurador voltou a afirmar que as eleições de 2018 serão a ''batalha final contra a corrupção''.

28/11/2017 -

Forças-tarefas da Lava Jato no Rio, São Paulo e Curitiba anunciam ações conjuntas em 2018

Representantes se reuniram no Rio de Janeiro. Durante o encontro, Deltan Dallagnol disse que a operação terá 'batalha final' em 2018.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora