Desembargador nega recurso do WhatsApp e mantém bloqueio de 72h

Recurso da empresa foi negado pelo magistrado no Plantão do Judiciário. Fica mantido o bloqueio para clientes de TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel.

03/05/2016 - 07:45:46

   

Está mantido o bloqueio do aplicativo de mensagem instantânea pelo período de 72 horas. O desembargador Cezário Siqueira Neto negou a liminar do mandado de segurança impetrado pelo WhatsApp Inc e a decisão do recurso foi publicada às 0h30 desta terça-feira (3), durante o Plantão do Judiciário do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) e confirmada pela assessoria de comunicação do órgão nesta manhã.

Assim sendo, está mantido o bloqueio para clientes de TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel pelo período de 72 horas, iniciado às 14h da segunda-feira (2).

A multa para as empresas em caso de descumprimento do bloqueio é de R$ 500 mil. A decisão é do juiz Marcel Maia Montalvão, da Vara Criminal de Lagarto, em Sergipe. O magistrado atendeu a um pedido de medida cautelar da Polícia Federal, que foi endossado por parecer do Ministério Público.

A empresa que recorreu da decisão lamentou, em comunicado, a decisão e disse não ter a informação exigida pelo juiz.

Após a repercussão da decisão, o site do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) apresentou instabilidade na tarde de segunda-feira (2). O problema continua nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (3).

O Anonymous Brasil informou, através da página do grupo no Facebook, que bloqueou o site do TJSE como forma de protesto pela decisão de tirar do ar o aplicativo WhatsApp por 72 horas. A assessoria de comunicação do TJSE não confirmou que ele foi hackeado. Depois que o órgão percebeu a possibilidade de um ataque, decidiu bloquear a internet para proteger a rede de dados.

Compartilhamento de informação

O bloqueio foi pedido porque o Facebook, dono do WhatsApp, não cumpriu uma decisão judicial anterior de compartilhar informações que subsidiariam uma investigação criminal. A recusa já havia resultado na prisão do presidente do Facebook para América Latina em março.

Segundo o juiz, a medida cautelar é baseada no Marco Civil da Internet.

Os artigos citados pelo magistrado dizem que uma empresa estrangeira responde pelo pagamento de multa por uma “filial, sucursal, escritório ou estabelecimento situado no país” e que as empresas que fornecem aplicações devem prestar “informações que permitam a verificação quanto ao cumprimento da legislação brasileira referente à coleta, à guarda, ao armazenamento ou ao tratamento de dados, bem como quanto ao respeito à privacidade e ao sigilo de comunicações.”

Não é a primeira vez que um tribunal decide pela suspensão do acesso ao serviço de bate-papo no Brasil.

O bloqueio anterior ocorreu em dezembro de 2015, quando a Justiça de São Paulo ordenou que as empresas impedissem a conexão por 48 horas em represália ao WhatsApp ter se recusado a colaborar com uma investigação criminal. O aplicativo ficou inacessível por 12 horas e voltou a funcionar por decisão do Tribunal de Justiça de SP.

Conta no WhatsApp

A investigação que culminou no bloqueio desta segunda foi iniciada após uma apreensão de drogas na cidade de Lagarto, a 75 km de Aracaju. O juiz Marcel Montalvão pediu em novembro de 2015 que o Facebook informasse o nome dos usuários de uma conta no WhatsApp em que informações sobre drogas eram trocadas. As informações desse processo corriam em segredo de Justiça.

Segundo o delegado Aldo Amorim, membro da Diretoria de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal em Brasília, a investigação foi iniciada em 2015 e esbarrou na necessidade informações relacionadas às trocas de mensagens via WhatsApp, que foram solicitadas ao Facebook. A empresa não cumpriu a decisão.

Ainda de acordo o delegado, existe uma organização criminosa na cidade de Lagarto e o não fornecimento das informações do Facebook está obstruindo o trabalho de investigação da polícia.

Ele disse também que toda empresa de comunicação que atua no Brasil deve seguir a legislação brasileira, independente do seu país de origem.

O Facebook já proíbe que a rede social seja usada para vender drogas. No começo de fevereiro, a rede social alterou a política de uso do site e do aplicativo de fotos Instagram para impedir também que os usuários comercializassem armas.

Na prática, donos de páginas e perfis já não podiam vender material bélico, mas pequenas microempresas podiam usar a ferramenta de criação de anúncios rápidos para isso. Com a alteração, essa prática foi vetada. A política da rede, no entanto, não se estende ao WhatsApp.

 

Veja abaixo o comunicado do WhatsApp:
"Depois de cooperar com toda a extensão da nossa capacidade com os tribunais brasileiros, estamos desapontados que um juiz de Sergipe decidiu mais uma vez ordenar o bloqueio de WhatsApp no Brasil. Esta decisão pune mais de 100 milhões de brasileiros que dependem do nosso serviço para se comunicar, administrar os seus negócios e muito mais, para nos forçar a entregar informações que afirmamos repetidamente que nós não temos."

MT Agora - G1

Mais Noticias

Novidade

Moto Z ganha acessório da Polaroid que imprime fotos

Jan Koum

Como homem que vivia com ajuda do governo fundou o WhatApp e virou multimilionário do Vale do Silício

Acordo De Cooperação

China e Taiwan desenvolvem satélite para prever terremotos

Novidade

WhatsApp vai ganhar compartilhamento de localização em tempo real

15/10/2017 -

EUA rejeitam proposta de taxar gigantes da tecnologia

Ministro francês defendeu esta semana a proposta de seu governo de cobrar tributos sobre o volume de vendas das empresas e não por seus lucros.

06/10/2017 -

Russos usaram antivírus da Kaspersky para roubar arquivos da NSA, diz jornal

''Wall Street Journal'' diz que material secreto da agência dos EUA foi roubado usando programa antivírus desenvolvido por agência russa.

05/10/2017 -

Galaxy Note 8 vai custar R$ 4,4 mil no Brasil

Modelo chega em 21 de outubro ao país. Volta da linha Galaxy Note ocorre após o último modelo ter sido retirado do mercado por causa de baterias que podiam pegar fogo.

05/10/2017 -

Google anuncia Home Mini e Max, novas versões de dispositivo inteligente controlado por voz

Mini é modelo compacto, enquanto Max aposta na qualidade de som. Produtos serão lançados a partir de outubro em apenas sete países. Brasil está fora.

07/06/2017 -

É só digitar o nome: site expõe endereço, telefone e e-mail de brasileiros

A página diz que os dados são repassados por operadoras e que sua atividade serve como uma lista telefônica, se baseando na Lei Geral de Telecomunicações

31/03/2017 -

Segundo Procon, assinantes de TV por assinatura têm direito de romper contrato

Sinais da Record TV, SBT e Rede TV saíram de algumas operadoras

20/03/2017 -

Está procrastinando? Apps te ajudam a fugir das tentações da internet

São tantas coisas para serem vistas em Facebook, WhatsApp e Instagram, que é difícil manter o foco nas outras tarefas do dia

10/02/2017 -

Quanto mais tempo no smartphone, mais chances de divórcio

Fenômeno é responsável por cada vez mais discussões entre casais

31/01/2017 -

WhatsApp deve permitir apagar mensagens já enviadas que não foram lidas

Trata-se de uma funcionalidade que vai permitir aos usuários apagarem mensagens enviadas via WhatsApp e que ainda não foram lidas pelos destinatários.

13/01/2017 -

Publicidade estraga o celular e consome mais bateria? Veja o que é verdade

A verdadeira propaganda não causaria dano ao seu aparelho.

05/01/2017 -

Loja de apps da Apple gerou US$ 20 bilhões para desenvolvedores em 2016

Receita é 40% ao que App Store enviou a criadores em 2015.

05/01/2017 -

Ford, Toyota e outras montadoras se unem por sistema multimídia

Consórcio quer desenvolver código aberto para carros. Ideia é rivalizar com as principais empresas da área: Apple e Google.

27/12/2016 -

Designer de Sinop participa do desenvolvimento da primeira prótese facial humana com o auxílio de impressão 3D

O molde foi criado através de fotografias registradas por smartphone e convertidas em 3D a partir de fotogrametria online.

20/12/2016 -

Hackers aceitam desafio e propõem ideias inovadoras em 54 horas

Desenvolvedores são desafiados a propor soluções inovadoras para três importantes áreas da sociedade: saúde, educação e segurança pública; O grupo que apresentar a melhor proposta será premiado na noite deste domingo

03/12/2016 -

Crise reduz número de assinantes de TV paga

O número de assinantes começou a cair já no início do ano passado. Em 2015, o setor perdeu 3,1% de sua base de clientes.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora