Senado argumenta ao STF que medidas cautelares contra congressistas são inconstitucionais

Advocacia da Casa enviou novo parecer ao tribunal para julgamento que pode rever decisão sobre Aécio Neves. No primeiro parecer, Senado apenas alegou que parlamento tinha que ser consultado.

06/10/2017 - 18:10:13

   

Aécio Neves está afastado do mandato de senador por ordem da Primeira Turma do STF (Foto: Eraldo Peres/AP)

A Advocacia do Senado encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um novo parecer para o julgamento que pode rever o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) argumentando que qualquer medida cautelar contra congressistas é inconstitucional. No documento, os advogados do Senado alegam que nenhum parlamentar pode ser suspenso por ato do Judiciário.

Na próxima quarta (11), os ministros do STF devem julgar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade que pede que o tribunal considere a possibilidade de o Congresso rever, em até 24 horas, qualquer medida cautelar diversa da prisão imposta a deputados e senadores, como suspensão do mandato e recolhimento domiciliar.

O Senado já havia se posicionado na ação de inconstitucionalidade dizendo que apenas as medidas cautelares que implicassem em afastamento deveriam ser submetidas ao Congresso em até 24 horas. Na ocasião, a casa legislativa não questionou a legalidade das medidas. Já com relação a medidas sem o afastamento, O Senado defendia que poderiam ser aplicadas pelo Judiciário.

No julgamento, os magistrados irão tentar resolver o impasse gerado a partir do afastamento de Aécio por ordem da Primeira Turma do Supremo, que reúne os ministros Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio Mello e Rosa Weber.

Por 3 votos a 2, os ministros da turma rejeitaram o pedido de prisão formulado pela Procuradoria Geral da República, mas determinaram o afastamento do senador tucano do mandato e o recolhimento domiciliar noturno, isto é, a proibição de sair de casa à noite. Esta última determinação é uma das medidas cautelares diversas da prisão previstas no Código de Processo Penal.

Novo parecer do Senado

O novo parecer apresentado pelo Senado afirma que a Constituição só prevê prisão em flagrante, e não outras medidas, intencionalmente e, por isso, avalia o Senado, o STF não pode determinar nenhuma cautelar.

"Há, sim, silêncio eloquente e intencional: o Constituinte não falou em medidas cautelares, e especialmente jamais falou em suspensão de mandato, porque jamais pretendeu autorizar tais providências. E, ao tratar inteiramente do respeito ao mandato parlamentar, estabeleceu uma zona de vedação à atividade infraconstitucional. Em outras palavras, a matéria é constitucional, afastada a incidência da legislação ordinária. Por essas razões, é descabida a aplicação de medidas cautelares penais aos membros do Congresso Nacional no curso do mandato", diz trecho do documento.

O parecer ressalta ainda que a Constituição tem intenção de "assegurar o livre exercício do mandato outorgado pelo voto popular guarda estreita relação com o princípio democrático e com a preservação das instituições públicas".

Os advogados do Senado cobram que o Supremo respeite a Constituição, sem querer reinterpretá-la, frisando que o texto constitucional visa preservar os mandatos.

"A excepcionalidade do momento brasileiro, sustentada na responsabilização de agentes públicos (lato sensu) por eventuais delitos, está a exigir das instituições brasileiras o estrito cumprimento do texto constitucional e dos princípios fundamentais do Estado Democrático de Direito e não a construção de soluções que, a despeito de violarem direitos e garantias fundamentais, pareçam mais adequadas à gravidade do caso concreto, sob pena de irradiar grave insegurança jurídica quanto a higidez do ordenamento jurídico, colocando em risco a estabilidade das relações sociais e institucionais", criticou a Advocacia Geral do Senado no parecer.

"Em tempos de crise, é preciso afirmar a soberania da Constituição, e não a reinterpretar para dar vazão a reclames quaisquer. Uma das principais funções da jurisdição constitucional, afinal, é a de cumprir o papel contra majoritário que lhe foi atribuído pelo texto constitucional" (Senado)

Os pedidos da PGR

Os pedidos de prisão e de afastamento do mandato foram feitos no fim de julho pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Em maio, um primeiro pedido de prisão foi negado pelo relator da Operação Lava Jato no STF, Edson Fachin – na época, porém, ele determinou o afastamento de Aécio do Senado.

No fim de junho, o ministro Marco Aurélio Mello, para quem o caso foi encaminhado, negou um novo pedido de prisão e permitiu a volta do senador do PSDB ao exercício do mandato.

Os pedidos da PGR são baseados na delação de executivos do grupo J&F, dono do frigorífico JBS. O órgão sustenta que o parlamentar mineiro teria recebido dinheiro da empresa e que atuou em conjunto com o presidente Michel Temer para impedir as investigações da Lava Jato.

>>> Saiba o que foi dito sobre Aécio na delação da JBS

Ele é acusado de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Janot pediu a prisão para evitar que o parlamentar tucano atrapalhasse as investigações.

A defesa de Aécio diz que o pedido de prisão não seguiu as exigências da Constituição, que só permite a medida em caso de flagrante de crime inafiançável e após autorização do Senado.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Legislativo

Vereadores aprovam projeto que autoriza o município a buscar financiamento para obras de esgoto

Polêmica

Vereador de MT pede desculpas após vídeo dele bebendo cerveja com mulheres em carro superlotado gerar polêmica

Consórcio de Saúde

Vereadores aprovam projeto que destina recursos para a compra de serviços médicos especializados

Legislativo

Homenagens marcam a primeira sessão da Câmara de Vereadores

05/02/2018 -

Taques vai reeditar chapa com Fávaro de vice; Leitão vai ao Senado

Também foi acordada a possibilidade de uma troca entre Nilson Leitão e o ex-governador Jayme Campos (DEM) na disputa à vaga ao Senado.

04/02/2018 -

Senado deve votar em breve projeto de Maggi que criminaliza ‘gatonet’ com até dois anos de cadeia

É essencial citar que atualmente a Lei de TV a Cabo caracteriza a utilização indevida de sinal de TV por assinatura como ilícito penal, mas não estabelece punições.

02/02/2018 -

Primeira sessão do ano terá votação do calendário e homenagens

A sessão será realizada na próxima segunda-feira (05), a partir das 19h

31/01/2018 -

ALMT define novos membros e instaura CPI das 'pedaladas' para investigar o governo

Deputados terão o prazo de 180 dias para investigar a arrecadação e destinação de recursos do Fundeb e Fethab. Novos membros foram nomeados após desistência de parlamentares.

26/01/2018 -

Vereadora é condenada por prometer 250 casas a fiéis em troca de votos durante evento de igreja em MT

Edileusa Oliveira Ribeiro (PTC) é vereadora em Guarantã do Norte. Ela foi condenada a perda dos direitos políticos por 8 anos e teve o mandato cassado.

25/01/2018 -

Um dia depois da condenação, PT lança pré-candidatura de Lula à Presidência

Mesmo com possibilidade de ter candidatura barrada pela Lei da Ficha Limpa. Ex-presidente afirmou que recorrerá 'até o final'. 'Não temos plano B', disse presidente do PT, Gleisi Hoffmann.

11/01/2018 -

Otaviano Pivetta descarta candidatura em outubro

No entanto, alegando que sua missão na política já foi cumprida, Pivetta descarta veementemente aderir a algum projeto político.

09/01/2018 -

Prefeito e vice têm mandatos cassados por exames gratuitos durante a campanha eleitoral em MT

TRE-MT cassou o mandato de Reynaldo Diniz e do vice dele. Magistrados entenderam que houve abuso de poder político e econômico durante a campanha em Ribeirão Cascalheira.

04/01/2018 -

Articulações políticas para as eleições de 2018 começaram

Nos bastidores de Lucas são muitos os comentários e existe a possibilidade de sair nomes para Deputado Estadual e Federal, Governo e até mesmo ao Senado.

21/12/2017 -

Lucas do Rio Verde estreita diálogo com a Seduc

Em pauta, novas unidades escolares, reformas, ampliações, demandas de matrículas, entre outros

19/12/2017 -

Ex-prefeito no Nortão é condenado por improbidade e perde direitos políticos por seis anos

Júnior Pereira foi prefeito de Novo Horizonte do Norte por três mandatos. Ele ainda pode recorrer da decisão.

19/12/2017 -

Câmara de Vereadores promove audiência para debater alterações na Planta Genérica

A Planta Genérica é utilizada na base de cálculo do valor do IPTU e ITBI. A audiência será realizada na quarta-feira (20), a partir das 19h

17/12/2017 -

Vereadores garantem os recursos para as entidades começarem o ano de 2018

Foram aprovados o convênio e a concessão de auxílio-financeiro para a Apae e Clube do Idoso De Bem com a Vida

16/12/2017 -

Juíza condena Silval, Nadaf, Cursi, Lima e mais dois por esquema

Grupo do ex-governador do Estado é acusado de cobrar propina em troca de incentivos fiscais

13/12/2017 -

Congresso Nacional aprova Orçamento da União para 2018

Texto prevê receitas e despesas do Executivo, Legislativo e Judiciário. Pela proposta, salário mínimo será de R$ 965; fundo eleitoral terá R$ 1,7 bi; e déficit nas contas públicas pode chegar a R$ 159 bi.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora