Segovia põe em dúvida se ''uma única mala'' é suficiente para apontar se Temer praticou corrupção

Novo diretor-geral questiona assim trabalho da própria Policia Federal, que conduziu parte da investigação. Ele criticou PGR e disse que, 'sob a égide da PF', investigação teria durado mais tempo.

20/11/2017 - 22:32:00

   

 

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, afirmou nesta segunda-feira (20) que a investigação que levou a Procuradoria Geral da República (PGR) a denunciar o presidente Michel Temer poderia ter sido mais longa. Para ele, se a apuração estivesse “sob a égide” da PF, e não da PGR, a corporação pediria mais tempo para avaliar “se havia ou não corrupção”.

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirmou que não cabe a Fernando Segovia emitir opinião sobre as denúncias na operação.

Segovia afirmou que "uma única mala" "talvez" seja insuficiente para comprovar se os investigados cometeram crime de corrupção. O diretor da PF se referia à mala com R$ 500 mil em dinheiro – supostamente propina – entregue em abril deste ano pelo executivo Ricardo Saud, do frigorífico JBS, para o então deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-MG). Ex-assessor e homem de confiança de Temer, Rocha Loures foi preso em razão do episódio. A suspeita da PGR na denúncia é de que Temer seria o destinatário final do dinheiro.

"A gente acredita que, se fosse sob a égide da Polícia Federal, essa investigação teria que ter durado mais tempo, porque uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa que a gente necessitaria para resolver se havia ou não crime e quem seriam os partícipes e se havia ou não corrupção."

Em relatório entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF), em junho, a própria Polícia Federal afirmou que as evidências colhidas na investigação indicavam "com vigor" que Temer cometeu o crime de corrupção passiva.

Na entrevista coletiva que concedeu após a posse, Segovia foi questionado se o ex-procurador-geral Rodrigo Janot, que apresentou a denúncia contra o presidente, seria investigado.

No início deste ano, quando veio à tona a delação da JBS, Temer se disse alvo de perseguição por parte do ex-procurador-geral – posteriormente, o acordo de delação premiada da JBS, que deu base à denúncia, foi suspenso pela suspeita de que um ex-auxiliar de Janot – o ex-procurador Marcello Miller – orientou os delatores quando ainda estava no Ministério Público.

Segovia respondeu que uma investigação sobre Janot dependeria de um pedido, o que ainda não ocorreu. “Se vamos ou não investigar o dr. Janot, dependerá de abertura de investigação, se é que alguém vai pedir abertura de investigação em relação a tais fatos”, disse.

“Talvez seria bom, para que o Brasil inteiro soubesse, se houvesse transparência maior sobre como foi conduzida aquela investigação. A gente acredita que se fosse sob a égide da Polícia Federal, essa investigação teria que ter durado mais tempo, porque uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa que a gente necessitaria para resolver se havia ou não crime e quem seriam os partícipes e se havia ou não corrupção. É um ponto de interrogação que fica hoje no imaginário popular brasileiro e que poderia ter sido respondido se a investigação tivesse mais tempo”, afirmou.

Segovia disse que quem estabeleceu o “deadline” (tempo limite) para o fim da investigação foi a PGR.

“Talvez ela seja a melhor a explicar por que foi feito aquilo naquele momento e por que Joesley [Batista, sócio do grupo J&F, controlador da JBS] sabia quando ia acontecer para ele poder ganhar milhões no mercado de capitais”, disse, em referência às suspeitas de que os donos da JBS lucraram com a delação premiada, negociando ações e moeda antes de sua divulgação.

O caso da mala

Em junho, antes de a PGR oferecer denúncia contra Temer por corrupção passiva, um relatório da própria Polícia Federal apontou indícios de que Temer e o ex-assessor Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) cometeram crime de corrupção passiva.

Loures foi flagrado pela própria PF, numa ação controlada, recebendo mala com R$ 500 mil de um executivo da JBS numa pizzaria em São Paulo – o dinheiro seria a primeira parcela de uma propina em troca de favores no governo.

Em conversa gravada por Joesley Batista, Temer indicou Loures como pessoa de sua confiança para tratar de negócios da JBS no Executivo.

Ao final da entrevista à imprensa, Segovia afirmou que as investigações por corrupção, organização criminosa e obstrução da Justiça já foram concluídas na Polícia Federal com a denúncia da PGR contra Temer.

“Na questão do presidente Michel Temer, ele sofreu já duas investigações, dois inquéritos abertos pelo Supremo Tribunal Federal, os quais foram concluídos pela antiga gestão da Polícia Federal. O relatório foi encaminhado pelo dr. Janot, e na época o ex-procurador-geral da República ofereceu denúncia contra o presidente da República, as quais hoje se encontram suspensas por decisão do Congresso. Então, nós não temos mais hoje nada a executar dentro dessas investigações, porque em tese já teriam sido concluídas”, disse.

Questionado sobre a terceira investigação sobre Temer, também por corrupção, relacionada a decreto na área de portos que teria beneficiado a concessionária Rodrimar, Segovia disse que o presidente “continuará a ser investigado, sem nenhum problema”.

“Terá toda a celeridade como todos os outros inquéritos no Supremo Tribunal Federal”, finalizou.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Planejamento

Vereadores finalizam a aprovação dos projetos que tratam do planejamento do município

Gastos Elevados

Deputada questiona aumento de gastos com diárias; salto de 107 mil para 367 mil só na Comunicação

Planejamento

Lucas: Vereadores finalizam a aprovação dos projetos que tratam do planejamento do município

Debate

Lei do Susaf será discutida com o ministro da Agricultura Blairo Maggi

08/12/2017 -

Ministro da Saúde libera a utilização do prédio da UPA, a decisão depende agora do TCU

Lideranças de Lucas do Rio Verde e Mato Grosso se reúnem com o ministro Ricardo Barros para discutir a reutilização dos prédios públicos construídos pelo governo federal

08/12/2017 -

Ministro tucano deixa Secretaria de Governo; Carlos Marun é cotado para substituí-lo

O ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (8).

08/12/2017 -

Reforma da Previdência deve ser votada no Senado em fevereiro, diz Temer

Durante eventos em SP, presidente disse que seu ''bom humor'' vem da confiança na aprovação da reforma, e que não cogita adiamento da votação para 2018.

08/12/2017 -

Com aprovação do FEX na Câmara Federal, MT deve receber R$ 500 milhões

Desse total, o estado deve ficar com75% e os 141 municípios do estado com 25%. O projeto de lei segue agora para o Senado Federal.

06/12/2017 -

Lideranças de Lucas do Rio Verde cobram de ministro solução para UPA entrar em funcionamento

O prefeito Flori Luiz Binotti, afirmou que a intenção do município é transferir para o local toda a estrutura do PSF central, mas não descarta a implantação de uma UPA.

01/12/2017 -

Lucas: Ministro Baldy inaugura casas do Minha Casa, Minha Vida e anuncia retomada do Vida Nova 2

Cerca de mil pessoas acompanharam a solenidade de entrega simbólica das chaves e os pronunciamentos de autoridades do Governo Federal, Estadual e Municipal.

01/12/2017 -

Eleição de 2018 terá somente 30 mil urnas eletrônicas com voto impresso

A implantação do voto impresso nas eleições de 2018 foi aprovada pelos parlamentares no ano passado.

01/12/2017 -

Técnicos conseguem invadir urna eletrônica durante teste; TSE diz que falhas serão corrigidas

Especialistas conseguiram decifrar arquivos internos do equipamento em teste público de segurança no Tribunal Superior Eleitoral.

30/11/2017 -

Ministro inaugura em Lucas do Rio Verde conjunto habitacional

A solenidade de entrega das chaves contou com a presença do vice-governador, Carlos Fávaro, do prefeito Luiz Binotti, deputados federais, o secretário de Política Agrícola, Neri Geller, e demais lideranças.

29/11/2017 -

Casa Civil anuncia medida para facilitar pedido de passaportes

Segundo o governo, comprovantes de pagamento, de quitação com a Justiça Eleitoral e certificado de reservista passarão a estar em banco de dados. Objetivo é concluir mudança até o fim de 2018.

29/11/2017 -

Câmara estende para 2024 prazo para estados e municípios quitarem precatórios

PEC foi aprovada em primeiro turno; falta análise em segundo turno. Regra atual previa que prazo terminaria em 2020. Precatórios são débitos do poder público com cidadãos ou empresas.

28/11/2017 -

Lucas: Planejamento orçamentário (LDO 2018) é aprovado em primeira votação

O projeto precisa ser aprovado em duas sessões. A previsão é que a proposta volte a pauta de votações na próxima segunda-feira (04).

28/11/2017 -

Nova Mutum: Vereadores Aprovam as Contas do Município Referente ao ano de 2016

O presidente da Câmara Municipal de Nova Mutum Airton Pessi convocou na última segunda-feira (27.11), todos os parlamentares da Augusta Casa de Leis, para a 3ª Sessão Extraordinária de 2017.

28/11/2017 -

Otaviano Pivetta e Mauro Mendes são cotados para o Governo do Estado

A dupla possui boa relação no meio empresarial, agrícola e muita influência no meio político.

28/11/2017 -

Lucas: Vereador cobra implantação de escola militar e insinua que secretária está preocupada com ideologia política

Existe uma indicação para implantação da escola militar.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora