TJ nega pedido do MPE e mantém investigação sobre supostos grampos feitos por promotores

Notícia-crime da OAB diz que há indícios de que interceptações ilícitas foram feitas pelo MP. TJMT investiga esquema de espionagem que fez mais de 100 vítimas.

14/07/2017 - 18:44:07

   

Tribunal de Justiça de Mato Grosso (Foto: Lucas Ninno/Gcom-MT)

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou, nessa quinta-feira (13), pedido do procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, para arquivamento de uma notícia-crime da OAB-MT que trata de indícios de que interceptações clandestinas teriam sido feitas por membros do Ministério Público do Estado em operações. A decisão foi por unanimidade.

O relator do caso no TJMT é o desembargador Orlando Perri. Ele está à frente das apurações dentro do TJMT sobre um esquema de espionagem no estado que teria feito mais de 100 vítimas.

O MPE havia argumentado que já há uma investigação no Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco), dentro da instituição, e que o arquivamento seria necessário para evitar duplicidade de procedimentos. Outro argumento foi de que cabe somente ao procurador-geral de Justiça apurar fatos criminosos atribuídos a membros do Ministério Público.

Perri disse que, de fato, o procurador-geral de Justiça deve investigar membros do MPE, mas que "isso não significa que não possa ter uma supervisão do tribunal”. “Essa investigação não pode ser processada intramuros, sem o controle do judiciário e sem o acompanhamento do órgão noticiante. A necessidade se avulta ainda mais quando os investigados são membros do Ministério Público”, declarou.

O desembargador Orlando Perri, presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. (Foto: Josi Pettengill / Secom-MT)O relator disse que ainda credita o pedido de arquivamento a um equívoco jurídico por parte do MPE. "Não é admissível a postulação visando arquivar. O MPE, como titular da ação penal, pode muito. Mas não pode tudo”.

Também tinha sido pedido pelo MPE que a Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso fosse retirada como parte interessada da investigação no TJMT. Esse pedido também foi negado. O próprio Perri tinha determinado a inclusão da OAB-MT como interessada, por solicitação da Ordem.

“Essa investigação não pode ser processada intramuros, sem o controle do judiciário e sem o acompanhamento do órgão noticiante. A necessidade se avulta ainda mais quando os investigados são membros do Ministério Público”, disse Perri.

Notícia-crime
Conforme a OAB-MT, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado), do MPE, teria incluído na operação Ouro de Tolo o telefone de pessoas que não eram investigadas no caso. O alvo era a ex-primeira-dama, Roseli Barbosa, que teve o sigilo telefônico quebrado legalmente. Mas, na mesma decisão judicial, foram inseridos os números do marido de Roseli, o ex-governador Silval Barbosa, além de um dos filhos do casal e a esposa dele.

Outro argumento da OAB-MT foi que a promotora de Justiça Ana Cristina Bardusco, do MPE, teria tido acesso sem autorização judicial ao banco de dados da Secretaria de Fazenda do estado. E cita que três advogados entraram com representação contra a promotora no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Um terceiro fato apontado pela OAB é de que “pessoas não foram processadas criminalmente neste Estado por razões desconhecidas”, o que fere o princípio da obrigatoriedade da ação penal pública.

Grampos
Um esquema de grampos operado pela Polícia Militar entre outubro de 2014 e agosto de 2015 teve entre as vítimas advogados, políticos de oposição ao governo, médicos, jornalistas, servidores públicos e empresários. Os números foram inseridos com autorização judicial numa suposta investigação, por parte do Núcleo de Inteligência da PM, sobre tráfico de drogas envolvendo policiais militares.

A inclusão em investigações de telefones de pessoas que não são suspeitas de crimes é conhecida como "barriga de aluguel".

O caso foi denunciado, em janeiro deste ano, à Procuradoria-Geral da República pelo promotor de Justiça Mauro Zaque. Ele afirma que, quando foi secretário de Segurança, em 2015, alertou o governador Pedro Taques (PSDB), da existência do esquema.

A PGR investiga se o chefe do Executivo estadual tinha conhecimento do crime e de quem teriam partido as ordens para os grampos. Taques afirma que não sabia da existência da central de monitoramento clandestina. A Polícia Civil também abriu inquérito para investigar o crime.

