Provocação

Senadora diz em Sinop que aprovação do projeto de abuso de autoridade “foi birra contra a Lava Jato”

Foi feita, na minha avaliação, de uma forma desonesta e antiética

Por: Cleber Romero | Só Notícias
20 de Agosto de 2019 as 09h 31min

A senadora Selma Arruda (PSL) criticou duramente o projeto aprovado pelos deputados federais que define quais situações configuram abuso de autoridade ao ser questionada por Só Notícias, durante encontro com aliados políticos para fortalecer o partido, na última sexta-feira, em Sinop. Ela classificou a aprovação como ato de ‘birra’ contra a operação Lava Jato, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol (integrante da Lava Jato que denunciou dezenas de políticos, empresários e demais envolvidos em corrupção). “Fizeram de propósito. Esse projeto foi tirado do fundo do baú e colocado em regime de urgência sem nenhuma necessidade. Os deputados que estavam lá (no dia da votação) nem sabiam do conteúdo do projeto. Foi feita, na minha avaliação, de uma forma desonesta e antiética. Isso foi uma ‘birra’ contra operação Lava Jato, ministro (Sério) Moro e o promotor (Deltan) Dallagnol. Esperamos que nosso presidente (Jair Bolsonaro) vete se não a totalidade, mas pelo menos boa parte desse projeto”, afirmou Selma, que é juíza aposentada.

O projeto que define em quais as situações que será configurado o crime de abuso de autoridade foi aprovado regime de urgência na Câmara dos Deputados, na última quarta-feira (14). A proposta já havia sido aprovada pelo Senado, em 2017, e seguiu para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O texto considera crime, entre outros pontos, obter provas por meio ilícito, decidir por prisão sem amparo legal, decretar condução coercitiva sem antes intimar a pessoa a comparecer ao juízo, submeter o preso ao uso de algemas quando não há resistência à prisão, invadir imóvel sem determinação judicial e estender a investigação de forma injustificada. O texto prevê, em alguns casos, pena de prisão para promotores e juízes.

Sérgio Moro já se manifestou contrário à aprovação do projeto de lei analisando 11 artigos. Ele apontou, ontem, em encontro com Bolsonaro, a rejeição de alguns itens e sugeriu aos parlamentares novas redações para outros.

Conforme Só Notícias já informou, o deputado federal Nelson Barbudo (PSL) também é contrário a criminalizar abusos cometidos por agentes públicos, como juízes, promotores, procuradores e integrantes das Forças Armadas. Barbudo classificou como “pouca vergonha” a votação do projeto, que lista 37 ações que se praticadas para prejudicar ou beneficiar alguém se enquadrariam como abuso.

Hoje, em Cuiabá, na Assembleia Legislativa, haverá ato contra a nova lei “considerada um ataque à sociedade, ao combate à corrupção e à criminalidade” avalia, o diretor da Escola Superior do Ministério Público de Mato Grosso (FESMP), Joelson de Campos Maciel.

A senadora Selma Arruda (PSL) criticou duramente o projeto aprovado pelos deputados federais que define quais situações configuram abuso de autoridade ao ser questionada durante encontro com aliados políticos para fortalecer o partido, na última sexta-feira, em Sinop. Ela classificou a aprovação como ato de ‘birra’ contra a operação Lava Jato, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol (integrante da Lava Jato que denunciou dezenas de políticos, empresários e demais envolvidos em corrupção). “Fizeram de propósito. Esse projeto foi tirado do fundo do baú e colocado em regime de urgência sem nenhuma necessidade. Os deputados que estavam lá (no dia da votação) nem sabiam do conteúdo do projeto. Foi feita, na minha avaliação, de uma forma desonesta e antiética. Isso foi uma ‘birra’ contra operação Lava Jato, ministro (Sério) Moro e o promotor (Deltan) Dallagnol. Esperamos que nosso presidente (Jair Bolsonaro) vete se não a totalidade, mas pelo menos boa parte desse projeto”, afirmou Selma, que é juíza aposentada.

O projeto que define em quais as situações que será configurado o crime de abuso de autoridade foi aprovado regime de urgência na Câmara dos Deputados, na última quarta-feira (14). A proposta já havia sido aprovada pelo Senado, em 2017, e seguiu para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O texto considera crime, entre outros pontos, obter provas por meio ilícito, decidir por prisão sem amparo legal, decretar condução coercitiva sem antes intimar a pessoa a comparecer ao juízo, submeter o preso ao uso de algemas quando não há resistência à prisão, invadir imóvel sem determinação judicial e estender a investigação de forma injustificada. O texto prevê, em alguns casos, pena de prisão para promotores e juízes.

Sérgio Moro já se manifestou contrário à aprovação do projeto de lei analisando 11 artigos. Ele apontou, ontem, em encontro com Bolsonaro, a rejeição de alguns itens e sugeriu aos parlamentares novas redações para outros.

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) também é contrário a criminalizar abusos cometidos por agentes públicos, como juízes, promotores, procuradores e integrantes das Forças Armadas. Barbudo classificou como “pouca vergonha” a votação do projeto, que lista 37 ações que se praticadas para prejudicar ou beneficiar alguém se enquadrariam como abuso.

Hoje, em Cuiabá, na Assembleia Legislativa, haverá ato contra a nova lei “considerada um ataque à sociedade, ao combate à corrupção e à criminalidade” avalia, o diretor da Escola Superior do Ministério Público de Mato Grosso (FESMP), Joelson de Campos Maciel.


COMENTARIOS

Mais de Política

Valorização

Fávero vota a favor do direito à aposentadoria especial aos professores

Parlamentar foi o relator na CCJR da proposta que contempla os profissionais.

17 de Setembro de 2019 as 19h20

Homenagem

Fávero presta homenagem ao prefeito de Colatina-ES

Sérgio Meneguelli esteve na Assembleia Legislativa de MT para receber a homenagem.

17 de Setembro de 2019 as 16h01

Abertura de Crédito

Vereadores aprovam a abertura de crédito para a construção de PSF no Vida Nova

O valor total da obra é de mais de R$ 1.3 milhão, R$ 408 mil é a contrapartida do município, o restante, cerca de R$ 900 mil, foi viabilizado por meio de convênio com o Ministério da Saúde

17 de Setembro de 2019 as 13h41

Saúde

Vereadores aprovam a destinação de mais de R$ 3.1 milhões para a saúde

R$ 2.7 milhões serão destinados ao Hospital São Lucas para o pagamento de despesas relacionadas aos atendimentos SUS e R$ 450 mil, para a compra de exames e cirurgias, via Consórcio de Saúde

17 de Setembro de 2019 as 13h36

Pós-Mandato

Fávero quer prazo para ex-prefeito acessar registros

A proposta começou tramitar na Casa de Leis na semana passada

16 de Setembro de 2019 as 21h53

Regularização Fundiária

Meta do governo federal é regularizar 600 mil lotes no Brasil até 2022

Secretário Nacional da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan, esteve na Assembleia de Mato Grosso, nesta sexta-feira (13), para debater os entraves da reforma agrária em Mato Grosso.

16 de Setembro de 2019 as 08h50

Últimos Dias

Selma se mostra incomodada com PSL e diz que não é Bolsonaro ‘até debaixo d’água’

A juíza aposentada afirmou que o PSL é um partido que a incomoda

15 de Setembro de 2019 as 18h47

Regularização

Secretário Nacional de Agricultura confirma presença em debate promovido por Fávero e Barbudo

Encontro será nesta sexta-feira (13 de setembro, no auditório Milton Figueiredo, às 10 horas, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

11 de Setembro de 2019 as 15h53

R$ 3.000,00 por Sessão

Botelho desconta salário e V.I. de Xuxu, que sugere perseguição

Presidente da Assembleia Legislativa "ignorou" a justificativa de ausência apresentada pelo colega

11 de Setembro de 2019 as 13h45

Almoço no Paiaguás

Base se reúne com Mendes e cobra pagamento de emendas

Nesta semana foi aprovado um requerimento pedindo que Mendes apresente dados sobre valores pagos

11 de Setembro de 2019 as 13h41

Parecer Favorável

PECs que facilitam a expansão da Unemat e susta atos do Judiciário e TCE são aprovados na CCJR

As propostas receberam parecer favorável, durante reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), dessa terça-feira (10).

10 de Setembro de 2019 as 18h33

Política

Mourão: governo deve negociar com o Congresso com clareza e paciência

Mourão esteve reunido na manhã desta terça-feira com os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

10 de Setembro de 2019 as 15h20

Prioridade

Fávero vai à Jaciara debater implantação da escola militar

Parlamentar é autor da Lei nº 10.920/2019, que facilita a implantação e construção de escolas cívico/militar nos municípios mato-grossenses.

10 de Setembro de 2019 as 11h49

Venda de Terrenos

Prefeita sanciona projeto e autoriza venda de 80 terrenos públicos em Sinop

o projeto detalha que os imóveis do Jardim Florença têm avaliações entre R$ 93 mil e 190 mil.

09 de Setembro de 2019 as 09h23

Servidores

Vereadores aprovam criação de estatuto e alteração no PCCS dos servidores do Legislativo

Com a alteração no PCCS, foram criados novos cargos que serão preenchidos por meio de concurso público

06 de Setembro de 2019 as 13h25

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

Quem é o maior responsável pelas queimadas em Mato Grosso?

A população

As autoridades públicas

Os órgãos ambientais

O clima

Parcial
veja +

COTAÇÃO