Temer se livra de denúncia; 7 de MT votam contra investigação

O voto de número 172 foi da deputada Rosângela Gomes (PRB-RJ); presidente não será investigado pelo STF

03/08/2017 - 06:54:54

   

O presidente Michel Temer, que teve denúncia de corrupção barrada na Câmara Foto: Sérgio Lima/Poder360

A Câmara dos Deputados rejeitou, na noite desta quarta-feira (2), a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer (PMDB).

O voto de número 172 foi da deputada Rosângela Gomes (PRB-RJ).

Mas, antes do voto da parlamentar, o governo já tinha conseguido matematicamente barrar a denúncia, considerando a soma dos votos a favor do parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) contrário à admissibilidade da denúncia, ausências (13) e abstenções (1). 

Isso porque eram necessários o mínimo de 342 votos contra o parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) e, com isso, autorizar o Supremo Tribunal Federal (STF) a investigar o presidente.

A vitória do governo foi conquistada durante a votação da bancada do Rio de Janeiro. 

A maioria da bancada de Mato Grosso votou contra a admissibilidade da denúncia. Foram sete votos contra um.

Votaram a favor: Carlos Bezerra (PMDB), Adilton Sachetti (PSB), Fábio Garcia (PSB), Ezequiel Fonseca (PP), Rogério Silva (PMDB), Nilson Leitão (PSDB) e Rogério Galli (PSDB).

O único a votar contra o presidente Temer foi Ságuas Moraes (PT). 

Com o resultado, a Câmara não aprova a admissibilidade para que o Supremo Tribunal Federal (STF) investigue Temer. 

Com essa decisão, a denúncia é suspensa e só pode ser retomada depois que Temer deixar a Presidência da República.

No dia 26 de junho, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF a denúncia contra Temer, com base na delação premiada de Joesley Batista, dono do grupo JBS. Foi a primeira vez que um presidente da República foi alvo de um pedido de investigação no exercício do mandato.

Três dias depois, a presidente do STF, ministra Cármem Lúcia, enviou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a denúncia com pedido de autorização para que a Corte Máxima do país possa investigar Temer. 

Com o impedimento da autorização, caberá ao presidente da Câmara dos Deputados comunicar ao STF o resultado da votação e a impossibilidade de abrir investigação contra o presidente.  

Votação
A primeira sessão começou pontualmente às 9h. A oposição apresentou cinco requerimentos pedindo o adiamento da votação, mas todos foram rejeitados.

Cinco deputados da oposição chegaram a protocolar no Supremo Tribunal Federal (STF) um mandado de segurança pedindo que a Corte garantisse, por meio de uma liminar com efeito imediato, a manifestação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no plenário da Câmara. O pedido foi indeferido pela ministra Rosa Weber, do STF. 

Durante a sessão, o relator do parecer Abi-Ackel e o advogado de Temer, Antônio Maris, falaram e defenderam o arquivamento da denúncia. Depois, deputados contra e a favor do parecer se revezaram no microfone para apresentar seus posicionamentos.

Após cinco horas de debate, Rodrigo Maia encerrou a primeira sessão. Pelo regimento da Casa, a sessão deliberativa pode durar quatro horas, prorrogáveis por mais uma. Se não estiver em andamento nenhuma votação, a sessão deve ser encerrada e o presidente deve abrir outra.

Com isso, uma nova sessão foi aberta e começou a recontagem do quórum em plenário, com a oposição voltando a apresentar os requerimentos de adiamento da votação. 

A base governista reuniu quórum necessário e os debates foram retomados, com os partidos encaminhando a votação das bancadas, quando orientam os deputados como devem votar.

Após o encaminhamento, Maia iniciou a votação nominal: cada deputado era chamado ao microfone para proferir seu voto. 

A votação foi marcada por troca de ofensas entre governistas e oposicionistas e até momentos de tumulto.

Denúncia 
A denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República chegou à Câmara no dia 29 de junho.

Na denúncia, Temer é acusado de ter se aproveitado da condição de chefe do Poder Executivo e ter recebido, por intermédio de um ex-assessor, Rodrigo Rocha Loures, "vantagem indevida" de R$ 500 mil.

O valor teria sido ofertado pelo empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, investigado pela Operação Lava Jato. 

Segundo a Constituição Federal, um presidente da República só pode ser investigado no exercício do mandato se a Câmara autorizar o andamento do processo. 

Durante a tramitação na Câmara, a denúncia motivou diversas discussões em torno do rito de análise e tramitação da denúncia. 

A denúncia foi analisada inicialmente pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e recebeu do primeiro relator, deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), voto favorável para a autorização da investigação. 

O parecer de Zveiter foi rejeitado pela maioria dos membros da comissão, que aprovaram um parecer substitutivo, elaborado por Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), recomendando o arquivamento do processo. 

