Câmara reprova projeto de RGA e servidores luverdenses não terão reposição salarial

A possibilidade de uma greve, segundo Mano, é prejudicial a toda a sociedade.

05/06/2018 - 09:52:13

   

Com apenas dois votos favoráveis, dos vereadores Airton Callai e Jaime Borges, a Câmara de Vereadores reprovou o projeto que estabeleceu em 3,3% o índice de Reajuste Geral Anual dos servidores públicos municipais de Lucas do Rio Verde. Com isso, o funcionalismo fica sem o índice de reposição. A reprovação aconteceu com participação de poucos servidores municipais que acompanharam a sessão e discordavam do índice apresentado pelo município.

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Lucas do Rio Verde (Sinserpm), Karime Souto, disse que vai aguardar orientação jurídica do sindicato para analisar os próximos passos em relação ao assunto. Para a presidente, a ausência dos servidores em maior número na sessão que votou o projeto demonstrou que a categoria estava satisfeita com o índice. Karime entende que era melhor a reposição de 3,3% que nenhum reajuste. “Não posso definir nada sem ‘chamar’ uma assembleia e pra tomar essa decisão (de deflagrar greve) são necessários mais de 400 servidores”, justificou a presidente ao ser questionada se a categoria estaria paralisando os trabalhos para cobrar um melhor índice de reposição.

Em relação ao Sintep, sindicato que representa os direitos dos servidores da educação municipal, a categoria tem assembleia marcada para esta terça-feira (05) e pode optar por paralisar suas atividades a partir da próxima semana. A presidente Tania Jorra lembrou que os profissionais já estavam descontentes com o índice de 3,3%. “A nossa luta é pelos 6,81%, a gente não abre mão. Só não haverá greve se a categoria decidir não parar, se decidir a partir de semana que vem a educação estará em greve”, anunciou.

O vereador Airton Callai foi o principal defensor da aprovação da RGA e alegou que tomou essa decisão mesmo sabendo que 3,3% não era o esperado pelos servidores, mas era o que contemplava o orçamento de Lucas do Rio Verde. O vereador assinalou que é necessário pensar na situação como um todo, tendo em vista as dificuldades que o município deverá enfrentar para fazer investimentos. “Defendo que o município não ultrapasse os 50% da sua capacidade de arrecadação para manutenção e folha de pagamento, porque quando fizer isso aí vai diminuir cada vez mais a nossa capacidade de investimento, teremos um município virado em manutenção”, argumentou, citando que isso vai influenciar de forma negativa no pagamento do próprio funcionalismo dentro de pouco tempo.

Dentre os seis vereadores que manifestaram voto contrário, o que iniciou a série de debates foi Dirceu Cosma. Ele lembra que já atuou no Executivo e após averiguar os números apresentados pelo município viu possibilidade de melhorar os índices com alguns sacrifícios da administração municipal. “Eu sempre me pronunciei contra os 3,3% porque eu queria mais”, opinou Cosma, acreditando que o índice poderia ser melhorado, assinalando que o índice defendido pela administração municipal irá pouca diferença nos salários mais baixos pagos pela prefeitura. Também foram contrários Cristiani Dias, Marcos Paulista, Marcia Pelicioli, Wagner Godoy e Fernando Pael.

Conforme o presidente da Câmara, Jiloir Pelicioli, o Mano da Saúde, caberá ao Executivo Municipal apresentar ou não novo projeto estabelecendo índice de reposição. Ele citou como exemplo o projeto que cedeu área do município para construção do novo Fórum. Mano lembrou que a matéria foi rejeitada e reapresentada dias depois. “Ele tem prerrogativa e legitimidade para tomar essa decisão”, citou, acreditando que é necessário rever esse índice e estabelecer um novo valor dentro da proposta de reduzir em até 15% a folha salarial da prefeitura municipal. Mano acredita ser possível reapresentar o projeto com um novo índice melhorado com a economia que pode ser gerada com o corte de comissionados.

A possibilidade de uma greve, segundo Mano, é prejudicial a toda a sociedade. “Não é bom para nós luverdenses, mas temos que respeitar porque vivemos num processo democrático e de direito”, pontuou, dizendo que toda ação depende da decisão que o Executivo irá tomar. “Nós alertamos no ano passado (inchaço da folha), mas infelizmente não fomos ouvidos e agora tem que pagar o preço”.

MT Agora - Expresso MT

Mais Noticias

No STF

Jair Bolsonaro pede ao STF para ser absolvido da acusação de racismo

''Funcionário Fantasma''

Assembleia Legislativa de MT é intimada a explicar pagamento de salário de R$ 13 mil a servidor que teria morrido há 28 anos

Nos 5 Primeiros Meses De 2018

Pensões pagas a ex-deputados e parentes nos primeiros 5 meses deste ano custaram R$ 7,1 milhões aos cofres públicos de MT

Visita

Presidenciável Henrique Meirelles se reúne com lideranças em Cuiabá nesta 2ª

23/06/2018 -

Ex-deputado José Riva condenado por desvio de quase R$ 40 milhões recebe R$ 25 mil por mês de pensão

José Riva foi presidente da ALMT e condenado por esquema de desvio no órgão. Nos cinco primeiros de 2018, ele já recebeu R$ 129,5 mil do Fundo de Assistência Parlamentar (FAP).

23/06/2018 -

''A vergonha é verde e amarela'', diz post do governo sobre assédio

Mensagens fazem referência a caso ocorrido com brasileiros na Rússia

20/06/2018 -

MP Eleitoral apura impulsionamento de postagens de pré-candidatos em MT e solicita informações às redes sociais

Facebook, Instagram e Twitter devem informar sobre a contratação de serviço de impulsionamento de postagens em favor de pré-candidatos.

20/06/2018 -

Lucas: Vereadores aprovam atualização de programa de incentivo a atração de novos empreendimentos

O objetivo é estender os benefícios fiscais para os empresários interessados em ampliar os empreendimentos.

20/06/2018 -

Líder do PDT confirma Pivetta como vice de Mendes ao Governo

Zeca Viana diz acreditar que com os dois ex-prefeitos no Paiaguás Estado ''entrará nos trilhos''.

19/06/2018 -

Lucas: Trabalhadores da educação decidem em assembleia pelo fim da greve

A retomada do diálogo e a volta as aulas nesta quarta-feira (20), foi possível graças ao trabalho do presidente da Câmara, vereador Mano, com o apoio do vereador Marcos Paulista.

19/06/2018 -

Lucas: Vereadores derrubam veto do prefeito e mantêm projeto Dose uma Vida

O projeto tem como objetivo incentivar a população a doar os medicamentos não utilizados, destinando as famílias carentes.

19/06/2018 -

Lucas: Vereadores aprovam a destinação de recursos ao Conselho Comunitário de Segurança

Serão destinados R$ 200 mil. O valor será investido no custeio de ações de segurança pública, organizadas pelo Conseg

18/06/2018 -

TCE aprova por unanimidade contas de Governo Taques de 2017

O Tribunal de Contas do Estado aprovou, por unanimidade, as contas do Governo de Mato Grosso referentes ao ano de 2017, nesta segunda-feira (18.06).

18/06/2018 -

No Paraguai, Temer defende acordos do Mercosul com União Europeia e Aliança do Pacífico

Presidente participou de reunião de cúpula do Mercosul, realizada nesta segunda (18) em Assunção. Ele também falou sobre a crise na Venezuela e a ameaça do crime organizado para os países do continente.

18/06/2018 -

Temer diz que governo vai esperar decisão do STF sobre fretes

Temer acrescentou que o governo vai obedecer à decisão do Supremo. Ele também avaliou que a posição do Conselho de Administrativo Econômico (Cade), contrária ao tabelamento, não irá atrapalhar a solução da questão.

18/06/2018 -

Funcionário da OAS diz que gerente o convocou para reforma no ''sítio do presidente Lula''

Misael de Jesus Oliveira afirmou à Justiça que executou obras do sítio em Atibaia, atribuído ao ex-presidente Lula, com dinheiro da OAS. Ele diz ter atendido a pedidos da ex-primeira dama Marisa Letícia.

18/06/2018 -

PF indicia ex-procurador Marcelo Miller e empresário Joesley Batista por corrupção

O indiciamento aconteceu no âmbito do processo que apura se Joesley Batista, Francisco de Assis e as advogadas tentaram corromper Miller enquanto ele atuava no Ministério Público.

18/06/2018 -

Temer sanciona lei que permite venda direta do óleo do pré-sal

A venda será feita pela estatal Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA), que poderá negociar diretamente com outras empresas a parte de óleo devida à União, tendo como base o regime de partilha, vigente desde 2010.

18/06/2018 -

Ministério da Segurança Pública está na pauta do Senado de terça-feira

A nova pasta absorve algumas atribuições antes vinculadas ao Ministério da Justiça.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora