Primo de governador, ex-secretário é preso suspeito de mandar grampear políticos e jornalista

Paulo Taques foi secretário chefe da Casa Civil na gestão de Pedro Taques (PSDB). Ele foi preso nesta sexta-feira (4).

04/08/2017 - 13:59:46

   

Ex-secretário da Casa Civil de Mato Grosso, Paulo Taques, foi preso nesta sexta-feira (4) (Foto: Mayke Toscano/Secom-MT)

O ex-secretário chefe da Casa Civil, Paulo Taques, que é primo do governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB) foi preso preventivamente nesta sexta-feira (4) suspeito de envolvimento esquema de grampos clandestinos operados pela Polícia Militar no estado. Ele foi levado para a sede da Polinter, em Cuiabá, onde deve prestar depoimento. O esquema foi denunciado em uma reportagem do Fantástico em maio deste ano.

A prisão foi determinada pelo desembargado do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Orlando Perri, relator no órgão sobre a investigação dos grampos clandestinos. A decisão foi assinada na quinta-feira (3) e cumprida hoje.

Na decisão, o desembargador afirma que, mesmo em liberdade, o ex-secretário "vem buscando, de todas as formas, interferir diretamente na apuração dos fatos, mediante a utilização dos meios de comunicação, sobretudo pelo forte prestígio que ainda possui perante a imprensa de uma forma geral, ou, quiçá, de espaços decorrentes de suas relações com o governo".

Paulo Taques foi levado para a sede da Polinter, em Cuiabá, onde deve prestar depoimento (Foto: Lislaine dos Anjos/G1)Segundo a denúncia, mais de 100 pessoas tiveram as conversas grampeadas, entre elas políticos de oposição ao atual governo de Mato Grosso, advogados, médicos e jornalistas.

Os telefones foram incluídos indevidamente em uma investigação sobre tráfico de drogas que teria o suposto envolvimento de policiais militares. O resultado dessa investigação, porém, não foi informado pelo governo até hoje.

Paulo Taques, que é advogado, deixou o comando da Casa Civil em maio deste ano. À época, ele alegou que voltaria a se dedicar à advocacia e que reassumiria o papel de advogado pessoal de Pedro Taques, primo dele.

Além de Paulo Taques, estão presos por envolvimento no esquema o coronel Zaqueu Barbosa, os coronéis Evandro Lesco e Ronelson Barros, ex-chefe e ex-adjunto da Casa Militar, e o cabo o cabo Gerson Correa Junior. Eles estão foram presos entre maio e junho deste ano.

"Os mesmos argumentos aduzidos por ocasião da prisão preventiva de vários policiais militares também se aplicam ao caso em apreço, máxime porque há fortíssimos indícios da ligação entre Paulo Taques com o grupo criminoso formado para implantação de diversas escutas telefônicas ilegais", diz trecho da decisão.

Investigações
O promotor de Justiça Mauro Zaque, que comandou a Secretaria de Segurança Pública em 2015, denunciou o caso à Procuradoria-Geral da República, afirmando que alertou o governador Pedro Taques (PSBD) sobre a existência de um "escritório clandestino de espionagem" por meio de dois ofícios. O primeiro chegou a ser enviado para o MPE, mas a investigação foi arquivada por falta de provas.

O segundo, que o governador alega nunca ter recebido, foi protocolado na Casa Civil, mas cancelado no mesmo dia e substituído por outro, conforme apontou auditoria da Controladoria Geral do Estado. Antes do relatório da CGE vir à tona, Taques chegou a entrar com representação contra Zaque em instituições como o Conselho Nacional do Ministério Público e a PGR, acusando-o de falsificação de documento público.

Dias antes do escândalo ser revelado em reportagem do Fantástico, em maio, o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, primo do governador, deixou o cargo. O próprio Paulo Taques, alegando estar sofrendo ameaças, pediu à Sesp para que fossem investigados um jornalista, uma ex-secretária e uma ex-amante dele.

Envolvimento do governador
Em depoimento encaminhado à PGR, o ex-secretário Mauro Zaque afirmou que em 2015, época em que ainda estava no governo, ouviu o coronel Zaqueu Barbosa, comandante da PM à época, dizer que as interceptações telefônicas eram feitas por determinação de Pedro Taques. Ele alega ainda que levou o assunto a Taques e que o governador ficou constrangido, mas não fez nenhum comentário.

Em entrevista ao Fantástico, o secretário de Comunicação, Kléber Lima, negou o envolvimento do governador no esquema.

Na decisão, o desembargador afirma que, mesmo em liberdade, o ex-secretário "vem buscando, de todas as formas, interferir diretamente na apuração dos fatos, mediante a utilização dos meios de comunicação, sobretudo pelo forte prestígio que ainda possui perante a imprensa de uma forma geral, ou, quiçá, de espaços decorrentes de suas relações com o governo".

Segundo a denúncia, mais de 100 pessoas tiveram as conversas grampeadas, entre elas políticos de oposição ao atual governo de Mato Grosso, advogados, médicos e jornalistas.

Os telefones foram incluídos indevidamente em uma investigação sobre tráfico de drogas que teria o suposto envolvimento de policiais militares. O resultado dessa investigação, porém, não foi informado pelo governo até hoje.

Paulo Taques, que é advogado, deixou o comando da Casa Civil em maio deste ano. À época, ele alegou que voltaria a se dedicar à advocacia e que reassumiria o papel de advogado pessoal de Pedro Taques, primo dele.

Além de Paulo Taques, estão presos por envolvimento no esquema o coronel Zaqueu Barbosa, os coronéis Evandro Lesco e Ronelson Barros, ex-chefe e ex-adjunto da Casa Militar, e o cabo o cabo Gerson Correa Junior. Eles estão foram presos entre maio e junho deste ano.

"Os mesmos argumentos aduzidos por ocasião da prisão preventiva de vários policiais militares também se aplicam ao caso em apreço, máxime porque há fortíssimos indícios da ligação entre Paulo Taques com o grupo criminoso formado para implantação de diversas escutas telefônicas ilegais", diz trecho da decisão.

Investigações
O promotor de Justiça Mauro Zaque, que comandou a Secretaria de Segurança Pública em 2015, denunciou o caso à Procuradoria-Geral da República, afirmando que alertou o governador Pedro Taques (PSBD) sobre a existência de um "escritório clandestino de espionagem" por meio de dois ofícios. O primeiro chegou a ser enviado para o MPE, mas a investigação foi arquivada por falta de provas.

O segundo, que o governador alega nunca ter recebido, foi protocolado na Casa Civil, mas cancelado no mesmo dia e substituído por outro, conforme apontou auditoria da Controladoria Geral do Estado. Antes do relatório da CGE vir à tona, Taques chegou a entrar com representação contra Zaque em instituições como o Conselho Nacional do Ministério Público e a PGR, acusando-o de falsificação de documento público.

Dias antes do escândalo ser revelado em reportagem do Fantástico, em maio, o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, primo do governador, deixou o cargo. O próprio Paulo Taques, alegando estar sofrendo ameaças, pediu à Sesp para que fossem investigados um jornalista, uma ex-secretária e uma ex-amante dele.

Envolvimento do governador
Em depoimento encaminhado à PGR, o ex-secretário Mauro Zaque afirmou que em 2015, época em que ainda estava no governo, ouviu o coronel Zaqueu Barbosa, comandante da PM à época, dizer que as interceptações telefônicas eram feitas por determinação de Pedro Taques. Ele alega ainda que levou o assunto a Taques e que o governador ficou constrangido, mas não fez nenhum comentário.

Em entrevista ao Fantástico, o secretário de Comunicação, Kléber Lima, negou o envolvimento do governador no esquema.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Recursos Públicos

Presidente da Câmara destaca importância da articulação para vinda de recursos

Nova Estrutura

Prefeitura terá nova estrutura administrativa organizacional

Qualificação

Escola do Senai de Lucas do Rio Verde será construída no Bairro Menino Deus

Acusação

Ex-governador do MT acusa Blairo de pagar para testemunha mudar depoimento

12/08/2017 -

Novas tecnologias para o tratamento de resíduos serão discutidas em fórum nesta segunda-feira (14)

O evento será realizado na Câmara de Vereadores de Lucas do Rio Verde. São esperados representantes dos 13 municípios que compõem o Cidesa Alto Teles Pires

11/08/2017 -

Vereador Mano e presidente da Assembleia, deputado Eduardo Botelho viabilizam recurso para a ampliação da Apae

Foram viabilizados R$ 140 mil, que correspondem a metade do valor orçado para a construção de três salas de aula e sanitários

08/08/2017 -

TSE mantém prefeito eleito de Primavera do Leste (MT) fora do cargo

Viana foi denunciado pela realização de despesas não legítimas com refeições e hospedagens, aquisição de bens e serviços sem processo licitatório e contratação e manutenção de servidores sem concurso público.

07/08/2017 -

Blairo confirma que presidente Temer estará 6ª em Lucas do Rio Verde inaugurando usina e lançando colheita

É a primeira vez que o presidente Michel Temer (PMDB) visitará Mato Grosso desde que assumiu a presidência, ano passad

03/08/2017 -

Temer se livra de denúncia; 7 de MT votam contra investigação

O voto de número 172 foi da deputada Rosângela Gomes (PRB-RJ); presidente não será investigado pelo STF

28/07/2017 -

Vereador Callai cobra do Executivo auxílio aos universitários que estudam nos municípios da região

Em 2016, foram destinados R$ 61 mil para auxiliar no transporte dos acadêmicos que estudam em Sorriso e Nova Mutum esse valor deve ser reajustado.

19/07/2017 -

Vereadores aprovam destinação de recurso para melhorias na Central de Processamento de Resíduos da Construção Civil

Serão investidos R$ 77 mil em obras de readequação, instalação e ampliação da rede trifásica de energia elétrica

19/07/2017 -

Vereadores aprovam novo formato de Avaliação de Desempenho Individual dos servidores

A proposta foi aprovada com duas emendas, de autoria do vereador Callai, que garantem o recebimento do retroativo, referente ao primeiro semestre deste ano

19/07/2017 -

Vereadores aprovam projeto e agricultura familiar será beneficiada com 10 pasteurizadores

Serão investidos R$ 127 mil. Os recursos foram viabilizados por meio de um convênio com o Ministério da Agricultura

18/07/2017 -

Última sessão do semestre, termina com troca de ‘farpas’ entre vereadores

A sessão acabou sendo interrompida em razão da falta de energia no bairro

12/07/2017 -

Reforma trabalhista é aprovada no Senado; confira o que muda na lei

As alterações mexem em pontos como férias, jornada de trabalho, remuneração e plano de carreira; texto ainda depende da sanção do presidente da República.

10/07/2017 -

Vereador Callai recebe resposta do Executivo em relação as indicações

A devolutiva da prefeitura só foi possível graças ao Projeto de Lei n. 02/17, de autoria do vereador Dr. Jaime, que determina que o Executivo responda as indicações

05/07/2017 -

Vereadores aprovam dois projetos e apresentam seis indicações ao Executivo

Além da sessão ordinária, foi realizada uma extraordinária para a votação do projeto n. 46, que abre crédito suplementar no valor de R$ 1.2 milhão em favor do Saae

10/07/2017 -

Defesa nega que José Riva tenha feito delação e incriminado Blairo Maggi

Riva não fechou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR)

10/07/2017 -

Blairo Maggi usou precatórios para comprar apoio em MT, diz delator

Os pagamentos de precatórios foram realizados entre março de 2009 e dezembro de 2012.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora