Procurador cita “afronta” em inquérito; delegado vê “intimidação”

Chefe do Ministério Público do Estado notificou Flavio Stringuetta sobre investigação de escutas

14/07/2017 - 18:26:20

   

O delegado Flavio Stringuetta, que se sentiu intimidado

O procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, disse ver a possibilidade de “afronta” à legislação por parte do delegado da Polícia Civil, Flavio Stringuetta, em razão de ele estar conduzindo investigações que não seriam de sua competência no caso relacionado a interceptações ilegais que teriam sido efetuadas por promotores de Justiça.

A informação consta em ofício assinado pelo procurador e encaminhado ao próprio delegado, no último dia 6.

Segundo o procurador, os atos investigatórios conduzidos pelo delegado demonstrariam possíveis afrontas a dispositivos da Constituição Federal, do Código Penal e do Regimento Interno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, "cujo comportamento pode caracterizar conduta criminosa, assim como ato de improbidade administrativa, por infringência ao princípio da legalidade”.

Entre os dispositivos citados pelo procurador, estaria o artigo 105 da Constituição, que prevê que compete ao Superior Tribunal de Justiça processar e julgar crimes comuns supostamente praticados por pessoas que detêm prerrogativa de foro.

Também de acordo com Curvo, o delegado estaria realizando funções que competem ao Ministério Público.

“Como se já não fosse o suficiente, inquéritos e matérias jornalísticas que aportaram nesta Procuradoria-Geral de Justiça dão conta que existe outra (s) investigação em curso sob os auspícios de vossa excelência tramitando à revelia do Ministério Público, não obstante ser esta a instituição a protagonista do sistema acusatório, fiscal do ordenamento jurídico, titular da ação penal, além de responsável pelo controle externo da atividade policial”, afirma o procurador, no documento.

Por fim, Curvo requisitou que em um prazo de 24 horas, o delegado Flavio Stringuetta lhe encaminhasse todas e quaisquer investigações relacionadas aos grampos que estivessem sob sua responsabilidade.

O procurador frisou que o delegado poderia ser penalizado caso não realizasse a remessa dos documentos solicitados.

“Tentativa de intimidação”
O delegado Flavio Stringuetta, por sua vez, afirmou ter ficado surpreso com o conteúdo do ofício que lhe foi encaminhado de forma confidencial.

Para ele, a solicitação feita pelo procurador Mauro Curvo seria uma tentativa de intimidá-lo.

“Pelo que vi no ofício que me foi trazido de forma confidencial, tenho a dizer que fiquei bastante assustado, senão consternado. O que vi nesse ofício foi uma tentativa de intimidação aos delegados que estão tentando simplesmente trazer a verdade à sociedade”, disse o Stringuetta, em entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta sexta-feira (14).

O delegado também sugeriu que o procurador não teria interesse que os fatos relacionados às escutas fossem investigados pela Polícia Judiciária Civil.

“É um procurador-geral de Justiça, que tem falado em vários canais que é a favor da investigação e, nesse ofício, ele demonstra claramente que está contrário a continuidade dessas investigações, pelo menos por parte da PJC”, afirmou.

Ainda durante a entrevista, o delegado explicou que foi nomeado pelo desembargador Orlando Perri para conduzir tais investigações e que, portanto, quaisquer informações relativas as investigações só seriam remetidas ao próprio Perri.

“Fui nomeado delegado especial para atuar em uma investigação por determinação de um desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Quando recebi esse ofício e verifiquei que o doutor Mauro Curvo me sugere o cometimento de crimes como usurpação de função e improbidade administrativa, fiquei extremamente assustado”, afirmou.

“Dá a impressão de um total desconhecimento legal, um total desconhecimento da legislação pátria, pois nós estamos atuando conforme atribuição que nos foi designada. Não temos nenhum receio de continuar nessa atribuição. Não encaminhei as informações pedidas pelo procurador e jamais faria isso. Eu devo, incialmente, satisfação ao Judiciário. E encaminhei ao Judiciário o ofício do doutor Mauro Curvo para que o doutor Perri analise esse oficio”, concluiu Stringuetta.

