STF suspende decisão da Justiça do Rio que bloqueou WhatsApp

Presidente do STF, Ricardo Lewandowski, analisou ação do partido PPS. Para ele, decisão de bloquear o aplicativo foi medida ''desproporcional''.

20/07/2016 - 06:38:06

   

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, decidiu na tarde desta terça-feira (19) derrubar a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que manteve o aplicativo bloqueado desde as 14h.

Na decisão, de caráter liminar (provisório), Lewandowski analisou ação impetrada pelo PPS (Partido Popular Socialista), que recorreu ao Supremo para que fosse suspensa imediatamente a ordem judicial da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias, do Rio de Janeiro.

A decisão foi tomada por Lewandowski porque ele é o ministro de plantão no recesso do Judiciário. O relator da ação do PPS é o ministro Luiz Edson Fachin. Após o recesso, Fachin poderá reavaliar o caso ou levar a ação para decisão do plenário do Supremo.

Agora, o Supremo vai notificar a Justiça do Rio de Janeiro sobre o restabelecimento do serviço. Não há previsão de quanto levará para o aplicativo voltar a funcionar. Mas, por volta das 17h50, usuários de São Paulo já relatavam que o serviço tinha voltado a operar.

Na ação, o PPS argumenta que a decisão fere a liberdade de expressão e a liberdade de manifestação.

Nesta terça, empresas de telefonia receberam uma notificação para bloquear o aplicativo depois de o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, se recusar a cumprir uma decisão judicial e fornecer informações para uma investigação policial.

Para o presidente do Supremo, o bloqueio foi uma medida desproporcional porque o WhatsApp é usado de forma abrangente, inclusive para intimações judiciais, e fere a segurança jurídica.

Na decisão, Lewandowski destacou que o entendimento da juíza do Rio foi "pouco razoável e desproporcional" porque deixou milhões de brasileiros sem o meio de comunicação.

O ministro destacou que o Marco Civil da Internet tem como princípio a garantia da liberdade de expressão e comunicação. E afirmou que a lei tem preocupação com a segurança e com a funcionalidade da rede.

O presidente do Supremo considerou que as mensagens instantâneas têm grande impacto na vida dos cidadãos e que a própria juíza do Rio destacou que o WhatsApp tem mais de 1 bilhão de usuários no mundo – o Brasil é o segundo país com mais usuários.

Lewandowski disse que, ao tomar a decisão, não entrou no debate sobre a obrigação de a empresa fornece informações requisitadas por autoridades.

"Ressalto, de resto, que não se ingressa aqui na discussão sobre a obrigatoriedade de a empresa responsável pelo serviço revelar o conteúdo das mensagens, conforme determinado pelo Juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias/RJ e supostamente descumprido pelo WhatsApp, eis que isso constitui matéria de alta complexidade técnica, a ser resolvida no julgamento do mérito da própria ação."

Justificativa do Facebook

Segundo a juíza Daniela Barbosa, da Justiça do Rio, o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, foi notificado três vezes para interceptar mensagens que seriam usadas em uma investigação policial em Caxias, na Baixada Fluminense.

A juíza acrescentou que a empresa se limitou a responder através de e-mail, em inglês, "como se esta fosse a língua oficial deste país" e tratou o Brasil "como uma republiqueta". O Whatsapp diz não cumprir a decisão "por impossibilidades técnicas".

Segundo a decisão, o que se pede é "a desabilitação da chave de criptografia, com a interceptação do fluxo de dados, com o desvio em tempo real em uma das formas sugeridas pelo MP, além do encaminhamento das mensagens já recebidas pelo usuário (...) antes de implementada a criptografia."

O presidente-executivo do WhatsApp, Jan Koum, usou sua conta no Facebook para criticar o bloqueio do aplicativo no Brasil. Ele classificou a ação como "chocante". "Como antes, milhões de pessoas estão separadas de seus amigos, famílias, clientes e colegas hoje, simplesmente porque estão pedindo informações que não temos", afirmou.

O bloqueio anterior do Whatsapp foi em maio de 2016. Outro bloqueio aconteceu em dezembro de 2015, quando a Justiça de São Paulo ordenou que as empresas impedissem a conexão por 48 horas em represália ao WhatsApp ter se recusado a colaborar com uma investigação criminal. O aplicativo ficou inacessível por 12 horas e voltou a funcionar por decisão do Tribunal de Justiça de SP.

Projeto de lei

Nesta terça-feira, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou que sua pasta está elaborando um projeto de lei para regulamentar o acesso a informações de aplicativos como o WhatsApp.

Segundo Moraes, a proposta visa possibilitar o acesso a dados necessários a investigações policiais e, dessa forma, evitar que eventuais bloqueios do aplicativo, por decisões judiciais, prejudique os usuários do programa de mensagens instantâneas mais popular do país.

Ele disse que é preciso que empresas estrangeiras que lidam com troca de informações entre usuários tenham sede no Brasil e tecnologia para fornecer, quando necessário, dados requisitados por autoridades policiais e judiciais.

Atualmente, duas propostas em tramitação no Congresso Nacional tratam sobre o tema. Não há, porém, previsão de votação das matérias tanto na Câmara quanto no Senado.

Na Câmara, o deputado Arthur Maia (PPS-BA) apresentou um projeto de lei que proíbe o Judiciário de conceder medidas cautelares ou outras decisões que bloqueiem o acesso a aplicativos de troca de mensagens como o WhatsApp.

O texto está na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Casa e pode ser votado já no segundo semestre deste ano.

No Senado, há um projeto semelhante, de autoria do senador José Medeiros (PSD-MT), que proíbe a suspensão ou interrupção de aplicativos de internet como medida coercitiva em investigação criminal ou processo judicial cível ou penal.

O projeto está na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado e também pode ser votado até o final do ano.

MT Agora - G1

Mais Noticias

Escândalo Do Facebook

Na Câmara dos EUA, Zuckerberg nega que Facebook venda dados e diz estar aberto a regulamentação

Escândalo Da Rede Social

''Não fizemos o suficiente'', dirá Zuckerberg a deputados dos EUA sobre escândalo de dados

Bloqueio de Celular

Pedidos de bloqueio de celular por roubo ou extravio já somam 9,5 milhões

Uso do Celular

Mais de 96% dos mato-grossenses têm acesso à internet pelo celular, diz IBGE

02/02/2018 -

Número de assinantes de TV por assinatura cai 5% em 2017

Em dezembro houve uma redução de 0,7% em relação a novembro de 2017, com menos 125,7 mil assinantes.

25/01/2018 -

WhatsApp Business começa a funcionar no Brasil

O aplicativo especial permite a criação de um perfil empresarial com informações sobre o negócio.

05/01/2018 -

Pela primeira vez, vício em games é considerado distúrbio mental pela OMS

Comportamento viciado em videogame, sem controle de frequência e intensidade, pode representar um problema de saúde mental.

15/12/2017 -

Cell Store é inaugurada com linhas da Apple e JBL em Lucas

Linha de Produtos da Apple e JBL estão sendo oferecidos em uma estrutura inovadora.

09/12/2017 -

MT tem mais de um celular por habitante; jornalista com 15 aparelhos cita hobby

São quatro milhões de aparelhos em todo o estado. O índice corresponde a 20% da média na região Centro-Oeste.

27/11/2017 -

Estão usando sua Netflix de graça? saiba o que fazer

Descubra em alguns passos simples se alguma pessoa esteja usando sua conta Netflix

20/11/2017 -

iPhone X começa a ser vendido em 8 de dezembro no Brasil

Aparelho é a edição comemorativa de 10 anos da linha de smartphones da Apple.

20/11/2017 -

Apple inicia venda de versão ''desconectada'' do relógio inteligente Watch Series 3 no Brasil

Principal novidade da terceira geração do aparelho é acessar a internet sem precisar de um iPhone; modelos 'limitados' custam a partir de R$ 2,6 mil.

16/11/2017 -

Moto Z ganha acessório da Polaroid que imprime fotos

Gadget pode colocar no papel imagens tiradas pela câmera do aparelho ou de Facebook, Instagram e Google Photos.

16/11/2017 -

Como homem que vivia com ajuda do governo fundou o WhatApp e virou multimilionário do Vale do Silício

Imigrante da Ucrânia, Jan Koum tinha uma renda familiar baixa e precisou de subsídios do governo americano para sobreviver; hoje, faz parte da direção do Facebook, que comprou sua empresa, e tem uma fortuna estimada em R$ 31,7 bilhões.

13/11/2017 -

China e Taiwan desenvolvem satélite para prever terremotos

Tremores geram anomalias eletromagnéticas antes de ocorrer e podem ser antecipados. Cooperação é considerada marco.

17/10/2017 -

WhatsApp vai ganhar compartilhamento de localização em tempo real

Usuários poderão enviar posição atual e determinar por quanto tempo sua movimentação poderá ser vista. Novidade chega para aparelhos Android e iOS nas próximas semanas.

15/10/2017 -

EUA rejeitam proposta de taxar gigantes da tecnologia

Ministro francês defendeu esta semana a proposta de seu governo de cobrar tributos sobre o volume de vendas das empresas e não por seus lucros.

06/10/2017 -

Russos usaram antivírus da Kaspersky para roubar arquivos da NSA, diz jornal

''Wall Street Journal'' diz que material secreto da agência dos EUA foi roubado usando programa antivírus desenvolvido por agência russa.

05/10/2017 -

Galaxy Note 8 vai custar R$ 4,4 mil no Brasil

Modelo chega em 21 de outubro ao país. Volta da linha Galaxy Note ocorre após o último modelo ter sido retirado do mercado por causa de baterias que podiam pegar fogo.

Disk Bem

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Tempo Agora