Política

Taques é contra, mas diz que vai avaliar reativação da Lemat

Governador eleito afirma ser contrário ao fato Estado ser mantenedor de jogos

Jogos de Azar | 27 de Outubro de 2014 as 08h 54min
MT Agora - Mídia News

O governador eleito e senador Pedro Taques (PDT) afirmou que a manutenção da Loteria do Estado de Mato Grosso (Lemat) será discutida e avaliada por sua equipe de transição. 

Em entrevista, Taques admitiu ser contrário que o Estado forneça jogos de azar, porém afirmou que nenhuma medida será tomada de modo "intransigente". 

“Todos sabem minha opinião. Sou contrário em administrar essa área e me manifestei sobre isso durante a campanha eleitoral. Alguns argumentam que ela seria ao molde da loteria esportiva ou da Sena, porém isso é do Governo Federal e eu sou contrário ao Estado manter jogos”. 

A “volta” da Lemat, extinta na década de 1980, foi proposta pelo governador Silval Barbosa (PMDB) e, conforme edital de licitação, servirá para a exploração de jogos nas modalidades convencional (nos moldes da Loteria Federal) e instantânea (raspadinha). 

Por problemas na Justiça - as empresas concorrentes “brigam” devido resultado e a Justiça Federal pediu a suspensão da licitação em julho passado, que em agosto foi revertida - a Loteria ainda não foi implantada e permanece em fase licitatória. 

“Nós analisaremos como está a Lemat e, com esta opinião que eu já tenho, ela será avaliada”, disse Taques. 

Ao MidiaNews, o presidente da Lemat, Manoel Antônio Garcia Palma, o Toco Palma, afirmou que um relatório completo sobre a situação da entidade já está pronto para ser entregue à equipe de transição de Taques. 

Palma também garantiu estar disponível para quaisquer dúvidas e reforçou que a loteria tem o objetivo claro de arrecadação. 

“O intuito único da Lemat é arrecadar. A Lemat é legal e modelos parecidos e implantados já existem no Ceará, Pernambuco e Minas Gerais por exemplo. Além disso, 7% será destinado para o desporto e 3% para o social”, destacou. 

MT-Par e Agem

A mesma avaliação da Lemat, segundo Pedro Taques, servirá para outros dois órgãos criados na gestão de Silval Barbosa, o MT-Participações e Projetos S/A (MT-Par) MT-PAR e a Agência de Desenvolvimento Metropolitano (Agem). 

O MT-Par foi criado pelo governador para explorar concessões de rodovias, ferrovias, aeroportos, portos fluviais, bens e serviços públicos, por meio de Parcerias Público Privadas (PPP).

A Agem, por sua vez, seria para integrar ações de diversos setores entre os municípios da região metropolitana. A Agência também se tornaria a responsável pelas obras da Copa do Mundo com a extinção da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa). 

“Tudo isso será tratado de forma técnica. Com relação as obras da Copa, elas estão sendo tratadas de forma separada. Ainda assim, temos que analisar com quais objetivos esses órgãos foram criados. Queremos um estado enxuto, mas que garanta que o serviços cheguem até o cidadão”.

COMENTARIOS

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

TEMPO AGORA

Hoje, Sexta Feira

Lucas do Rio Verde, MT

Tempestades

30º

COTAÇÃO