Ao longo da tramitação na Câmara, o processo mobilizou a liderança da base governista em torno da busca de apoio ao presidente.

Partidos da oposição também adotaram diferentes estratégias nos últimos meses na tentativa de garantir a autorização para abertura da investigação.

Os oposicionistas criticaram a troca de membros na CCJ e a liberação das emendas parlamentares antes da votação na comissão e no plenário, enquanto os governistas argumentavam que a denúncia contra Temer precisava de provas concretas e que a investigação do presidente poderia causar mais instabilidade ao país.

MT Agora - Mídia News | UOL

Mais Noticias

Recursos Públicos

Presidente da Câmara destaca importância da articulação para vinda de recursos

Nova Estrutura

Prefeitura terá nova estrutura administrativa organizacional

Qualificação

Escola do Senai de Lucas do Rio Verde será construída no Bairro Menino Deus

Acusação

Ex-governador do MT acusa Blairo de pagar para testemunha mudar depoimento

12/08/2017 -

Novas tecnologias para o tratamento de resíduos serão discutidas em fórum nesta segunda-feira (14)

O evento será realizado na Câmara de Vereadores de Lucas do Rio Verde. São esperados representantes dos 13 municípios que compõem o Cidesa Alto Teles Pires

11/08/2017 -

Vereador Mano e presidente da Assembleia, deputado Eduardo Botelho viabilizam recurso para a ampliação da Apae

Foram viabilizados R$ 140 mil, que correspondem a metade do valor orçado para a construção de três salas de aula e sanitários

08/08/2017 -

TSE mantém prefeito eleito de Primavera do Leste (MT) fora do cargo

Viana foi denunciado pela realização de despesas não legítimas com refeições e hospedagens, aquisição de bens e serviços sem processo licitatório e contratação e manutenção de servidores sem concurso público.

07/08/2017 -

Blairo confirma que presidente Temer estará 6ª em Lucas do Rio Verde inaugurando usina e lançando colheita

É a primeira vez que o presidente Michel Temer (PMDB) visitará Mato Grosso desde que assumiu a presidência, ano passad

04/08/2017 -

Primo de governador, ex-secretário é preso suspeito de mandar grampear políticos e jornalista

Paulo Taques foi secretário chefe da Casa Civil na gestão de Pedro Taques (PSDB). Ele foi preso nesta sexta-feira (4).

28/07/2017 -

Vereador Callai cobra do Executivo auxílio aos universitários que estudam nos municípios da região

Em 2016, foram destinados R$ 61 mil para auxiliar no transporte dos acadêmicos que estudam em Sorriso e Nova Mutum esse valor deve ser reajustado.

19/07/2017 -

Vereadores aprovam destinação de recurso para melhorias na Central de Processamento de Resíduos da Construção Civil

Serão investidos R$ 77 mil em obras de readequação, instalação e ampliação da rede trifásica de energia elétrica

19/07/2017 -

Vereadores aprovam novo formato de Avaliação de Desempenho Individual dos servidores

A proposta foi aprovada com duas emendas, de autoria do vereador Callai, que garantem o recebimento do retroativo, referente ao primeiro semestre deste ano

19/07/2017 -

Vereadores aprovam projeto e agricultura familiar será beneficiada com 10 pasteurizadores

Serão investidos R$ 127 mil. Os recursos foram viabilizados por meio de um convênio com o Ministério da Agricultura

18/07/2017 -

Última sessão do semestre, termina com troca de ‘farpas’ entre vereadores

A sessão acabou sendo interrompida em razão da falta de energia no bairro

12/07/2017 -

Reforma trabalhista é aprovada no Senado; confira o que muda na lei

As alterações mexem em pontos como férias, jornada de trabalho, remuneração e plano de carreira; texto ainda depende da sanção do presidente da República.

10/07/2017 -

Vereador Callai recebe resposta do Executivo em relação as indicações

A devolutiva da prefeitura só foi possível graças ao Projeto de Lei n. 02/17, de autoria do vereador Dr. Jaime, que determina que o Executivo responda as indicações

05/07/2017 -

Vereadores aprovam dois projetos e apresentam seis indicações ao Executivo

Além da sessão ordinária, foi realizada uma extraordinária para a votação do projeto n. 46, que abre crédito suplementar no valor de R$ 1.2 milhão em favor do Saae

10/07/2017 -

Defesa nega que José Riva tenha feito delação e incriminado Blairo Maggi

Riva não fechou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR)

10/07/2017 -

Blairo Maggi usou precatórios para comprar apoio em MT, diz delator

Os pagamentos de precatórios foram realizados entre março de 2009 e dezembro de 2012.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora