Estudo

Polarização política e ''fake news'' impactam confiança no jornalismo

Estudo do Instituto Reuters destaca poder de plataformas digitais

Fonte: Jonas Valente | Agência Brasil
13 de Junho de 2019 as 23h 14min

A polarização política e a disseminação de notícias falsas (também conhecidas como fake news) vêm minando a confiança da sociedade nos veículos jornalísticos. Além disso, a produção de informação online vem sendo marcada pelo poder de plataformas (como Facebook e Google) e pela ampliação de serviços pagos, como os que exigem assinatura.

As conclusões estão no Relatório de Notícias Digitais 2019 (Digital News Report), elaborado pelo Instituto Reuters e divulgado ontem (12). O estudo é o mais amplo e notório sobre o mercado jornalístico e os hábitos de consumo de notícias dos usuários na Internet, realizado a partir de entrevistas com leitores em 38 países em seis continentes, entre eles o Brasil.

A radicalização da disputa política e a disseminação de desinformação apareceram como fenômenos importantes na divulgação de informação na web. O Brasil foi o país com maior preocupação manifestada sobre se uma notícia é verdadeira ou falsa: 85% dos entrevistados disseram ter esse receio.

Outros países com alto índice de preocupação foram Reino Unido (70%) e Estados Unidos (67%). Já entre nações europeias o índice foi menor, como na Alemanha (38%) e Holanda (31%). Frente a este cenário, 24% afirmaram ter deixado de ler notícias de veículos com reputação dúbia.

“A polarização política encorajou o crescimento de agendas partidárias online que juntamente com os caça-cliques e várias formas de desinformação estão ajudando a minar a confiança na midia, levantando novas questões sobre como entregar reportagens equilibradas a justas na era digital”, analisou Nic Newman, um dos autores do estudo.

Confiança

Como resultado, a confiança das pessoas nos veículos jornalísticos caiu dois pontos, de 44% para 42%. O sentimento é mais fraco no tocante às informações obtidas por meio de mecanismos de busca, como Google, (33%) ou por redes sociais, como Facebook, Twitter e Instagram. Na comparação entre países, a confiança foi menor na França (24%).

O percentual de pessoas que disseram evitar qualquer tipo de conteúdo jornalístico cresceu 6%, chegando a quase um terço das pessoas ouvidas (32%). Essas pessoas justificaram essa posição pela influência que o noticiário causa no humor e pela sensação de impotência para mudar os eventos.

Entre os entrevistados, 42% avaliaram que os meios de comunicação fiscalizam pessoas e instituições poderosas. A maioria das pessoas considerou que a mídia é mais eficiente em manter as pessoas atualizadas sobre o que ocorre no mundo e nos seus países (62%) do que em explicar os acontecimentos (51%).

Conteúdo pago

O consumo pago de serviços noticiosos aumentou pouco no último ano. Os percentuais mais altos se dão em países nórdicos, como Noruega (34%) e Suécia (27%). Nos Estados Unidos, o número ficou estável em 16%, a partir uma elevação em 2017, após a vitória do presidente Donald Trump e as polêmicas sobre desinformação nas eleições e no país.

Nos locais em que essa prática é mais comum, em geral os leitores assinam apenas um serviço. Isso mostra uma lógica de concentração nos serviços pagos, naquilo que na economia se chama “vencedor-leva-tudo”. Uma tendência identificada no estudo foi uma preferência maior de pessoas por conteúdos pagos de entretenimento em relação a notícias, como nas assinaturas de serviços como Netflix (vídeo) e Spotify (música).

Redes sociais

Os aplicativos de trocas de mensagens têm ganhado espaço como fonte de informação das pessoas entrevistadas, fazendo com que o consumo fique mais “privado”. O Whatsapp se tornou a principal fonte de notícias em países como o Brasil (53%), Malásia (50%) e África do Sul (49%). No caso do Brasil, a centralidade do Whatsapp (utilizado por mais de 130 milhões de pessoas) levantou debates como no caso do seu papel nas eleições do ano passado.

O relatório também indicou um movimento de pessoas que se informam em grandes grupos de redes sociais com pessoas que não conhecem. No Brasil, essa prática foi registrada em 22% dos participantes do levantamento. Na Turquia, esse índice ficou em 29%. Os percentuais são bastante diferentes de países mais ricos, como Canadá (7%) e Austrália (7%).

Plataformas

Além das plataformas de redes sociais, o estudo também destacou o papel de serviços de agregação de notícias, como Google News ou Apple News. Nos Estados Unidos, este último é utilizado por mais pessoas (27%) do que um veículo tradicional como o Washington Post (23%).

As plataformas também têm se tornado fonte por meio de seus assistentes virtuais. Modelos como Amazon Echo e o Google Home cresceram, segundo o estudo. A prática de se informar por esses dispositivos cresceu de 7% para 14% no Reino Unido, 5% para 11% no Canadá e 9% para 12% nos Estados Unidos.


COMENTARIOS

Mais de Variedades

Enem

Candidata chega 2 horas antes e percebe que esqueceu documento ao tentar entrar em local de prova em MT

Mulher faz entrega de sorvete durante a semana e esqueceu o documento dentro da bolsa de trabalho.

10 de Novembro de 2019 as 15h35

Seguro Viagem

Quando contratar um seguro de viagem anual

Muitas empresas brasileiras oferecem este tipo de serviço que pode fazer a diferença para quem costuma viajar com frequência

13 de Outubro de 2019 as 10h37

Grandes Premiações

Um ano de grandes premiações lotéricas

A modalidade dos sonhos de cada cidadão deste país é aquela que mais entrega grandes boladas.

11 de Outubro de 2019 as 07h21

Melhor Momento

Poker no Centro-Oeste atravessa o melhor momento em sua história

Seleção de Goiás posa para o foto do título conquistado no Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes

04 de Outubro de 2019 as 15h51

Dicas

Desequilíbrio hormonal causa queda de cabelos

Cada tipo de cabelo necessita de um cuidado específic

02 de Outubro de 2019 as 14h52

Geral

Casa Branca confirma morte de filho de Bin Laden

Presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que Hamza bin Laden, filho de Osama, foi liquidado durante uma operação dos EUA.

14 de Setembro de 2019 as 16h57

Bienal de Arquitetura

Empresa de construção civil composta por mulheres faz abertura no 12º Bienal de Arquitetura

a empresa também irá promover um espaço com fotos e elementos dos trabalhos realizados

11 de Setembro de 2019 as 17h04

Cruzeiro

Cruzeiro para Europa, uma forma de viajar que muitos escolhem

Basta uma mala com roupas confortáveis, seguro de viagem internacional e muita vontade de andar!

10 de Setembro de 2019 as 23h37

Geral

Embratur lança ação para promover Brasil como destino turístico

De acordo com o instituto, argentinos e chilenos ocupam a lista dos turistas que mais visitam o Brasil.

05 de Setembro de 2019 as 15h22

PMMA

Preenchimento com PMMA: saiba o que é e os principais riscos

Saiba como funciona o preenchimento com PMMA e tire suas principais dúvidas sobre o assunto.

05 de Setembro de 2019 as 14h18

Geral

Edital #amorpeloBrasil vai premiar jovens com até R$ 20 mil

Vídeos devem ser gravados por celular por jovens entre 12 e 18 anos

04 de Setembro de 2019 as 15h10

Geral

PM reinaugura sede do Programa de Resistência às Drogas e pretende expandir ações

O prédio do programa passou por obras de ampliação e readequação, como a instalação de sistema de ar condicionado.

02 de Setembro de 2019 as 21h58

Geral

Mega-Sena pagará hoje prêmio de R$ 47 milhões

Neste sábado, a Mega-Sena, acumulada, sorteia o prêmio de R$ 47 milhões do concurso 2.184.

31 de Agosto de 2019 as 14h11

Miss Plus Size 2019

Título de Miss Plus Size 2019 será disputado por 9 candidatas em Rondonópolis (MT)

Vencedora do concurso deve ganhar R$ 1,5 mil em prêmios e a inscrição para participar da etapa estadual, além da faixa e do título.

17 de Agosto de 2019 as 10h34

Pouso De Emergência

Pouso de emergência deixa ao menos 20 feridos perto de Moscou

A aeronave, com 226 passageiros e 6 tripulantes, fazia o trajeto entre Moscou e Simferopol, na Crimea, quando ocorreu o acidente.

15 de Agosto de 2019 as 23h31

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

veja +

COTAÇÃO