Presos
Estão presos preventivamente por suspeita de envolvimento no caso os coronéis Evandro Lesco e Ronelson Barros, que eram secretário-chefe e secretário-adjunto da Casa Militar, o cabo Gerson Correa Junior, o coronel Zaqueu Barbosa, que comandou a PM em 2015) e o tenente-coronel Januário Antônio Edwiges Batista, comandante do 4º Batalhão.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Grampolândia

Polêmico, delegado anuncia substituto mas prevê retorno as investigações sobre grampos

Grampolândia

Procurador cita “afronta” em inquérito; delegado vê “intimidação”

Lula Condenado

Lula é condenado na Lava Jato no caso do triplex

Latrocínio

Procuradoria opina por aumentar pena de envolvido em latrocínio de acadêmico em Sinop

14/06/2017 -

Silval admite ter criado organização criminosa para pagar dívidas

Ex-governador resolveu confessar e ofereceu R$ 46 milhões para ressarcir cofres públicos

07/06/2017 -

Apreensão do carro por IPVA atrasado é ilegal e pode gerar dever de indenização

Dependendo da situação, a apreensão pode até gerar direito à indenização para o proprietário do carro.

07/06/2017 -

Juíza nega indenizar cuiabano que descobriu não ser pai de criança

O autor do processo chegou a ser preso três vezes por não pagar pensão

17/05/2017 -

Princípio da insignificância se aplica a furto de celular, decide Supremo

O entendimento é da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal, que reformou decisão do Superior Tribunal de Justiça

12/05/2017 -

Prefeito e Presidente da Câmara são acionados pelo MP e terão que explicar recursos para a Unemat

O promotor instaurou um inquérito civil, alegando investimento ilícito do município de Lucas do Rio Verde na educação superior, já que faltam vagas em creches, pré-escola e educação infantil para atender a população luverdense.

04/05/2017 -

STF decide que governadores podem se tornar réus sem licença da Assembleia

Entendimento é o mesmo adotado em julgamento de quarta-feira, no qual ministros analisaram o caso específico do governador Fernando Pimentel (PT), de Minas Gerais.

02/05/2017 -

Justiça condena Telexfree a ressarcir R$ 21 mil a duas clientes

As consumidoras E. S. M. e A. E. A. A. contrataram pacotes e esperavam receber lucros

02/05/2017 -

Projeto de autoria de Nilson Leitão prevê que trabalhadores rurais sejam pagos com comida e moradia

Na prática, as empresas do campo poderão pagar seus funcionários mediante o fornecimento de moradia e alimentação e não mais com remuneração salarial.

02/05/2017 -

Diretora rebate OAB e diz que a própria autarquia pediu o curso

Ordem alega que egressos estariam sendo induzidos à prática ilegal da profissão de advogado

02/05/2017 -

Cursos on-line oferecidos pelo CNJ estão com inscrições abertas

Gratuitos e abertos à toda população, os cursos estão com inscrições abertas até o dia 25 de maio, no seguinte endereço eletrônico cnj.jus.br/formacao-e-capacitacao.

28/04/2017 -

STF permite salário acima do teto em caso de acúmulo de cargos

Decisão, que tem repercussão geral, valerá para casos em que a Constituição permite o exercício de duas funções, como de médicos que acumulam dois postos na rede pública.

19/04/2017 -

OAB pede explicação à ALMT sobre projeto que prevê verba de R$ 6 mil a jornalistas e assessores jurídicos

Proposta da Mesa Diretora prevê verba indenizatória a assessores de gabinete. Projeto não explica destino de verba e não obriga prestação de contas, diz OAB.

07/04/2017 -

Ministro do STF manda suspender previdência de deputados de MT

Assembleia Legislativa gasta quase R$ 17 milhões por ano com benefício. Deputados em exercício estão na lista dos que recebem a aposentadoria.

30/03/2017 -

Expansão do poder judiciário de Mato Grosso é estratégia do presidente do TJMT

De imediato serão beneficiadas as comarcas de Primavera do Leste, Sorriso, Tangará da Serra e Lucas do Rio Verde.

30/03/2017 -

Empresa de telefonia é condenada por grampo ilegal em escritório de advocacia em Sorriso

Uma empresa de telefonia e uma empresa de telecomunicações determinando o pagamento da indenização de R$ 150 mil a título de danos morais para um escritório de advocacia, em Sorriso.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora