Deputados se opõem a idade mínima proposta por Temer

"Não somos obrigados a fazer nada empurrado pelo governo goela abaixo", diz deputado Mauro Pereira

01/03/2017 - 08:44:49

   

O presidente Michel Temer, que apresentou proposta para reforma da previdência

⁠⁠⁠Metade dos integrantes da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a reforma da Previdência se opõe à exigência de idade mínima de 65 anos para aposentadoria, e a maioria discorda de outros pontos cruciais da proposta apresentada pelo presidente Michel Temer.

A idade mínima é um dos eixos do projeto, porque valeria para todos os trabalhadores e acabaria com o sistema que hoje permite aos que se aposentam por tempo de contribuição obter o benefício precocemente, em média aos 54 anos, idade muito mais baixa do que em outros países.

Levantamento feito pela Folha revela que 18 dos 36 integrantes da comissão especial são contra a idade mínima proposta por Temer. Sete entre eles defendem a fixação de idades inferiores a 65 anos.

A enquete mostra também que a maioria quer modificar pelo menos outros quatro pontos importantes do projeto do governo, prioridade legislativa de Temer neste ano. Entre os que defendem mudanças estão integrantes da base governista, inclusive do PMDB, partido do presidente.

"Não somos obrigados a fazer nada empurrado pelo governo goela abaixo", diz o peemedebista Mauro Pereira (RS), que defende idade mínima menor do que 65 anos. "Não se discute que a reforma é necessária, mas acho que alguns pontos [da proposta do governo] foram exagerados", diz o deputado Reinhold Stephanes (PSD-PR), ex-ministro da Previdência.

Apenas um integrante da comissão, Darcísio Perondi (PMDB-RS), vice-líder do governo na Câmara, diz apoiar as mudanças propostas para o BPC (Benefício de Prestação Continuada), benefício assistencial pago a idosos e pessoas com deficiência pobres.

O governo quer desvincular o benefício do salário mínimo, o que abriria caminho para reduzir seu valor, e aumentar a idade mínima para alcançá-lo, de 65 para 70 anos. "Se tem uma coisa cruel e sem escrúpulo, é essa desvinculação", disse o deputado Heitor Schuch (PSB-RS), cujo partido é da base de Temer.

A regra de transição proposta para quem está mais perto da aposentadoria, que beneficiaria mulheres com 45 anos ou mais e homens a partir dos 50, também desagrada à comissão. Só sete integrantes declararam apoio ao texto original, enquanto 26 disseram ser contrários a ele.

O relator do projeto, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), já declarou que pretende alterar esse ponto. Ele quer uma regra mais proporcional, que leve em conta o tempo que falta para cada pessoa se aposentar.

MUDANÇAS
O PSDB, principal aliado do governo, também prepara mudanças. "A sensação, ao conversar com os colegas, é que muitos pontos têm que ser aprimorados ou revistos", diz Eduardo Barbosa (PSDB-MG).

Só nove deputados dizem apoiar a unificação de regras para homens e mulheres, como prevê o projeto de Temer. Outros 22 disseram ser contra a ideia, devido às diferenças que separam homens e mulheres no mercado de trabalho. "É um erro absurdo colocar as mesmas regras", afirmou Assis Carvalho (PT-PI).

O governo reconhece que muitas diferenças persistem, mas argumenta que elas têm diminuído e que problemas do mercado de trabalho não deveriam ser resolvidos pela Previdência. A comissão que votará o parecer do relator Arhur Maia tem só uma mulher como titular. Os outros 35 integrantes são homens.

Outro ponto criticado pela maioria é a nova fórmula de cálculo das aposentadorias, que obrigaria os trabalhadores a somar 49 anos de contribuição para ter direito ao benefício integral. Declaram-se contrários 25 deputados.

Principal voz do governo na comissão e único dos 35 entrevistados a declarar que a proposta não precisa de mudanças, Darcísio Perondi admite que há espaço para conversar. "Por enquanto, não tem o que mudar, mas o governo está aberto", afirmou.

A comissão especial é onde ocorre a primeira etapa da discussão da reforma. O relator Arthur Maia promete apresentar na última semana de março seu parecer, que será votado pelo colegiado e depois encaminhado para o plenário, onde a reforma precisa do apoio de pelo menos 308 dos 513 deputados federais.

MT Agora - Folha de São Paulo

Mais Noticias

Regulamentação

Lei garante atendimento especial para pessoas com dislexia em concursos e vestibulares

Acordo com PGR

“Se eu delatar, não colocarei carga no ombro de quem não deve”

Investigação

PF vasculha casa e escritório de ex-deputado que responde a mais de 100 ações na Justiça em Cuiabá

12/12/2017 -

Vereadores finalizam a aprovação dos projetos que tratam do planejamento do município

Foram aprovados na última segunda-feira (04), os projetos que tratam da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o orçamento de 2018 (LOA)

09/12/2017 -

Deputada questiona aumento de gastos com diárias; salto de 107 mil para 367 mil só na Comunicação

Segundo dados do portal Mira Cidadão, o gasto com diárias da Casa Civil, que em 2016 foi de R$ 126.270,00, este ano, até agora já chega a R$ 604.080,00. No caso da Comunicação, o salto foi de R$ 107.190,00 para R$ 367.650,00

08/12/2017 -

Lucas: Vereadores finalizam a aprovação dos projetos que tratam do planejamento do município

Foram aprovados na última segunda-feira (04), os projetos que tratam da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o orçamento de 2018 (LOA)

08/12/2017 -

Lei do Susaf será discutida com o ministro da Agricultura Blairo Maggi

A reunião ainda não tem data. O objetivo é discutir com o ministro, as alterações propostas pelos agricultores, que dependem de mudanças na lei federal

08/12/2017 -

Ministro da Saúde libera a utilização do prédio da UPA, a decisão depende agora do TCU

Lideranças de Lucas do Rio Verde e Mato Grosso se reúnem com o ministro Ricardo Barros para discutir a reutilização dos prédios públicos construídos pelo governo federal

08/12/2017 -

Ministro tucano deixa Secretaria de Governo; Carlos Marun é cotado para substituí-lo

O ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (8).

08/12/2017 -

Reforma da Previdência deve ser votada no Senado em fevereiro, diz Temer

Durante eventos em SP, presidente disse que seu ''bom humor'' vem da confiança na aprovação da reforma, e que não cogita adiamento da votação para 2018.

08/12/2017 -

Com aprovação do FEX na Câmara Federal, MT deve receber R$ 500 milhões

Desse total, o estado deve ficar com75% e os 141 municípios do estado com 25%. O projeto de lei segue agora para o Senado Federal.

06/12/2017 -

Lideranças de Lucas do Rio Verde cobram de ministro solução para UPA entrar em funcionamento

O prefeito Flori Luiz Binotti, afirmou que a intenção do município é transferir para o local toda a estrutura do PSF central, mas não descarta a implantação de uma UPA.

01/12/2017 -

Lucas: Ministro Baldy inaugura casas do Minha Casa, Minha Vida e anuncia retomada do Vida Nova 2

Cerca de mil pessoas acompanharam a solenidade de entrega simbólica das chaves e os pronunciamentos de autoridades do Governo Federal, Estadual e Municipal.

01/12/2017 -

Eleição de 2018 terá somente 30 mil urnas eletrônicas com voto impresso

A implantação do voto impresso nas eleições de 2018 foi aprovada pelos parlamentares no ano passado.

01/12/2017 -

Técnicos conseguem invadir urna eletrônica durante teste; TSE diz que falhas serão corrigidas

Especialistas conseguiram decifrar arquivos internos do equipamento em teste público de segurança no Tribunal Superior Eleitoral.

30/11/2017 -

Ministro inaugura em Lucas do Rio Verde conjunto habitacional

A solenidade de entrega das chaves contou com a presença do vice-governador, Carlos Fávaro, do prefeito Luiz Binotti, deputados federais, o secretário de Política Agrícola, Neri Geller, e demais lideranças.

29/11/2017 -

Casa Civil anuncia medida para facilitar pedido de passaportes

Segundo o governo, comprovantes de pagamento, de quitação com a Justiça Eleitoral e certificado de reservista passarão a estar em banco de dados. Objetivo é concluir mudança até o fim de 2018.

29/11/2017 -

Câmara estende para 2024 prazo para estados e municípios quitarem precatórios

PEC foi aprovada em primeiro turno; falta análise em segundo turno. Regra atual previa que prazo terminaria em 2020. Precatórios são débitos do poder público com cidadãos ou empresas.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora