Segovia diz que Temer ''continuará a ser investigado, sem nenhum problema''

Delegado assumiu oficialmente o comando da Polícia Federal e defendeu o direito de a corporação fechar delações premiadas.

20/11/2017 - 22:41:41

   

Novo diretor-geral da PF assume e diz que combate à corrupção será prioritário

 

O novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segovia, disse nesta segunda-feira (20), que o presidente “continuará a ser investigado, sem nenhum problema”.

Segovia comentou as investigações sobre o presidente Michel Temer a cargo da PF. Explicou que os inquéritos que levaram a PGR a denunciar o presidente por corrupção, organização criminosa e obstrução à Justiça já estão concluídos.

“Na questão do presidente Michel Temer, ele sofreu já duas investigações, dois inquéritos abertos pelo Supremo Tribunal Federal, os quais foram concluídos pela antiga gestão da Polícia Federal. O relatório foi encaminhado pelo dr. Janot e na época o ex-procurador-geral da República ofereceu denúncia contra o presidente da República, as quais hoje se encontra suspensas por decisão Congresso. Então, nós não temos mais hoje nada a executar dentro dessas investigações, porque em tese já teriam sido concluídas”, disse.

A respeito de uma terceira investigação sobre Temer, relacionada a decreto na área de portos que teria beneficiado a concessionária Rodrimar, Segovia disse que “terá toda a celeridade como todos os outros inquéritos no Supremo Tribunal Federal”.

Delações premiadas

Segovia defendeu o direito de a corporação fechar delações premiadas – o que contraria o Ministério Público.

Em entrevista à imprensa após assumir oficialmente o cargo, ele disse que vai tentar criar uma metodologia com a Procuradoria Geral da República nas investigações, especialmente com a criação de forças-tarefas.

"Já está na lei que a Polícia Federal tem a atribuição de fazer as delações premiadas, que nada mais é que meio de investigação. Como ferramenta de investigação ela tem que fazer parte das atribuições da Polícia Federal e nós não vamos desistir dessa atribuição”, afirmou Segovia.

Contestado pela PGR numa ação no Supremo Tribunal Federal (STF), o poder da PF de negociar e fechar acordos de delação premiada foi defendido por Segovia. Ele disse que vai conversar com ministros da Corte para convencê-los a manter essa regra.

“A Direção Geral não vai mudar o foco na questão das delações premiadas feitas pela Polícia Federal. E devemos voltar a fazer visitas ao ministros do Supremo Tribunal Federal para explicar os motivos que a lei já expõe”, afirmou.

“Carta branca”

Fernando Segovia disse que recebeu “carta branca” do presidente Michel Temer para comandar a corporação, mas que a atuação será “republicana”, sem posicionamento político.

“Quando eu estava conversando com o presidente Michel Temer, estávamos conversando sobre a minha visão sobre a PF e minha estratégia, discutindo essa questão dos meios que a polícia deve utilizar. Ele disse que eu tenho carta branca e devia fazer da Polícia Federal uma polícia republicana”, disse o Segovia.

Para o delegado, a polícia republicana deve respeitar a Constituição, as leis e os princípio de investigação.

“Quando buscamos a verdade real dos fatos não podemos ter preconceito. Quando se recebe uma denúncia de qualquer tipo, a gente deve estabelecer uma linha de investigação para saber se há esse desvio de recurso ou se há uma denúncia caluniosa. A Polícia Federal não pode tomar nenhum posicionamento político-partidário”, afirmou.

Parceria com PGR

Quanto à parceria com a PGR nas investigações, Segovia disse que já conversou com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para planejar um “trabalho conjunto”. Ele cogitou a possibilidade de montar forças-tarefas, como já foi criada no Rio de Janeiro, mas a nível federal.

“Com isso a gente pretende estabelecer juntos, eu e dra. Raquel Dodge, uma metodologia de trabalho entre a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. É lógico que isso vai se irradiar para todo o Brasil e haverá essa parceria e acredito muito que a dra. Raquel Dodge quer que a gente trabalhe em conjunto”, disse.

Segovia afirmou que este é "um novo momento" para as duas corporações - Polícia Federal e Ministério Público - e que há consenso entre a atuação dele e da procuradora geral da República, Raquel Dodge.

"A gente vai tentar construir, nesse momento de mais maturidade das duas instituições, um acordo para conseguir trabalhar mais em conjunto. Acredito que há consenso e acredito que não há necessidade de uma briga institucional entre a PF e a PGR", afirmou.

Autonomia da PF

Segovia afirmou que toda a corporação quer autonomia um dia, se referindo à PEC que tramita na Câmara dos Deputados.

Ele criticou o posicionamento contrário do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) ao projeto. O MP argumenta que perderá o controle da corporação caso a proposta seja aprovada.

"O MPF tem controle externo da PF e talvez essa é a grande confusão que alguns têm lá dentro. Eles não controlam a PF, quem controla é o diretor-geral. O que o MP faz é controlar nossas atividades, se nós cumprimos a legalidade e a Constituição. Eles não têm gerencia. Não existe submissão da Polícia Federal ao MPF", afirmou.

Celeridade nas investigações

Segovia afirmou que a nova equipe da Polícia Federal estará empenhada em concluir o maior número possível de inquéritos contra políticos e autoridades que estão no Supremo, até o meio de 2018, antes das eleições.

"Nós traremos os meios necessários para atingir a maturidade e o fechamento desses inquéritos até o meio do ano que vem. Mas, se houver uma investigação, e ela não for concluída nesse prazo, ela vai continuar. É só uma meta a ser atingida", afirmou.

Segundo ele, está em curso a elaboração de um plano para que cada inquérito no tribunal tenha um plano de investigação para que tudo ocorra de maneira mais célere.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Gastos Elevados

Deputada questiona aumento de gastos com diárias; salto de 107 mil para 367 mil só na Comunicação

Planejamento

Lucas: Vereadores finalizam a aprovação dos projetos que tratam do planejamento do município

Debate

Lei do Susaf será discutida com o ministro da Agricultura Blairo Maggi

Saúde

Ministro da Saúde libera a utilização do prédio da UPA, a decisão depende agora do TCU

08/12/2017 -

Ministro tucano deixa Secretaria de Governo; Carlos Marun é cotado para substituí-lo

O ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (8).

08/12/2017 -

Reforma da Previdência deve ser votada no Senado em fevereiro, diz Temer

Durante eventos em SP, presidente disse que seu ''bom humor'' vem da confiança na aprovação da reforma, e que não cogita adiamento da votação para 2018.

08/12/2017 -

Com aprovação do FEX na Câmara Federal, MT deve receber R$ 500 milhões

Desse total, o estado deve ficar com75% e os 141 municípios do estado com 25%. O projeto de lei segue agora para o Senado Federal.

06/12/2017 -

Lideranças de Lucas do Rio Verde cobram de ministro solução para UPA entrar em funcionamento

O prefeito Flori Luiz Binotti, afirmou que a intenção do município é transferir para o local toda a estrutura do PSF central, mas não descarta a implantação de uma UPA.

01/12/2017 -

Lucas: Ministro Baldy inaugura casas do Minha Casa, Minha Vida e anuncia retomada do Vida Nova 2

Cerca de mil pessoas acompanharam a solenidade de entrega simbólica das chaves e os pronunciamentos de autoridades do Governo Federal, Estadual e Municipal.

01/12/2017 -

Eleição de 2018 terá somente 30 mil urnas eletrônicas com voto impresso

A implantação do voto impresso nas eleições de 2018 foi aprovada pelos parlamentares no ano passado.

01/12/2017 -

Técnicos conseguem invadir urna eletrônica durante teste; TSE diz que falhas serão corrigidas

Especialistas conseguiram decifrar arquivos internos do equipamento em teste público de segurança no Tribunal Superior Eleitoral.

30/11/2017 -

Ministro inaugura em Lucas do Rio Verde conjunto habitacional

A solenidade de entrega das chaves contou com a presença do vice-governador, Carlos Fávaro, do prefeito Luiz Binotti, deputados federais, o secretário de Política Agrícola, Neri Geller, e demais lideranças.

29/11/2017 -

Casa Civil anuncia medida para facilitar pedido de passaportes

Segundo o governo, comprovantes de pagamento, de quitação com a Justiça Eleitoral e certificado de reservista passarão a estar em banco de dados. Objetivo é concluir mudança até o fim de 2018.

29/11/2017 -

Câmara estende para 2024 prazo para estados e municípios quitarem precatórios

PEC foi aprovada em primeiro turno; falta análise em segundo turno. Regra atual previa que prazo terminaria em 2020. Precatórios são débitos do poder público com cidadãos ou empresas.

28/11/2017 -

Lucas: Planejamento orçamentário (LDO 2018) é aprovado em primeira votação

O projeto precisa ser aprovado em duas sessões. A previsão é que a proposta volte a pauta de votações na próxima segunda-feira (04).

28/11/2017 -

Nova Mutum: Vereadores Aprovam as Contas do Município Referente ao ano de 2016

O presidente da Câmara Municipal de Nova Mutum Airton Pessi convocou na última segunda-feira (27.11), todos os parlamentares da Augusta Casa de Leis, para a 3ª Sessão Extraordinária de 2017.

28/11/2017 -

Otaviano Pivetta e Mauro Mendes são cotados para o Governo do Estado

A dupla possui boa relação no meio empresarial, agrícola e muita influência no meio político.

28/11/2017 -

Lucas: Vereador cobra implantação de escola militar e insinua que secretária está preocupada com ideologia política

Existe uma indicação para implantação da escola militar.

28/11/2017 -

Governo publica prorrogação dos incentivos do Recine e da Lei do Audiovisual até 2019

Promulgação foi publicada nesta terça-feira no ''Diário Oficial da União''. Em agosto, Temer vetou a prorrogação dos incentivos, porém o Congresso derrubou o veto na última semana.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora