Assembleia discute conflito agrário em Itanhangá

Criado há mais de 20 anos, o assentamento rural “Tapurah/Itanhangá” é considerado o maior do gênero na América Latina, com 1.149 lotes de aproximadamente 100 hectares cada

06/02/2017 - 21:06:00

   

A Câmara Setorial Temática (CST) criada para discutir e propor soluções para regularização fundiária de um assentamento no município de Itanhangá realizará sua segunda reunião no dia 23 de fevereiro, às 14h, na sala de videoconferência.“Lamentavelmente, o Incra não se fez presente na primeira reunião da Câmara Setorial Temática. Então, agora nós vamos comunicar Brasília da ausência do Incra local para que seja designado um representante na próxima reunião”, disse o deputado Oscar Bezerra (PSB) ao final da reunião de instalação da CST, realizada na última quinta-feira (02.02).

O encontro de abertura da câmara setorial, que é uma iniciativa de Bezerra, contou com a participação do prefeito do município, Edu Pascoski (PR), e de representantes da Câmara Municipal e da Famato.

Criado há mais de 20 anos, o assentamento rural “Tapurah/Itanhangá” é considerado o maior do gênero na América Latina, com 1.149 lotes de aproximadamente 100 hectares cada. O projeto de reforma agrária é de responsabilidade do Incra, que até hoje não concluiu os trâmites burocráticos para titulação das propriedades. A situação foi se agravando e, no final do ano passado, cerca de 200 pessoas integrantes de uma quadrilha organizada invadiram um dos lotes e causou insegurança na região. Os invasores foram retirados, mas o clima de instabilidade continua por causa do crescente interesse na área, que vem se valorizando ao longo dos anos.

“O município como um todo está muito propenso a essas invasões... Por conta de não haver a documentação, existem vários grupos de aproveitadores de oportunidade que estão prometendo invadir novamente”, explicou o presidente da Câmara Municipal de Itanhangá, Eleandro Cezar Cassol (PSDB).

O prefeito Edu Pascoski relatou que a ausência de regularização fundiária afeta a economia do município. “O assentamento não tem documento, não dá ao assentado o direito de buscar crédito junto às instituições financeiras, ele não consegue captar recursos, não consegue crescer, não consegue sua inscrição de pequeno produtor, não consegue declarar sua produção ao município. Isso afeta a arrecadação de impostos e de outras receitas destinadas à prefeitura”, comentou Pascoski. A população de Itanhangá é estimada em cerca de 8 mil pessoas e, em 2016, a produção agrícola somou cerca de 360 mil toneladas de grãos.

De acordo com advogada Fernanda Denicolo, responsável pela relatoria da CST, a Operação Terra Prometida, deflagrada pela Polícia Federal em 2014 para investigar um suposto esquema de invasão e exploração ilegal de terras destinadas à reforma agrária em Itanhangá, gerou especulações, como lotes avaliados R$ 1,5 milhão, e dificultou o processo de regularização junto ao Incra. Para a relatora, a maioria dos assentados estão nas áreas desde o início e atendem aos requisitos para reforma agrária. O inquérito policial até hoje não foi concluído.

A presidência da CST está sob a responsabilidade do advogado Tabajara Aguilar Praeiro Alves, membro da Comissão de Assuntos Fundiários da OAB/MT. “Se nós pensarmos sob o viés da reforma agrária, objetivando o efetivo uso social da terra na figura que foi flexibilizada por nossa Constituição, é exatamente o que está acontecendo naquele assentamento. As pessoas entraram na área, limparam e trabalharam na propriedade por longos anos. Então, por que eles não podem colher os frutos que foram dados daquela área?”, analisou Alves ao destacar o cumprimento da função social da terra, em harmonia com a previsão constitucional.

Além de buscar mecanismos para regularização fundiária dos assentados, A CST também vai sugerir emendas à bancada federal de Mato Grosso para ajustes na legislação sobre reforma agrária que está tem tramitação no Congresso Nacional. O prazo para conclusão dos trabalhos é de 180 dias, prorrogáveis por igual período.

CST

As CSTs, instituídas pela Lei nº 8.352/05, funcionam como fóruns de discussão para identificação de demandas relacionadas ao tema proposto. Dentre outros aspectos, têm o objetivo de identificar e mapear políticas públicas, programas e ações de governo, com a finalidade de instruir a estruturação de mecanismos que objetivem correções, ensejando ao Poder Legislativo uma fiscalização eficiente frente à atuação do Poder Executivo.