Veja ofício encaminhado ao delegado:





 

MT Agora - Camila Ribeiro | Mídia News

Mais Noticias

Trabalho Escravo

Portaria exclui da definição de trabalho escravo quase 90% dos processos, aponta Ministério Público

Greve

Justiça declara ilegal greve de agentes penitenciários de Mato Grosso

Condenação

Júri condena e juiz manda prender homem que matou funcionário de parque há 14 anos em Lucas do Rio Verde

Liminar

Liminar proíbe enfermeiros de realizarem exames e muda rotina nos PSFs de Lucas do Rio Verde

17/10/2017 -

Procurador reafirma que Janot atuou politicamente no acordo de delação da J&F

O procurador foi preso durante a Operação Patmos, após suspeitas de que teria vazado informações sobre a Operação Greenfield, que tinha como alvo a holding J&F, controladora do grupo JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

17/10/2017 -

Justiça Federal aceita denúncia, e Joesley e Wesley Batista viram réus

Irmãos são acusados de usar informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro por meio das empresas JBS e FB Participações.

17/10/2017 -

MPF investiga se Força Nacional cometeu irregularidades contra índios em MT

Força Nacional foi enviada na semana passada para Usina São Manoel.

17/10/2017 -

TCE aponta irregularidades e governo suspende licitação para pavimentação da MT-130

Obra em trecho com extensão de 44 km tem custo orçado em R$ 43,5 milhões. Segundo o governo, suspensão é temporária para que correções sejam feitas no certame.

16/10/2017 -

Acusado de matar homem com tiro de espingarda há 14 anos vai a júri em Lucas do Rio Verde

O crime ocorreu em dezembro de 2002, em um parque de diversões no município. A vítima foi atingida com um tiro de espingarda nas costas e morreu na hora.

15/10/2017 -

Justiça determina votação aberta no caso Aécio

Sessão desta terça-feira decidirá sobre afastamento do senador.

15/10/2017 -

Defesa de Temer critica vazamento de delação de Funaro e rebate acusações

O depoimento foi prestado por Funaro no fim de agosto.

14/10/2017 -

Caixa não pode recusar repasse do FGTS para pagamento de pensão alimentícia

Agora, a Caixa terá de promover a imediata transferência dos valores para a conta judicial, sob pena de incorrer em crime de desobediência.

13/10/2017 -

Moro dá prazo de 48 horas para que defesa de Lula entregue recibos originais de aluguéis de imóvel investigado na Lava Jato

Decisão do juiz foi divulgada no sistema da Justiça na manhã desta sexta-feira (13). Ao todo, a defesa do ex-presidente apresentou 31 recibos.

13/10/2017 -

Fux decide que governo não pode extraditar Battisti até que STF se manifeste

Primeira Turma decidirá no próximo dia 24 se governo pode rever decisão do ex-presidente Lula, de 2010, que negou extradição à Itália. Governo Temer decidiu extraditar ex-ativista.

11/10/2017 -

TCU bloqueia bens de Dilma por prejuízo à Petrobras com compra de Pasadena

Além da ex-presidente, decisão atinge outros 5 ex-membros do Conselho de Administração da estatal que aprovaram, em 2006, a compra da refinaria. Cabe recurso.

11/10/2017 -

TRF4 mantém Sérgio Moro em processo da Lava Jato que investiga empresário Marcelo Simões

Ele é suspeito de envolvimento em contratos irregulares com a Caixa Econômica Federal. Advogado de empresário disse que vai recorrer de decisão.

11/10/2017 -

Fachin nega pedido para tirar de Moro gravações de conversas de Lula

Defesa argumentou que autoridades com foro privilegiado aparecem nas conversas, e portanto análise teria que ser do Supremo. Ministro entendeu que autoridades citadas não são alvo de investigação.

10/10/2017 -

MPF denuncia Joesley e Wesley Batista por operações financeiras

Irmãos são acusados de usar informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro por meio das empresas JBS e FB Participações.

10/10/2017 -

Fachin manda arquivar inquérito que investigava Renan, Jucá e Sarney

Ministro do STF acolheu pedido da PGR, que concluiu que ''não houve a prática de nenhum ato concreto''. Ex-presidente da Transpetro denunciou plano para atrapalhar a Lava Jato.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora