Operação Lava Jato

PF deflagra 33ª fase da Lava Jato, com foco na construtora Queiroz Galvão

Operação investiga esquema bilionário de lavagem de dinheiro. Ex-presidente e ex-diretor da construtora foram presos preventivamente.

MT Agora - G1 | TV Globo | Agência Brasil
03 de Agosto de 2016 as 01h 12min

Desde a madrugada desta terça-feira (2), a Polícia Federal cumpre 32 mandados judiciais da 33ª fase da Operação Lava Jato em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Goiás, Pernambuco e Minas Gerais. A ação foi batizada de "Resta Um" e mira a construtora Queiroz Galvão, suspeita de fraudar licitações da Petrobras e de pagar propina para evitar investigações de uma CPI no Senado.

O ex-presidente da construtora Ildefonso Colares Filho e o ex-diretor Othon Zanoide de Moraes Filho foram presos preventivamente no Rio de Janeiro. Não há prazo para que sejam liberados. Os dois já tinham sido detidos na 7ª fase da Lava Jato e tinham sido soltos por determinação da Justiça.

Há ainda um mandado de prisão temporária (por cinco dias) para Marcos Pereira Reis, ligado ao consórcio Quip, que tinha a Queiroz Galvão como acionista líder. Reis está no exterior, segundo a PF.

Também são cumpridos seis mandados de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento, e 23 de busca e apreensão. Em Recife, a polícia realizou buscas na casa de André Gustavo de Farias Pereira, empresário e engenheiro ligado à Queiroz Galvão, e o levou para depor.

Por volta das 8h, equipes da PF estavam no estaleiro da Queiroz Galvão no Rio Grande do Sul e em um escritório da empresa em Rio Grande (RS). Agentes também estavam na sede da empreiteira e em um escritório na Zona Oeste de São Paulo.

Em nota, a Construtora Queiroz Galvão informou que está "cooperando com as autoridades e franqueando acesso às informações solicitadas". A reportagem tenta contato com a defesa dos demais envolvidos.

O que se investiga

Esta fase da operação tem duas frentes:

1. Levantar provas sobre a formação de cartel para conseguir obras na Petrobras.

2. Apurar pagamentos de propina a políticos e partidos, além de negociações para interferir na CPI da estatal no Senado, em 2009.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a Queiroz Galvão integrou um cartel para fraudar licitações da Petrobras. O cartel, conforme as investigações, maximizou os lucros das empresas privadas e gerou prejuízos bilionários para a estatal.

As investigações dizem que os executivos da empresa pagaram cerca de R$ 10 milhões em propina para funcionários das diretorias de Serviços e de Abastecimento da Petrobras.

Existem indícios de que milhões de dólares também foram transferidos por meio de contas secretas no exterior, conforme o MPF. Os pagamentos indevidos teriam sido feitos tanto pela Queiroz Galvão quanto pelo consórcio Quip.

"A hipótese tem por base depoimentos de colaboradores e comprovantes de repasses milionários feitos pelo trust Quadris, vinculado ao Quip, para diversas contas, favorecendo funcionários da Petrobras", segundo o MPF.

As obras investigadas englobam contratos em complexos petroquímicos no Rio de Janeiro, na Refinaria Abreu e Lima, Refinaria Vale do Paraíba, Refinaria Landulpho Alves e Refinaria Duque de Caxias.

CPI da Petrobras

O MPF informou também que a operação Resta Um busca colher provas da tentativa de obstrução à investigação de organização criminosa pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, em 2009.

"Há indícios, que incluem a palavra de colaboradores e um vídeo, de que 10 milhões de reais em propina foram pagos pela Queiroz Galvão com o objetivo de evitar que as apurações da CPI tivessem sucesso em descobrir os crimes que já haviam sido praticados até então", declarou o MPF.

Em junho deste ano, a TV Globo divulgou o vídeo de uma reunião que ocorreu em 21 de outubro de 2009, no Rio de Janeiro. Nela, foi negociado o apoio do então presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE), para esvaziar as investigações da CPI criada naquele ano no Senado para investigar suspeitas de superfaturamento nas obras da refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco.

Operação Resta Um

O nome da operação, de acordo com a Polícia Federal, remete ao fato de se tratar da última empresa de grande porte investigada pela formação do cartel.

A Queiroz Galvão teria sido identificada como parte integrante da chamada "regra do jogo", em que empreiteiras formaram um grande cartel visando burlar as regras de contratação por parte da Petrobras.

Investigação sobre a Queiroz Galvão

Segundo apuração da Lava Jato, entre os anos de 2006 a 2014, as empresas do grupo e consórcios dos quais a Queiroz Galvão fez parte celebraram contratos com a Petrobras que somam R$ 8.996.284.630,83.

Agentes encontraram, no ano passado, uma nota fiscal de R$ 386 mil emitida pela MO Consultoria para o Consórcio Ipojuca Interligações, do qual a Queiroz Galvão era integrante.

A MO consultoria é apontada pela Polícia Federal e pelo MPF como uma empresa de fachada do doleiro Alberto Youssef – considerado do líder do esquema desvendado pela Operação Lava Jato –, que tinha como finalidade intermediar o pagamento de propina. Não foi, porém, identificado o registro do depósito pertinente nos extratos bancários da MO Consultoria.

Da mesma forma, foram localizadas outras notas ficais de R$ 386 mil, R$ 321.130,38 e R$ 250 mil emitidas pela Empreiteira Rigidez, igualmente ligada a Youssef, para o Consórcio Ipojuca Interligações. Destas notas, foi identificado o pagamento apenas da segunda.

Ainda foi apreendido, de acordo com os investigadores, contrato de consultoria celebrado entre a Queiroz Galvão e a empresa Costa Global Consultoria e Participações Ltda., controlada por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras.

Costa firmou acordo de delação premiada com o MPF para repassar informações sobre o esquema de corrupção dentro da estatal.


COMENTARIOS

Mais de Política

Valorização

Fávero vota a favor do direito à aposentadoria especial aos professores

Parlamentar foi o relator na CCJR da proposta que contempla os profissionais.

17 de Setembro de 2019 as 19h20

Homenagem

Fávero presta homenagem ao prefeito de Colatina-ES

Sérgio Meneguelli esteve na Assembleia Legislativa de MT para receber a homenagem.

17 de Setembro de 2019 as 16h01

Abertura de Crédito

Vereadores aprovam a abertura de crédito para a construção de PSF no Vida Nova

O valor total da obra é de mais de R$ 1.3 milhão, R$ 408 mil é a contrapartida do município, o restante, cerca de R$ 900 mil, foi viabilizado por meio de convênio com o Ministério da Saúde

17 de Setembro de 2019 as 13h41

Saúde

Vereadores aprovam a destinação de mais de R$ 3.1 milhões para a saúde

R$ 2.7 milhões serão destinados ao Hospital São Lucas para o pagamento de despesas relacionadas aos atendimentos SUS e R$ 450 mil, para a compra de exames e cirurgias, via Consórcio de Saúde

17 de Setembro de 2019 as 13h36

Pós-Mandato

Fávero quer prazo para ex-prefeito acessar registros

A proposta começou tramitar na Casa de Leis na semana passada

16 de Setembro de 2019 as 21h53

Regularização Fundiária

Meta do governo federal é regularizar 600 mil lotes no Brasil até 2022

Secretário Nacional da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan, esteve na Assembleia de Mato Grosso, nesta sexta-feira (13), para debater os entraves da reforma agrária em Mato Grosso.

16 de Setembro de 2019 as 08h50

Últimos Dias

Selma se mostra incomodada com PSL e diz que não é Bolsonaro ‘até debaixo d’água’

A juíza aposentada afirmou que o PSL é um partido que a incomoda

15 de Setembro de 2019 as 18h47

Regularização

Secretário Nacional de Agricultura confirma presença em debate promovido por Fávero e Barbudo

Encontro será nesta sexta-feira (13 de setembro, no auditório Milton Figueiredo, às 10 horas, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

11 de Setembro de 2019 as 15h53

R$ 3.000,00 por Sessão

Botelho desconta salário e V.I. de Xuxu, que sugere perseguição

Presidente da Assembleia Legislativa "ignorou" a justificativa de ausência apresentada pelo colega

11 de Setembro de 2019 as 13h45

Almoço no Paiaguás

Base se reúne com Mendes e cobra pagamento de emendas

Nesta semana foi aprovado um requerimento pedindo que Mendes apresente dados sobre valores pagos

11 de Setembro de 2019 as 13h41

Parecer Favorável

PECs que facilitam a expansão da Unemat e susta atos do Judiciário e TCE são aprovados na CCJR

As propostas receberam parecer favorável, durante reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), dessa terça-feira (10).

10 de Setembro de 2019 as 18h33

Política

Mourão: governo deve negociar com o Congresso com clareza e paciência

Mourão esteve reunido na manhã desta terça-feira com os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

10 de Setembro de 2019 as 15h20

Prioridade

Fávero vai à Jaciara debater implantação da escola militar

Parlamentar é autor da Lei nº 10.920/2019, que facilita a implantação e construção de escolas cívico/militar nos municípios mato-grossenses.

10 de Setembro de 2019 as 11h49

Venda de Terrenos

Prefeita sanciona projeto e autoriza venda de 80 terrenos públicos em Sinop

o projeto detalha que os imóveis do Jardim Florença têm avaliações entre R$ 93 mil e 190 mil.

09 de Setembro de 2019 as 09h23

Servidores

Vereadores aprovam criação de estatuto e alteração no PCCS dos servidores do Legislativo

Com a alteração no PCCS, foram criados novos cargos que serão preenchidos por meio de concurso público

06 de Setembro de 2019 as 13h25

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

Quem é o maior responsável pelas queimadas em Mato Grosso?

A população

As autoridades públicas

Os órgãos ambientais

O clima

Parcial
veja +

COTAÇÃO