Defesa de Aécio diz que decisão do STF é ''inconstitucional'' e provoca ''desequilíbrio'' entre poderes da República

Advogados do senador afastado criticaram decisão da Primeira Turma da Corte, que impôs afastamento do mandato e proibição de que tucano saia de casa à noite.

29/09/2017 - 15:42:16

   

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), em imagem de arquivo (Foto: Eraldo Peres/AP)

Em nota divulgada na noite desta quinta-feira (28), a defesa do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) afirma que a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) de afastar o tucano do mandato é "inconstitucional" e provoca um "desequilíbrio" entre os poderes da República.

Na terça, a Primeira Turma do STF decidiu suspender o mandato de Aécio e proibir que o parlamentar saia de casa à noite, mas o Senado decidiu votar na próxima terça (3) se reverte a decisão da Corte.

A questão divide ministros do Supremo – para alguns, como Marco Aurélio e Gilmar Mendes, o Legislativo pode rever o afastamento, assim como o faz em caso de prisão; para outros, como Luís Roberto Barroso e Luiz Fux, o aval do Legislativo só é necessário em caso de prisão, não a medidas alternativas.

Para a defesa do senador afastado, as "pretensas provas" apresentadas pela Procuradoria Geral da República contra Aécio, baseadas no conteúdo da delação premiada de executivos da JBS, são " fabricadas e ilegais".

"Por outro lado, a decisão exarada pela maioria da 1ª Turma assenta-se numa inconstitucional e perigosíssima presunção de culpa. Não há como reputar que os fatos estão provados quando sequer há denúncia recebida contra o senador Aécio", diz a nota.

Ainda de acordo com os advogados, a imposição de medidas cautelares, como o afastamento do mandato e o recolhimento noturno em casa, são incabíveis a um senador.

"A Constituição Federal, como proteção à função legislativa, proíbe a prisão preventiva de congressistas e, por uma razão lógica, a aplicação de medidas que lhe são alternativas", afirmam na nota.

"A Constituição Federal, como proteção à função legislativa, proíbe a prisão preventiva de congressistas e, por uma razão lógica, a aplicação de medidas que lhe são alternativas", complementam.

Por fim, os advogados de Aécio afirmam que adotarão "todas medidas judiciais cabíveis" para reverter a decisão da Primeira Turma do Supremo.

 

Nota

Leia a íntegra da nota divulgada pela defesa de Aécio Neves:

 

Nota da Defesa do Senador Aécio Neves

A decisão dividida da 1ª Turma do STF, que impôs medidas cautelares contra o Senador Aécio Neves, além de ser manifestamente contrária à Constituição Federal, desconsidera o contexto absolutamente obscuro e ilegal no qual as delações envolvendo os executivos da J&F se deram.

Mais, a decisão ignora os fatos novos, revelados por gravações que haviam sido escondidas e omitidas pelos delatores, que desacreditam as provas anteriormente utilizadas contra o Senador Aécio.

Ainda, depoimentos prestados pelos próprios delatores indicam a prévia atuação e conhecimento de membros do MP quanto à gravação espúria envolvendo o Senador Aécio.

Assim, as pretensas provas apresentadas contra o Senador são mais do que duvidosas: são fabricadas e ilegais.

Por outro lado, a decisão exarada pela maioria da 1ª Turma assenta-se numa inconstitucional e perigosíssima presunção de culpa. Não há como reputar que os fatos estão provados quando sequer há denúncia recebida contra o Senador Aécio que, até agora, não teve o direito e a oportunidade de se defender e de demonstrar que os recursos recebidos eram um empréstimo pessoal, sem envolver dinheiro público ou qualquer contrapartida, como restará provado.

Ainda, digno de nota que, afora a inexistência de crime e a ilicitude das provas envolvidas no caso, a aplicação das chamadas “cautelares diversas da prisão preventiva” são incabíveis a um Senador da República, justamente porque a Constituição Federal, como proteção à função legislativa, proíbe a prisão preventiva de congressistas e, por uma razão lógica, a aplicação de medidas que lhe são alternativas.

Por fim, o afastamento de um parlamentar legitimamente eleito pelo povo de seu cargo é medida que não está autorizada pela Constituição, pois implica em desequilíbrio entre os Poderes da República e o agigantamento do Judiciário, como reconheceram o Ministro decano da Turma, Marco Aurélio e do Ministro Alexandre de Moraes, constitucionalista e autor de denso estudo sobre o tema.

A Defesa aguarda que a decisão seja publicada para que possa adotar todas medidas judiciais cabíveis para sua reversão.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Gastos Elevados

Deputada questiona aumento de gastos com diárias; salto de 107 mil para 367 mil só na Comunicação

Planejamento

Lucas: Vereadores finalizam a aprovação dos projetos que tratam do planejamento do município

Debate

Lei do Susaf será discutida com o ministro da Agricultura Blairo Maggi

Saúde

Ministro da Saúde libera a utilização do prédio da UPA, a decisão depende agora do TCU

08/12/2017 -

Ministro tucano deixa Secretaria de Governo; Carlos Marun é cotado para substituí-lo

O ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (8).

08/12/2017 -

Reforma da Previdência deve ser votada no Senado em fevereiro, diz Temer

Durante eventos em SP, presidente disse que seu ''bom humor'' vem da confiança na aprovação da reforma, e que não cogita adiamento da votação para 2018.

08/12/2017 -

Com aprovação do FEX na Câmara Federal, MT deve receber R$ 500 milhões

Desse total, o estado deve ficar com75% e os 141 municípios do estado com 25%. O projeto de lei segue agora para o Senado Federal.

06/12/2017 -

Lideranças de Lucas do Rio Verde cobram de ministro solução para UPA entrar em funcionamento

O prefeito Flori Luiz Binotti, afirmou que a intenção do município é transferir para o local toda a estrutura do PSF central, mas não descarta a implantação de uma UPA.

01/12/2017 -

Lucas: Ministro Baldy inaugura casas do Minha Casa, Minha Vida e anuncia retomada do Vida Nova 2

Cerca de mil pessoas acompanharam a solenidade de entrega simbólica das chaves e os pronunciamentos de autoridades do Governo Federal, Estadual e Municipal.

01/12/2017 -

Eleição de 2018 terá somente 30 mil urnas eletrônicas com voto impresso

A implantação do voto impresso nas eleições de 2018 foi aprovada pelos parlamentares no ano passado.

01/12/2017 -

Técnicos conseguem invadir urna eletrônica durante teste; TSE diz que falhas serão corrigidas

Especialistas conseguiram decifrar arquivos internos do equipamento em teste público de segurança no Tribunal Superior Eleitoral.

30/11/2017 -

Ministro inaugura em Lucas do Rio Verde conjunto habitacional

A solenidade de entrega das chaves contou com a presença do vice-governador, Carlos Fávaro, do prefeito Luiz Binotti, deputados federais, o secretário de Política Agrícola, Neri Geller, e demais lideranças.

29/11/2017 -

Casa Civil anuncia medida para facilitar pedido de passaportes

Segundo o governo, comprovantes de pagamento, de quitação com a Justiça Eleitoral e certificado de reservista passarão a estar em banco de dados. Objetivo é concluir mudança até o fim de 2018.

29/11/2017 -

Câmara estende para 2024 prazo para estados e municípios quitarem precatórios

PEC foi aprovada em primeiro turno; falta análise em segundo turno. Regra atual previa que prazo terminaria em 2020. Precatórios são débitos do poder público com cidadãos ou empresas.

28/11/2017 -

Lucas: Planejamento orçamentário (LDO 2018) é aprovado em primeira votação

O projeto precisa ser aprovado em duas sessões. A previsão é que a proposta volte a pauta de votações na próxima segunda-feira (04).

28/11/2017 -

Nova Mutum: Vereadores Aprovam as Contas do Município Referente ao ano de 2016

O presidente da Câmara Municipal de Nova Mutum Airton Pessi convocou na última segunda-feira (27.11), todos os parlamentares da Augusta Casa de Leis, para a 3ª Sessão Extraordinária de 2017.

28/11/2017 -

Otaviano Pivetta e Mauro Mendes são cotados para o Governo do Estado

A dupla possui boa relação no meio empresarial, agrícola e muita influência no meio político.

28/11/2017 -

Lucas: Vereador cobra implantação de escola militar e insinua que secretária está preocupada com ideologia política

Existe uma indicação para implantação da escola militar.

28/11/2017 -

Governo publica prorrogação dos incentivos do Recine e da Lei do Audiovisual até 2019

Promulgação foi publicada nesta terça-feira no ''Diário Oficial da União''. Em agosto, Temer vetou a prorrogação dos incentivos, porém o Congresso derrubou o veto na última semana.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora