Política

Pivetta: “Estou pronto para qualquer função que for escalado”

Ex-prefeito diz que "só restou decepção" em relação a Taques

Governo 2018 | 16 de Abril de 2018 as 07h 57min
MT Agora - Camila Ribeiro | Mídia News

O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otavino Pivetta (PDT) admitiu, durante ato do partido realizado na última quinta-feira (12), que pode concorrer ao Governo do Estado nas eleições deste ano.

Pivetta, que perdeu a disputa à reeleição em Lucas em 2016, chegou a afirmar que iria manter-se fora da política. Agora, confessa que repensa a possibilidade de encarar as urnas.

“Eu realmente tinha pendurado as chuteiras. Achava que tinha feito minha parte. Mas não tem graça a vida se não tiver desafio. O deputado Zeca Viana me convidou a poucos dias pravoltar (ao PDT) pra onde não devia ter saído. O Zeca fez o desafio e estou pronto”, disse Pivetta.

“Estou pronto para qualquer uma das funções que for escalado. Qualquer uma. Sinto-me formado o suficiente”, acrescentou o ex-prefeito.

Durante um evento, Pivetta fez um discurso bastante crítico ao Governo do Estado que, em sua visão, é um “espaço desordenado”.

Sem citar o nome do governador Pedro Taques (PSDB), de quem foi aliado e coordenador da equipe de transição de Governo, Pivetta disse que o Executivo precisa de comando.

“O Estado não pode ser um cabide, não pode ser um espaço desordenado. O Estado precisa ter comando, planejamento e ações concretas”, afirmou.

“O cidadão, os trabalhadores não aguentam mais o peso do Estado. O Estado é um animal pesado, quase imóvel, que suga o suor da sociedade e não devolve os serviços essenciais que tem por papel devolver”.

O ex-prefeito também citou números do Estado e disse que, apesar de o PIB (Produto Interno Bruto) de Mato Grosso ser um dos que mais cresce no país, o Estado acabou perdendo crédito.

"Mato grosso vem se destacando com PIB de quase R$ 70 bilhões, o dobro de Mato Grosso do Sul, por exemplo, e nós perdemos o crédito. Nesse atual governo, Mato Grosso perdeu crédito. Foi rebaixada a nota por conta da má gestão fiscal e vamos ter que correr atrás pra reconquistar isso, para poder fazer investimentos e desenvolver o estado”, criticou.

“Temos uma das piores classificações do IDEB do Brasil. Estamos entre os 5 piores estados. Sendo que Brasil está entre os 50 piores do mundo. Quer dizer, estamos atrás dos que estão atrás. Isso não é possível em um estado que tem as riquezas que Mato Grosso tem”.

“Decepção”
Por fim, o ex-prefeito também afirmou que nutre um sentimento de “decepção” com o governador.

“Achávamos que estava elegendo um governador moderno, um homem letrado, professor, pós-graduado, doutorado. Uma pessoa que ia saber liderar pessoas para fazer a transformação do Estado”, disse.

“Infelizmente, só restou decepção. Tanto que o lema ‘Estado de Transformação já foi tirado. Agora não sei, parece que inventaram outro ai”, concluiu o ex-prefeito, ao citar a troca no slogan do Governo de “Estado de Transformação” para “Construindo um novo futuro”.

COMENTARIOS

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

TEMPO AGORA

Hoje, Sábado

Lucas do Rio Verde, MT

Ensolarado

29º

COTAÇÃO