Dono da JBS gravou Temer dando aval para comprar silêncio de Cunha, diz jornal

Planalto nega que presidente tenha solicitado pagamentos. Segundo o colunista Lauro Jardim, de 'O Globo', informação faz parte do conteúdo da delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Depoimentos também citam Aécio Neves e Guido Mantega.

17/05/2017 - 22:45:23

   

Os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato. A informação é do colunista do jornal "O Globo" Lauro Jardim.

Segundo o jornal, o empresário Joesley entregou uma gravação feita em 7 de março deste ano em que Temer indica o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver assuntos da J&F, uma holding que controla o frigorífico JBS. Posteriormente, Rocha Lourdes foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

Ainda não há informação sobre se a delação foi homologada. O Supremo Tribunal Federal (STF) disse que não irá se pronunciar nesta quarta-feira (17) sobre a delação.

 
 
 
 
 
 

Delatores da JBS tinham gravações com Temer e histórico de propina

Em outra gravação, também de março, o empresário diz a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada para que permanecessem calados na prisão. Diante dessa informação, Temer diz, na gravação: "tem que manter isso, viu?"

Na delação de Joesley, o senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, é gravado pedindo ao empresário R$ 2 milhões. No áudio, com duração de cerca de 30 minutos, o presidente nacional do PSDB justifica o pedido dizendo que precisava da quantia para pagar sua defesa na Lava Jato.

A entrega do dinheiro foi feita a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, e filmada pela Polícia Federal (PF). A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência disse que o presidente Michel Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar". (Veja no final do texto a íntegra da nota).

Aécio, também em nota, se declarou "absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários".

A JBS e a defesa de Eduardo Cunha informaram que não se pronunciarão.

O senador Zezé Perrella declarou, no Facebook: "Eu quero dizer para os que me conhecem e para os que não me conhecem que eu nunca falei com o dono da Friboi. Não conheço ninguém ligado a esse grupo. Nunca recebi de maneira oficial ou extra-oficial um real sequer dessa referida empresa".

"Estou absolutamente tranquilo. [...] Eu espero que todas as pessoas citadas tenham a oportunidade de esclarecer a sua participação. O sigilo das minhas empresas, dos meus filhos, estão absolutamente à disposição da Justiça. Ficará comprovado que não tenho nada a ver com essa história. Eu nunca estive em Lava Jato e nunca estarei", afirmou Perrella.

O deputado Rodrigo Rocha Loures está em Nova York e, segundo sua assessoria, só irá se pronunciar quando voltar ao Brasil. O retorno está programado para esta quinta-feira (18).

Segundo o jornal, em duas ocasiões em março deste ano Joesley conversou com Temer e com Aécio levando um gravador escondido.

O colunista conta que os irmãos Joesley e Wesley Batista estiveram na quarta-feira passada no Supremo Tribunal Federal (STF) no gabinete do ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin – responsável por homologar a delação dos empresários. Diante dele, os empresários teriam confirmado que tudo o que contaram à PGR em abril foi de livre e espontânea vontade.

Joesley contou ainda que seu contato no PT era Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma Rousseff. Segundo "O Globo", o empresário contou que era com Mantega que o dinheiro da propina era negociado para ser distribuído aos petistas e aliados, e também era o ex-ministro que operava os interesses da JBS no BNDES.

 
 
 
 
 
 

Gravação revela que Aécio pediu R$ 2 milhões a Joesley Batista

 

Cunha

 

Joesley disse na delação que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão na Lava Jato. O valor, segundo o jornal, seria referente a um saldo de propina que o deputado tinha com o empresário.

Joesley Batista disse ainda que devia R$ 20 milhões por uma tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango.

 

Investigação

 

Segundo o jornal, pela primeira vez a PF fez "ações controladas" para obter provas. Os diálogos e as entregas de dinheiro foram filmadas e as cédulas tinham os númjeros de série controlados. As bolsas onde foram entregues as quantias tinham chips de rastreamento.

Durante todo o mês de abril, foram entregues quase R$ 3 milhões em propina rastreada.

O jornal informou que as conversas para a delação dos irmãos donos da JBS começaram no final de março. Os depoimentos foram coletados do início de abril até a primeira semana de maio. O negociador da delação foi o diretor jurídico da JBS, Francisco Assis da Silva, que depois também virou delator.

Veja a íntegra da nota do Palácio do Planato:

NOTA À IMPRENSA

O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados.

SECRETARIA ESPECIAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PRESIDÊNCIA

 
 
 
 
 
 

STF ainda não se pronunciou oficialmente sobre delação dos donos da JBS

 
 
 
 
 
 

Presidentes da Câmara e do Senado encerram atividades após notícia do O Globo

 
 
 
 
 
 

Temer se reúne com Eliseu Padilha e Rodrigo Maia

MT Agora - G1

Mais Noticias

Terreno para Novo Fórum

Doação de terreno para a construção do novo Fórum será votada amanhã (20)

Setembro Amarelo

Vereadores aprovam projeto que institui a Campanha Municipal de Prevenção ao Suicídio

Busca e Apreensão

Assembleia Legislativa é alvo de busca e apreensão em grande operação da Polícia Federal

Buscas

Polícia Federal faz buscas na casa do deputado Zé Domingos em Sorriso

14/09/2017 -

PF cumpre mandado de busca no apartamento de Blairo Maggi em Brasília

Diligência foi cumprida a pedido da Procuradoria Geral da República. Ex-governador de MT afirmou, em delação premiada, que ministro da Agricultura participou de esquema de corrupção no estado.

13/09/2017 -

''Eu vi Palocci mentir aqui'', diz Lula a Moro

Ex-presidente foi ouvido por 2h10 nesta quarta (13) em ação que investiga se ele recebeu propina da Odebrecht. Lula disse que Palocci é ''calculista e frio'' e que só citou o nome dele para conseguir redução de pena.

13/09/2017 -

Lula é ''dissimulado'' e mudou de opinião após Palocci ter resolvido ''falar a verdade'', diz advogado de ex-ministro

Ex-presidente disse que Palocci mentiu à Justiça.

13/09/2017 -

Funaro: Temer e Cunha ''confabulavam diariamente'' para ''tramar'' impeachment de Dilma Rousseff

Informação consta do acordo de delação premiada do homem apontado como operador financeiro de propinas do PMDB. G1 procurou assessoria de Temer e defesa de Cunha; saiba respostas.

13/09/2017 -

Lula depõe a Sérgio Moro em processo da Lava Jato no Paraná

Ex-presidente é réu em ação penal que o acusa de receber propina da Odebrecht; esta é a segunda vez que ele é ouvido por Sérgio Moro.

13/09/2017 -

PF prende Wesley Batista, irmão de Joesley e sócio da JBS

Ele foi preso na investigação do uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro.

12/09/2017 -

Ministro manda investigar Temer por corrupção e lavagem

Procedimento vai apurar suspeitas de que presidente teria atuado para beneficiar empresa

12/09/2017 -

Joesley Batista diz que tentou barrar Lava Jato com políticos

Ele disse que conversou mais com Ciro Nogueira, Eduardo Cunha e Michel Temer, nos últimos 3 anos

12/09/2017 -

''Facínoras roubam do país a verdade'', diz Planalto sobre acusações contra Temer

Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou nota nesta terça (12), um dia depois de a PF apontar que Michel Temer tinha voz de comando em organização criminosa do PMDB da Câmara.

12/09/2017 -

Governadores querem resolver com União pendências da Lei Kandir

Os governadores alegam que deixam que receber o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos produtos primários e commodities, mas, em contrapartida, não ocorre a compensação prevista em lei pela União.

12/09/2017 -

Câmara de Vereadores de Lucas aprova três projetos e uma Moção de Aplausos

Entre os projetos, está o que torna de ''utilidade pública'' em âmbito municipal, a Associação de Moradores do Bairro Bandeirantes.

12/09/2017 -

Senado faz consulta pública sobre revogação do Estatuto do Desarmamento

O texto prevê a realização de campanha pela Justiça Eleitoral no rádio, na televisão e na internet para esclarecer a população sobre o plebiscito

11/09/2017 -

Joesley diz em depoimento que tem gravações ainda não entregues à PGR

Dono da J&F prestou depoimento na semana passada; delação está em revisão e benefícios foram temporariamente suspensos. Segundo Joesley, frase ''não vamos ser presos'' era ''mantra''.

11/09/2017 -

Joesley diz que mantinha contrato fictício para manter boa relação com Cardozo

Contrato, segundo o empresário, era intermediado por advogado Marco Aurélio Carvalho; tanto o ex-ministro quanto o advogado negam

11/09/2017 -

Aumento da população garante a Lucas melhor participação no FPM

As alterações aconteceram porque os municípios apresentaram alterações populacionais que afetaram o cálculo que fixa a fatia do repasse para cada uma das 5.570 cidades do país.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora