Policia

Ex-namorado de professora encontrada morta deve ser indiciado por feminicídio e outros três crimes

O delegado informou que o suspeito continua em silêncio e não colaborou para identificar onde estava o corpo da vítima.

Feminicídio | 08 de Fevereiro de 2019 as 17h 10min
Fonte: Expresso MT | Assessoria

Alessandro Lautclenguer, de 31 anos, foi preso no Paraná — Foto: PM-PR/Divulgação

O corpo da professora Rosângela da Silva, 32 anos, foi localizado no final da tarde de quinta-feira (07.02), pela Polícia Judiciária Civil do município de Nova Mutum (264 ao Norte). A mulher estava desaparecida desde o dia 25 de janeiro e teve o corpo localizado na MT 249, entre os municípios de São José do Rio Claro (315 km a Médio-Norte) e a cerca de 40 quilômetros de Nova Mutum.

O delegado, Rodrigo Costa Rufato, informou que na quinta-feira, final da tarde, recebeu uma informação que levou ao ponto onde o corpo da professora foi depositado, provavelmente no mesmo dia em que saiu de sua casa, na cidade de Nova Mutum, acompanhada do ex-namorado Alexandro Lautenschlager, 31 anos, principal suspeito do assassinato.

“A Polícia Civil estava realizando buscas e uma equipe nossa que estava em Diamantino, mais próxima, começou as buscas nesse local e confirmou. O corpo estava próximo da ponte do Rio Arinos, cerca de 10 a 15 metros do asfalto, dentro da mata. A vítima vestia as mesmas roupas do dia do desaparecimento e estava com objetos pessoais (relógio, anéis, piercing)”, explicou o delegado.

Conforme Rufato, o corpo foi localizado coberto com um lençol e alguns galhos quebrados e jogados por cima. Estava também em processo de decomposição parcial, mas parte do corpo ainda se mantinha preservada, inclusive, as tatuagens estavam com nitidez, possibilitando identificar que se tratava da professora.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foi acionada e também compareceu no local para perícia. O corpo foi removido e encaminhado ao IML de Sorriso, para necropsia e depois deve retornar a cidade de Nova Mutum, para os procedimentos do velório.

O inquérito da morte da professora, tratado como feminícidio, é investigado pela Seção de Defesa da Mulher da Regional de Nova Mutum, a qual o delegado responde, além da Delegacia Municipal. O principal suspeito, Alexandro Lautenschlager, segue preso em Foz do Iguacú (PR), desde o dia 30 de janeiro. Ele aguarda remoção para Mato Grosso (Nova Mutum), que deverá ser feita pelo sistema prisional.

O delegado informou que o suspeito continua em silêncio e não colaborou para identificar onde estava o corpo da vítima. “Ele é o investigado e já temos elementos para indiciá-lo nos crimes de feminicídio, ocultação de cadáver, violação de domicílio e descumprimento de medida protetiva, um total de quatro crimes”.

Mais sobre o caso

Alexandro Lautenschlager, 31 anos, ex-namorado da vítima, foi a última pessoa vista com ela. Na noite de 25 de janeiro (sexta-feira), Alexandro foi visto buscando Rosângela, em um contexto de forte discussão entre o ex-casal. Ambos seguiram em um veículo HB20, hatch, cor branca. Uma amiga da vítima ficou na casa e viu Rosângela saindo com ele.

Segundo o pai de Alexandro, o filho apareceu em sua casa, por volta de 6 horas do seguinte, pegou algumas peças de roupa e saiu rapidamente sem conversar. Ele também deixou o carro na frente da residência.  

De maneira integrada, policiais da Delegacia Municipal, da seção especializada da Defesa da Mulher da Delegacia Regional, Delegacia de Roubos e Furtos (Derf), Núcleo de Inteligência e Polícia Militar Nova Mutum desencadearam ações visando localizar o suspeito. O trabalho também contou com apoio das forças policiais de Mato Grosso do Sul e do Paraná.

Foi apurado, que no sábado, 26 de janeiro, o suspeito deixou a cidade em fuga ao Paraguai. Ele passou a ser monitorado e já com indícios de ter assassinado à vítima, o delegado Rodrigo Costa Rufato representou pela prisão temporária (30 dias), por suspeita de feminicídio

A prisão foi decretada na terça-feira, dia 29 de janeiro, pela comarca de Nova Mutum e a prisão foi efetuada no dia 30, em Foz do Iguaçu, no Paraná. A vítima havia registrado boletim de ocorrencia de ameças do namorado, que não aceitava o fim do relacionamento, no dia 3 de janeiro deste ano. Ela também tinha uma medida protetiva contra ele.

COMENTARIOS

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

COTAÇÃO