Elas podem também realizar ciclos de estudos sistemáticos com vistas a identificar entraves burocráticos na execução de programas sociais nas áreas de saúde, educação, segurança pública, emprego, renda, meio ambiente e, ainda, as políticas de incentivos à iniciativa privada, sistema tributário, infraestrutura e logística, de forma a promover o desenvolvimento em todos os níveis.

MT Agora - Folha Max

Mais Noticias

Presidente Denunciado

Maioria do STF vota pelo envio à Câmara de denúncia contra Temer

Esquema De Grampos

Secretário de Segurança de MT deve ser afastado e usar tornozeleira por suspeita de prejudicar investigação

Novo Fórum

Vereadores garantem a construção do Fórum e obras de infraestrutura serão de responsabilidade do loteador

Desconforto

Manifestação da OAB em rede social causa “desconforto” com Vereadores

19/09/2017 -

Doação de terreno para a construção do novo Fórum será votada hoje

A sessão extraordinária está marcada para às 10h. Também serão votadas duas emendas que estabelecem novas regras para a execução de obras de infraestrutura em eixos estruturantes

19/09/2017 -

Vereadores aprovam projeto que institui a Campanha Municipal de Prevenção ao Suicídio

De autoria do médico e vereador Dr. Wagner Godoy, a proposta tem como objetivo discutir, orientar e prevenir o suicídio no município

14/09/2017 -

Assembleia Legislativa é alvo de busca e apreensão em grande operação da Polícia Federal

Vários mandados de prisão, condução coercetiva e busca e apreensão estão sendo cumpridos neste momento em Cuiabá.

14/09/2017 -

Polícia Federal faz buscas na casa do deputado Zé Domingos em Sorriso

Provas estão sendo procuradas na residência do parlamentar denunciado por Silval Barbosa

14/09/2017 -

PF cumpre mandado de busca no apartamento de Blairo Maggi em Brasília

Diligência foi cumprida a pedido da Procuradoria Geral da República. Ex-governador de MT afirmou, em delação premiada, que ministro da Agricultura participou de esquema de corrupção no estado.

13/09/2017 -

''Eu vi Palocci mentir aqui'', diz Lula a Moro

Ex-presidente foi ouvido por 2h10 nesta quarta (13) em ação que investiga se ele recebeu propina da Odebrecht. Lula disse que Palocci é ''calculista e frio'' e que só citou o nome dele para conseguir redução de pena.

13/09/2017 -

Lula é ''dissimulado'' e mudou de opinião após Palocci ter resolvido ''falar a verdade'', diz advogado de ex-ministro

Ex-presidente disse que Palocci mentiu à Justiça.

13/09/2017 -

Funaro: Temer e Cunha ''confabulavam diariamente'' para ''tramar'' impeachment de Dilma Rousseff

Informação consta do acordo de delação premiada do homem apontado como operador financeiro de propinas do PMDB. G1 procurou assessoria de Temer e defesa de Cunha; saiba respostas.

13/09/2017 -

Lula depõe a Sérgio Moro em processo da Lava Jato no Paraná

Ex-presidente é réu em ação penal que o acusa de receber propina da Odebrecht; esta é a segunda vez que ele é ouvido por Sérgio Moro.

13/09/2017 -

PF prende Wesley Batista, irmão de Joesley e sócio da JBS

Ele foi preso na investigação do uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro.

12/09/2017 -

Ministro manda investigar Temer por corrupção e lavagem

Procedimento vai apurar suspeitas de que presidente teria atuado para beneficiar empresa

12/09/2017 -

Joesley Batista diz que tentou barrar Lava Jato com políticos

Ele disse que conversou mais com Ciro Nogueira, Eduardo Cunha e Michel Temer, nos últimos 3 anos

12/09/2017 -

''Facínoras roubam do país a verdade'', diz Planalto sobre acusações contra Temer

Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou nota nesta terça (12), um dia depois de a PF apontar que Michel Temer tinha voz de comando em organização criminosa do PMDB da Câmara.

12/09/2017 -

Governadores querem resolver com União pendências da Lei Kandir

Os governadores alegam que deixam que receber o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos produtos primários e commodities, mas, em contrapartida, não ocorre a compensação prevista em lei pela União.

12/09/2017 -

Câmara de Vereadores de Lucas aprova três projetos e uma Moção de Aplausos

Entre os projetos, está o que torna de ''utilidade pública'' em âmbito municipal, a Associação de Moradores do Bairro Bandeirantes.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora